Restrições de viagem devido ao coronavírus (COVID-19)

Fique por dentro das mudanças nas viagens em todo o mundo à medida que restrições e avisos são criados ou retirados.

Mapa de restrições de viagem

Este mapa mostra quais países têm restrições de entrada por via aérea em vigor.

  • Completamente fechado: apenas cidadãos, residentes voltando para casa ou pessoas em outras circunstâncias especiais podem entrar no país.
  • Parcialmente fechado: a entrada no país pode depender da cidadania do viajante, seu ponto de origem ou outras regras específicas.
  • Sem restrições: o país não possui restrições formais de entrada, mas ainda está monitorando a situação e pode ter outros avisos de viagem em vigor.

Alertas para rotas específicas no KAYAK

Para os destinos que podem ter avisos de viagem em vigor emitidos pelas autoridades, estamos incluindo alertas em nosso site quando você fizer buscas, avisando que pode haver um problema com a sua rota.

 

As informações a seguir sobre as restrições de viagem para cada país estão corretas de acordo com o melhor de nosso conhecimento no momento da publicação.

 

Atualização mais recente: 20/05/2020

América do Norte

Estados Unidos

Os Estados Unidos restringiram a entrada de todos os estrangeiros que passaram por ou estiveram na Áustria, Bélgica, China, República Tcheca, Dinamarca, Estónia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Irã, Irlanda, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suíça ou Reino Unido (excluindo territórios estrangeiros fora da Europa) nos últimos 14 dias.

 

Cidadãos dos EUA e residentes permanentes que passaram por ou estiveram em qualquer um dos países acima nos últimos 14 dias ainda podem entrar nos Estados Unidos, mas devem chegar por um dos seguintes aeroportos: Atlanta (ATL), Boston (BOS), Chicago (ORD), Dallas, (DFW), Detroit (DTW), Honolulu (HNL), Los Angeles (LAX), Miami (MIA), Nova York (JFK ou EWR), São Francisco (SFO), Seattle (SEA) e Washington (IAD).

Familiares de cidadãos americanos e residentes permanentes, assim como algumas outras categorias limitadas de portadores de visto (como funcionários da ONU e diplomatas) também podem entrar.

Canadá

O Canadá restringiu a entrada de todos os estrangeiros que estiveram fora dos Estados Unidos ou do Canadá nos últimos 14 dias.  

 

Cidadãos canadenses, residentes permanentes, familiares imediatos, diplomatas, tripulações de companhias aéreas e cidadãos dos EUA que se deslocam diariamente entre os dois países ainda podem entrar no Canadá.  

 

Trabalhadores agrícolas sazonais, trabalhadores de peixes/frutos do mar, cuidadores, trabalhadores temporários estrangeiros, estudantes internacionais com permissões de estudo válidas ou aprovações para licenças de estudo válidas a partir de 18 de março de 2020 e candidatos residentes permanentes que receberam aprovação antes de 18 de março de 2020 e ainda não viajaram para o Canadá, ainda pode entrar no país.  

O Canadá também está restringindo os voos internacionais de chegada nos quatro aeroportos a seguir: Toronto (YYZ), Montreal (YUL), Vancouver (YVR) e Calgary (YYC).  

 

Voos domésticos e aqueles que chegam dos Estados Unidos, México, Caribe e São Pedro e Miquelon serão isentos.  

 

Os viajantes que apresentarem sintomas serão proibidos de embarcar em aviões destinados ao Canadá até que tenham esperado por um período de 14 dias ou possam apresentar um atestado médico que confirme que não possuem a COVID-19. Os viajantes que foram recusados a embarcar nos últimos 14 dias devido a razões médicas relacionadas à COVID-19 não podem entrar no país. Os viajantes devem se auto-isolar por 14 dias após a chegada ao destino final no Canadá.  

 

Os viajantes que desembarcaram de um navio de cruzeiro com um surto conhecido de COVID-19, como o ‘Diamond Princess’, deverão permanecer em quarentena por 14 dias em um local determinado pelo Diretor de Saúde Pública.

Anguilla

Anguilla fechou todos os seus aeroportos. Os viajantes que viajaram para fora da região do Caribe nos últimos 14 dias devem ficar em quarentena por 14 dias após a chegada.

Antigua e Barbuda

Antígua e Barbuda suspendeu todos os voos de entrada, exceto aqueles com uma aprovação especial. Quaisquer passageiros que cheguem nesses voos estão sujeitos a uma quarentena de 14 dias após a chegada.

Os viajantes que chegam da República Dominicana ainda podem entrar no país. Eles devem ter ficado em quarentena por 14 dias antes da partida e precisarão se colocar em quarentena por mais 14 dias após a chegada a Antígua e Barbuda.

Aruba

Aruba restringiu a entrada de todos os viajantes até 31 de maio de 2020, exceto voos locais, voos de evacuação médica e humanitários e voos de trânsito / transferência que requerem aprovação prévia do DCA de Aruba. Os residentes legais de Aruba podem entrar no país, mas precisam ter uma autorização prévia. Não residentes, como pessoal médico, também podem entrar com autorização prévia.

Bahamas

As Bahamas fecharam suas fronteiras. Isso não se aplica a voos de repatriamento de cidadãos das Bahamas.

Barbados

Barbados colocará em quarentena todos os viajantes que chegam e a tripulação das companhias aéreas por 14 dias em uma instalação administrada pelo governo.

As tripulações das companhias aéreas só podem desembarcar quando for absolutamente necessário e devem se auto-isolar durante a noite.

Belize

Todos os aeroportos de Belize estão fechados.

Bermudas

As Bermudas suspenderam todos os voos para o país até pelo menos 1o de maio de 2020.

Todos os viajantes que chegam (exceto a tripulação da companhia aérea) são obrigados a ficar em quarentena por 14 dias.

Bonaire, Sint Eustatius e Saba

Bonaire, Sint Eustatius e Saba restringiram a entrada de viajantes da Áustria, Bélgica, Bulgária, Canadá, China, Colômbia, Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, República Dominicana, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Irlanda, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, Eslováquia, Eslovênia, Coreia do Sul, Espanha, Suécia, Suíça, Reino Unido e Estados Unidos.

 

Equipes médicas e pacientes transferidos no interesse da saúde pública em Bonaire, Sint Eustatius e Saba ainda podem entrar.

Ilhas Virgens Britânicas

As Ilhas Virgens Britânicas fecharam todos os aeroportos até pelo menos 1 de junho de 2020. Todos os tripulantes que chegam devem permanecer dentro das instalações portuárias e cumprir as medidas de saúde pública em vigor.

Ilhas Cayman

As Ilhas Cayman suspenderam todos os voos internacionais para o aeroporto Owen Roberts International (GCM), com exceção dos voos de emergência e ambulâncias aéreas. Eles devem obter uma aprovação prévia da Autoridade de Aviação Civil das Ilhas Cayman.

Costa Rica

A Costa Rica restringiu a entrada de todos os viajantes que não são cidadãos e residentes da Costa Rica. 

 

Os viajantes que saíram da Costa Rica antes de 25 de março de 2020 ou depois de 30 de abril de 2020 e têm residência permanente ou temporária, “Categoria Especial”, ou estadia da subcategoria de não residente (“No Residente Subcategoria Estancia”), ainda podem entrar no país.

 

Todos os viajantes acima devem se auto-isolar por um período de 14 dias após a chegada.

Cidadãos da Áustria, Bélgica, Bulgária, Costa Rica, Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, República da Irlanda, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suíça ou Reino Unido ainda podem transitar pelo país.

Cuba

Cuba suspendeu todos os voos para o país, exceto os voos de ajuda humanitária.

Curaçao

Curaçao restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam tripulantes de companhias aéreas, pessoal médico autorizado, pessoal autorizado do governo ou residentes de Curaçao que tenham sido pré-aprovados para entrada pelo governo de Curaçao. Residentes, pessoal médico e pessoal do governo devem ter uma carta de verificação do governo de Curaçao provando que podem entrar em Curaçao.

 

Os viajantes ainda podem transitar por Curaçao, desde que permaneçam a bordo da mesma aeronave ou façam trânsito de ala a ala de uma aeronave para outra sem entrar no terminal de trânsito. É necessário um aviso prévio mínimo de 24 horas.

Dominica

Os voos para a República Dominicana estão suspensos até pelo menos 30 de abril de 2020.

 

República Dominicana

A República Dominicana suspendeu todos os voos.

El Salvador

O Aeroporto Internacional de El Salvador San Oscar Arnulfo Romero y Galdamez (SAL) está fechado até pelo menos 28 de abril de 2020.

 

Somente voos militares dos EUA (CSL), voos de ajuda humanitária, voos de ambulância, voos de balsa/manutenção e voos de repatriamento com autorização especial podem entrar no país.

Groenlândia

Nenhuma informação disponível no momento.

Granada

Granada fechou o Aeroporto Internacional Maurice Bishop (GND) e o Aeroporto Lauriston (CRU) para todo o tráfego de passageiros.

 

Viajantes que estiveram na Áustria, Bélgica, Bulgária, China, Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Irã, Irlanda, Itália, Coreia do Sul, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Noruega, Polónia, Portugal, Romênia, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suíça, Estados Unidos ou Reino Unido nos últimos 14 dias não estão autorizados a entrar em Granada.

Os cidadãos e residentes de Granada ainda podem entrar no país, mas aqueles que visitaram os países acima nos últimos 14 dias estarão sujeitos a uma quarentena de 14 dias.

Guadalupe

Guadalupe suspendeu todos os voos internacionais por 30 dias, a partir de 18 de março de 2020.

Guatemala

A Guatemala restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos, residentes e diplomatas, que serão colocados em quarentena na chegada.

A Guatemala também suspendeu todos os voos para o país até pelo menos 30 de abril de 2020.

Haiti

O Haiti suspendeu todos os voos internacionais para o aeroporto Internacional de Port Au Prince e o aeroporto Internacional de Tocap, com exceção de voos de emergência, humanitários, evacuação médica e governamentais.

Honduras

Honduras fechou seus aeroportos para todos os vôos, com exceção dos vôos humanitários com uma autorização emitida 24 horas antes da partida pela Secretaria de Turismo de Honduras ou pelo Departamento de Relações Exteriores e Cooperação Internacional.

Jamaica

A Jamaica restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto aqueles com uma autorização emitida pelo governo da Jamaica. Todos os viajantes ficarão em quarentena por 14 dias após a chegada.

Martinica

A Martinica não implementou nenhuma restrição de entrada, mas os viajantes que chegarem serão examinados pela Agência Regional de Saúde da Martinica. Protocolos de segurança estão divulgados e implementados em todas as marinas e pequenos portos.

Montserrat

Montserrat restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam residentes, cônjuges ou dependentes de residentes ou tripulação de companhias aéreas.

México

O México não implementou nenhuma restrição de entrada, mas os viajantes provenientes de países afetados pelo coronavírus (COVID-19) serão rastreados e os que apresentarem sintomas serão colocados em quarentena.

Nicarágua

A Nicarágua não implementou nenhuma restrição de entrada, mas os viajantes que chegarem serão rastreados e os que apresentarem sintomas serão colocados em quarentena.

Ilhas Marianas do Norte

As Ilhas Marianas do Norte não restringiram a entrada de viajantes, mas aqueles que chegarem a Saipan de um país com um surto de COVID-19 identificado, incluindo Guam, Havaí e a parte continental dos Estados Unidos, deverão ficar em quarentena por 14 dias consecutivos em um hotel.

 

Os viajantes cujo destino final são as ilhas de Tinian ou Rota estão sujeitos a uma quarentena de 14 dias em Saipan antes de prosseguir para o destino final.

Todos os viajantes devem preencher um formulário de saúde antes do desembarque em Saipan.

Tripulantes de companhias aéreas, com voos de volta em menos de 14 dias após a chegada, poderão sair do país.

 

Os viajantes que entrarem no país por via aérea, e cujo destino final é Tinian ou Rota, devem ficar em quarentena por 14 dias em Saipan antes de prosseguir.

Porto Rico

Porto Rico não implementou nenhuma restrição de entrada, mas todos os voos comerciais de chegada estão sendo desviados para o Aeroporto de San Juan (SJU), e todos os viajantes que chegam devem se auto-colocar em quarentena por 14 dias após a chegada, independentemente dos sintomas.

 

A Guarda Nacional de Porto Rico foi ativada para auxiliar em uma triagem de saúde aprimorada de todos os passageiros na chegada à SJU, que consiste em uma breve triagem verbal ou verificação de temperatura por meio de câmeras termográficas.

 

A Baía de San Juan está atualmente fechada para navios de cruzeiro.

São Cristóvão e Nevis

São Cristóvão e Nevis fechou todos os seus aeroportos.

Saint Lúcia

Santa Lúcia fechou seus aeroportos até 30 de abril de 2020.

São Vicente e Granadinas

São Vicente e Granadinas restringiu a entrada de todos os viajantes que estiveram na China, Hong Kong, Macau, Japão, Cingapura ou Coreia do Sul nos últimos 14 dias.

Sint Maarten

Saint Maarten restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto especialistas convidados pelo governo de St. Maarten.

Os vôos de emergência e essenciais de Aruba, Curaçao, Bonaire, Santo Eustáquio e Saba ainda podem entrar.

Trinidad e Tobago

Trinidad y Tobago fechou todos os aeroportos até pelo menos 30 de abril de 2020.

Turks e Caicos

Turks e Caicos fecharam seus aeroportos.

Ilhas Virgens Americana

As Ilhas Virgens Americanas restringiram a entrada de todos os viajantes até pelo menos 24 de abril de 2020.

 

Voltar

América do Sul

Argentina

A Argentina restringiu a entrada a todos os viajantes, exceto cidadãos e residentes, até pelo menos 26 de abril de 2020.

As companhias aéreas que operam vôos de repatriamento devem enviar todas as informações de passageiros à ANAC 12 horas antes da partida. Essas informações devem conter a lista de passageiros com números de documentos de viagem, números de telefone e endereços em que cada pessoa declara que cumprirá a quarentena obrigatória na chegada.

Bolívia

A Bolívia fechou suas fronteiras.

Brasil

O Brasil restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam cidadãos, residentes, funcionários do governo e seus familiares, familiares imediatos de cidadãos, diplomatas, viajantes com autorização do governo, viajantes com um Registro Nacional de Migração ou viajantes em trânsito que não deixem a área internacional do aeroporto.

 

Cônjuges de cidadãos brasileiros devem ter uma certidão de casamento brasileira para entrar no país. Se o certificado não for emitido pelo Brasil, ele deve ser apostilado por um consulado e acompanhado de uma tradução não oficial em português.

 

Desembarques técnicos para reabastecer onde passageiros de entrada restrita não desembarcam também podem entrar no país.

Chile

O Chile restringiu a entrada a todos os viajantes, exceto cidadãos, residentes, diplomatas, trabalhadores humanitários, viajantes com uma identificação oficial do Ministério das Relações Exteriores do Chile ou viajantes com conduta segura até pelo menos 24 de abril de 2020.

Nacionais e residentes do Chile ficarão em quarentena por 14 dias após a chegada

Colômbia

A Colômbia restringiu a entrada e o trânsito a todos os viajantes, exceto operadores de carga, emergências humanitárias e cenários extremos que têm autorização da Autoridade de Aviação Civil (CAA).

A Colômbia também suspendeu todos os vôos comerciais para o país.

Todos os viajantes que chegam estão sujeitos a uma quarentena de 14 dias.

Equador

O Equador suspendeu todos os voos.

Ilhas Falkland

As Ilhas Falkland restringiram a entrada a todos os viajantes, exceto residentes retornando, portadores de permissão de trabalho e aqueles com status das Ilhas Falkland (Malvinas).

 

Os viajantes que tenham negócios oficiais com o governo das Ilhas Falkland com prova de autorização também podem entrar.

Guiana Francesa

A Guiana Francesa restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam residentes ou sejam obrigados a entrar por conta de uma emergência médica ou para prestar um serviço essencial

Guiana

A Guiana fechou seus aeroportos para todos os voos internacionais de passageiros.  

 

Cidadãos e residentes da Guiana ainda podem entrar no país.  

 

Voos profissionais autorizados, voos de evacuação médica e paradas técnicas para reabastecimento também podem entrar no país.

Paraguai

O Paraguai restringiu todos os voos para o país até pelo menos 26 de abril de 2020.

Peru

O Peru restringiu a entrada a todos os viajantes até 26 de abril de 2020.

 

Tripulantes de companhias aéreas devem se auto-isolar no hotel Costa del Sol no Aeroporto Internacional Jorge Chavez por toda a duração de sua estadia.

Suriname

O Suriname fechou suas fronteiras. 

Uruguai

Todos os voos para o Uruguai, exceto os voos humanitários, estão suspensos até 15 de maio de 2020.

Venezuela

Nenhuma informação disponível no momento. 

 

Voltar

Europa

Reino Unido

O Reino Unido não implementou nenhuma restrição de entrada, mas está monitorando voos diretos para o país a partir de determinadas áreas.

Alemanha

A Alemanha restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam cidadãos da Alemanha, residentes com autorização de residência e portadores de visto D.

 

Maridos, esposas, filhos e parceiros registrados de cidadãos e residentes alemães ainda podem entrar no país, assim como viajantes como diplomatas, profissionais de saúde, pessoal da indústria de alimentos, passageiros, militares dos EUA estacionados na Alemanha e seus familiares e outros especialistas que tenham evidências de que precisam viajar para realizar sua atividade profissional.

 

Os viajantes em trânsito para seus países de origem que não têm outra opção e têm requisitos de entrada comprovados para cada país também podem entrar.

 

Todos os viajantes que chegam devem prosseguir diretamente para suas próprias casas ou outro alojamento adequado para se auto-isolar por 14 dias.

Itália

A Itália restringiu a entrada de todos os visitantes que viajam como turistas.

 

Residentes italianos e pessoas que viajam a negócios ou por motivos de saúde podem entrar no país. No entanto, os viajantes devem informar o Departamento Regional de Prevenção de sua chegada e estão sujeitos a vigilância sanitária e isolamento por 14 dias. Todos os viajantes que entram na Itália devem enviar uma declaração à transportadora no momento do embarque, com o motivo da viagem, o endereço na Itália e o número de telefone usado na Itália.

 

Todos os viajantes devem enviar um formulário de declaração pessoal à companhia aérea antes de chegar à Itália.

No entanto, os viajantes devem informar o Departamento Regional de Prevenção de sua chegada e estão sujeitos a vigilância e isolamento de saúde por 14 dias, e devem enviar uma declaração de que entraram na Itália por motivos comprovados de trabalho por um período máximo de 72 horas, ou por uma extensão justificada para necessidades específicas por mais 48 horas.  

 

Todos os viajantes devem enviar um formulário de declaração pessoal à companhia aérea antes de chegar à Itália.

França

A França restringiu a entrada de todos os viajantes que chegam de Estados não-Schengen.

Nacionais da França e seus cônjuges e filhos, residentes de longa data com permissão de residência francesa e seus cônjuges e filhos, residentes de longa data dos Estados-Membros do EEE, Suíça ou Reino Unido e seus cônjuges e filhos a caminho de casa e cuidados de saúde os profissionais ainda podem entrar no país. Também podem entrar tripulantes de companhias aéreas, pessoal de missões diplomáticas e consulares e organizações internacionais com escritórios na França e trabalhadores transfronteiriços.

Os viajantes devem ter um Certificado de Viagem Internacional para entrar e transitar pela França, que deve ser obtido antes da partida pelos escritórios consulares franceses no exterior ou on-line em https://www.interieur.gouv.fr.

Espanha

A Espanha restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos e residentes espanhóis, e familiares imediatos acompanhando.

 

Viajantes residentes de Andorra, Áustria, Bélgica, Bulgária, Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Irlanda, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, Eslováquia, Eslovênia, Suécia ou Suíça podem transitar pela Espanha a caminho de casa para seu local de residência. O mesmo se aplica aos viajantes com visto de longa duração emitidos por um Estado-Membro Schengen que retornam ao seu local de residência.

 

Membros da família imediata de cidadãos espanhóis podem entrar na Espanha, mesmo que não estejam acompanhados por um cidadão espanhol, se estiverem viajando para se juntar ao membro da família que já está no país.

 

Residentes de Andorra, Islândia, Noruega ou Suíça, bem como portadores de visto de longo prazo dos Estados-Membros Schengen que estão voltando para casa também podem entrar na Espanha, assim como profissionais de saúde e de assistência a idosos, diplomatas, funcionários de organizações internacionais e humanitárias e militares no desempenho de suas funções. Pessoas que podem demonstrar prova de que estão viajando por motivos humanitários ou de emergência em família também podem entrar.

 

As chegadas internacionais só podem pousar em Alicante (ALC), Barcelona (BCN), Fuerteventura (FUE), Gran Canária (LPA), Ibiza (IBZ), Madri (MAD), Málaga (ADP), Menorca (MAH), Lanzarote (ACE), Palma de Maiorca (PMI), Sevilha (SVQ), Tenerife-Sur (TFS) ou Valência (VLC).

 

A partir de 15 de maio de 2020, todos os viajantes que entrarem na Espanha, com exceção do pessoal de transporte de mercadorias e profissionais de saúde que estiverem viajando no desempenho de suas funções e não tiverem contato com pacientes COVID-19, deverão se auto-isolar por 14 dias. Eles também precisarão apresentar um Formulário de Localizador de Passageiros de Saúde Pública preenchido na chegada.

Portugal

Portugal suspendeu a chegada de todos os voos internacionais até pelo menos 17 de maio de 2020, exceto para voos que trazem de volta cidadãos portugueses e residentes de longa duração com autorização de residência portuguesa.

 

Voos estaduais, voos de emergência, voos hospitalares/evacuação médica, voos humanitários/repatriação e voos das Nações Unidas ainda podem entrar no país, assim como voos chegando de Angola, Áustria, Bélgica, Brasil (somente aeroportos de São Paulo (GRU) e Rio de Janeiro (RIO)), Bulgária, Canadá, Cabo Verde, Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Guiné-Bissau, Hungria, Islândia, Irlanda, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Moçambique, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, São Tomé e Príncipe, Eslováquia, Eslovênia, África do Sul, Suécia, Suíça, Estados Unidos, Reino Unido e Venezuela.

 

Os voos que incluem uma escala técnica em que os passageiros não desembarcam também podem entrar em Portugal.

Dinamarca

A Dinamarca restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam cidadãos dinamarqueses e residentes de longa duração com autorização de residência dinamarquesa.

 

Viajantes com documentação mostrando que estão legalmente empregados na Dinamarca, viajantes que forem visitar familiares gravemente enfermos, participar de funerais, exercer direitos de visita com menores de idade, participar de um processo judicial ou estiverem em tratamento na Dinamarca. Os viajantes com documentação mostrando que o veículo de que precisam para deixar a Dinamarca (por exemplo, para voltar para casa na Suécia) está estacionado no Aeroporto de Copenhague (CPH) também podem entrar no país.

Suécia

A Suécia restringiu a entrada de todos os viajantes que não chegarem da Áustria, Bélgica, Croácia, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Países Baixos, Noruega, Polônia, Portugal, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suíça ou Reino Unido.

 

Os cidadãos dos países listados acima e seus familiares ainda podem entrar na Suécia se estiverem voltando para casa. Cidadãos suecos, residentes permanentes, portadores de vistos nacionais e seus familiares imediatos também podem entrar no país.

 

Diplomatas, trabalhadores fronteiriços, profissionais de saúde, pessoal de transporte, trabalhadores humanitários e viajantes que visitam por motivos familiares urgentes também podem entrar na Suécia.

Suíça

A Suíça restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam cidadãos ou residentes da Suíça ou de Liechtenstein.  

 

Viajantes que transitam pela Suíça para outro país em que têm permissão para entrar, viajantes que possuem os vistos e permissões necessários e profissionais de saúde autorizados ainda podem entrar no país.  

 

 Todos os viajantes devem pousar em Basileia (BSL), Genebra (GVA) ou Zurique (ZRH).

Rússia

A Rússia restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam cidadãos russos, residentes permanentes, residentes com permissão de residência, tripulantes de companhias aéreas, diplomatas e viajantes cuja visita se refira à morte de um parente direto. 

 

Viajantes que chegarem da Áustria, Bielorrússia, Bélgica, Bulgária, China, Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Irã, Irlanda, Itália, Coreia do Sul, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suíça, Ucrânia, Reino Unido ou Estados Unidos que planejam ficar em Moscou devem reportar à linha direta especial por telefone.Coreia Esses viajantes deverão se auto-isolar em Moscou por um período de 14 dias ou pela duração de sua estadia, se menos de 14 dias.

Os viajantes que estiveram na China, França, Alemanha, Irã, Itália, Coreia do Sul ou Espanha e estão em São Petersburgo (LED) devem se auto-isolar por um período de 14 dias ou pela duração da estadia, se menos de 14 dias.

Albânia

A Albânia fechou sua fronteira e suspendeu todos os voos de entrada, exceto vôos de repatriação e emergência e voos operados pela Air Albania (ZB) para e de Istambul (IST).

Armênia

A Armênia restringiu a entrada a todos os viajantes até pelo menos 14 de maio de 2020.

Os cidadãos e residentes armênios e seus familiares imediatos, diplomatas e familiares imediatos e tripulantes de companhias aéreas ainda podem entrar na Armênia.

 

Todos os viajantes que entram estão sujeitos a uma quarentena de 14 dias.

No entanto, os cidadãos armênios que estiveram na Áustria, Bélgica, China, Dinamarca, França, Alemanha, Irã, Itália, Japão, Holanda, Noruega, Coreia do Sul, Espanha, Suécia, Suíça ou Reino Unido nos últimos 14 dias devem se auto-isolar ou entrar em quarentena por 14 dias.

Áustria

A Áustria restringiu a entrada de todos os viajantes que não chegam de um Estado-Membro Schengen.

Cidadãos austríacos, residentes permanentes, portadores de visto D e seus familiares imediatos ainda podem entrar na Áustria.

Diplomatas, profissionais de ajuda humanitária, profissionais de saúde e membros de equipes de emergência / resgate / ambulância também podem entrar no país.

Nacionais da Bélgica, Bulgária, Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Irlanda, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal , Romênia, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia e Suíça e portadores de passaporte britânico também podem entrar no país.

Os viajantes com atestados médicos (em alemão ou inglês) com data de no máximo 4 dias antes de sua chegada à Áustria, confirmando que não foram afetados pelo coronavírus (COVID-19) também podem entrar no país.

Todos os viajantes que chegam dos países mencionados acima, além de cidadãos austríacos e portadores de visto D, devem se auto-colocar em quarentena por 14 dias após a chegada e confirmar isso com assinatura, a menos que estejam saindo imediatamente do país. Se eles não puderem se auto-colocar em quarentena em casa, serão acomodados por 14 dias, a menos que estejam partindo imediatamente do país.

Cidadãos da Bélgica, Bulgária, Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Irlanda, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suíça e Reino Unido também podem entrar no país.

 

Os viajantes com atestado médico (em alemão ou inglês) com data de no máximo 4 dias antes de sua chegada à Áustria, confirmando que não foram afetados pelo coronavírus (COVID-19), também podem entrar no país.

 

Todos os residentes austríacos devem ficar em quarentena por 14 dias após a chegada.

Bélgica

A Bélgica restringiu a entrada de todos os viajantes que não chegarem dos Estados-Membros do EEE, da Suíça ou do Reino Unido.

 

Cidadãos, residentes permanentes e portadores de visto de longa duração dos Estados-Membros do EEE, Suíça e Reino Unido e seus familiares ainda podem entrar na Bélgica.

 

Diplomatas, trabalhadores de ajuda humanitária e militares também podem entrar no país.

 

Cidadãos de Andorra, Mônaco, Montenegro, Macedônia do Norte, San Marino, Sérvia e Cidade do Vaticano podem entrar na Bélgica com comprovante de viagem para o país de origem.

 

Os voos de passageiros são permitidos apenas entre 7:00 e 21:00. Isso não se aplica a voos humanitários, de repatriação e das Nações Unidas.

Diplomatas, trabalhadores de ajuda humanitária e militares também podem entrar no país.

 

Voos de passageiros só poderão operar entre as 7:00 e as 21:00. Isso não se aplica a voos humanitários, de repatriação e das Nações Unidas.

Bielorrússia

A Bielorrússia não implementou nenhuma restrição de entrada, mas os viajantes que chegarem serão rastreados e os que apresentarem sintomas poderão ficar em quarentena.

Bósnia e Herzegovina

A Bósnia e Herzegovina restringiu a entrada de todos os viajantes que não forem cidadãos e residentes da Bósnia e Herzegovina.

 

Diplomatas e funcionários consulares, funcionários públicos contratados para trabalhar no país, trabalhadores fronteiriços, militares, chefes de Estado e suas delegações, viajantes em trânsito para seus países de origem e viajantes com permissões especiais para permanecer ou transitar no país também podem entrar.

Bulgária

A Bulgária restringiu a entrada de todos os viajantes que não chegam da Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, Grécia, Hungria, Letônia, Lituânia, Lituânia, Malta, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, Eslováquia, Eslovênia ou Suécia.

 

Os cidadãos dos países acima e seus familiares ainda podem entrar na Bulgária.

Cidadãos búlgaros, residentes permanentes e titulares de autorizações de residência de longa duração também podem entrar no país. No entanto, aqueles que chegam de países de risco são solicitados a se colocar em quarentena por 14 dias.

 

Cidadãos da Áustria, Bélgica, França, Alemanha, Islândia, Irlanda, Itália, Liechtenstein, Luxemburgo, Holanda, Espanha, Suíça e Reino Unido e seus familiares podem transitar pela Bulgária para retornar aos seus países de residência.

 

Os cidadãos da Turquia, Macedônia do Norte, Sérvia e Montenegro também podem transitar pela Bulgária para retornar aos seus países de residência.

 

Profissionais de saúde, pessoal de transporte, diplomatas, trabalhadores de ajuda humanitária e pessoal militar também podem entrar no país.

 

Todos os viajantes que chegam da Itália no aeroporto de Sofia (SOF) devem preencher um questionário na presença de um inspetor de saúde.

 

Os passaportes búlgaros e os cartões de identificação nacionais que expiraram em ou após 13 de março de 2020 serão considerados válidos por um período de 6 meses.

Cidadãos da França, Alemanha, Itália, Holanda, Espanha, Suíça e Reino Unido e seus familiares podem transitar pela Bulgária para retornar aos seus países de residência.

 

Os cidadãos da Turquia e da Macedônia do Norte também podem transitar pela Bulgária para retornar aos seus países de residência.

 

Profissionais de saúde, pessoal de transporte, diplomatas, trabalhadores de ajuda humanitária e militares também podem entrar no país.

 

Todos os viajantes que chegam da Itália no aeroporto de Sofia (SOF) devem preencher um questionário na presença de um inspetor de saúde.

Croácia

A Croácia restringiu a entrada de todos os viajantes que não são nacionais ou residentes croatas e seus familiares.

Viajantes cidadãos da UE ou do Reino Unido, residentes ou portadores de visto de longa duração que retornam aos seus países de origem podem entrar no país, assim como profissionais de saúde e pesquisadores, especialistas em atendimento a idosos, pessoas que necessitam de tratamento médico urgente, trabalhadores fronteiriços, diplomatas, ofertas policiais, serviços e equipes de Defesa Civil, funcionários de organizações internacionais e militares internacionais no desempenho de suas funções e pessoas em trânsito.

Todos os passaportes e cartões de identidade nacionais emitidos para cidadãos croatas que expiraram em 11 de março de 2020 ou posterior ainda são considerados válidos.

Chipre

O Chipre restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam cidadãos cipriotas, residentes do Chipre, estudantes que frequentam instituições educacionais no Chipre ou pessoas com autorização especial emitida pelo ministério relevante do Chipre.

 

Todos os viajantes listados acima devem ter um certificado de saúde confirmando que não possuem a COVID-19, emitido no prazo máximo de 4 dias antes da partida. Eles também ficarão em quarentena por 14 dias após a chegada.

República Tcheca

A República Tcheca restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam cidadãos ou titulares de permissão de residência ou visto válidos por mais de 90 dias.

 

Diplomatas e funcionários de organizações internacionais sediadas na República Tcheca, registrados no Ministério das Relações Exteriores da República Tcheca, ainda podem entrar no país junto com seus familiares.

 

Os titulares de vistos tchecos de longa duração (vistos marcados como D ou D/VR/XX na seção de comentários do adesivo de visto) cujo visto foi emitido após 12 de março de 2020 também devem apresentar dois documentos adicionais: uma confirmação laboratorial de um resultado negativo do teste de PCR para COVID-19 e uma confirmação médica desse resultado negativo. Uma carta de um Ministro do Governo da República Tcheca concedendo uma exceção pode ser apresentada em substituição a esses documentos.

 

Cidadãos da UE e cidadãos da Islândia, Liechtenstein, Noruega, Suíça ou Reino Unido que trabalham ou estudam na República Tcheca ainda podem entrar no país, mostrando documentação confirmando sua residência, como um contrato de locação e um cartão de seguro de saúde tcheco, contrato de trabalho com local trabalho na República Tcheca ou confirmação de estudo na República Tcheca.

 

Cônjuges ou parceiros registrados de cidadãos dos países listados acima que residem na República Tcheca também podem entrar no país. Eles devem trazer uma cópia da certidão de casamento ou comprovante da parceria registrada e uma cópia da autorização de residência checa do cônjuge, da carteira de identidade tcheca ou de outro documento que confirme sua residência na República Tcheca, como um contrato de arrendamento. Os parceiros e cônjuges que não sejam cidadãos de um Estado-Membro da UE, Islândia, Liechtenstein, Noruega, Suíça, Reino Unido ou de um país sem visto da UE devem ter um visto ou uma autorização de residência para entrar no país.

 

Viajantes menores de 21 anos, filhos de cidadãos dos países listados acima e residentes na República Tcheca também podem entrar no país. Eles devem fornecer uma cópia da certidão de nascimento dos pais e da autorização de residência tcheca dos pais, carteira de identidade tcheca ou outro documento que confirme sua residência na República Tcheca, como um contrato de arrendamento. Viajantes com mais de 21 anos que sejam dependentes dos pais para cuidar podem entrar no país – elas precisarão mostrar a mesma documentação e também documentação médica comprovativa de sua dependência e necessidade de cuidados. As crianças que não sejam cidadãs de um Estado-Membro da UE, Islândia, Liechtenstein, Noruega, Suíça, Reino Unido ou de um país isento de visto da UE devem ter um visto ou uma autorização de residência para entrar no país.

 

Os viajantes que sejam pais que cuidam ou dependem de seus filhos cidadãos dos países listados acima que residem na República Tcheca também podem entrar no país. Eles devem fornecer uma cópia da certidão de nascimento do filho e da autorização de residência tcheca do filho, bilhete de identidade tcheco ou outro documento que confirme sua residência na República Tcheca, como um contrato de arrendamento. Os pais de crianças com mais de 21 anos e os pais dependentes de seus filhos também devem fornecer documentação médica comprovativa, confirmando a dependência e a necessidade de cuidados. Os pais que não sejam cidadãos de um Estado-Membro da UE, Islândia, Liechtenstein, Noruega, Suíça, Reino Unido ou de um país isento de visto da UE devem ter um visto ou uma autorização de residência e devem apresentar documentação confirmando a dependência e a necessidade de cuidados, por exemplo, confirmação médica, para entrar no país.

 

Cidadãos e residentes dos países listados acima, bem como de Andorra, Mônaco, San Marino e Cidade do Vaticano que estiverem em voos de repatriação que retornam ao seu país de origem podem entrar na República Tcheca com uma confirmação oficial da embaixada tcheca ou da Estado de origem.

 

Os viajantes com um visto de curta duração (C) emitido pela República Tcheca, cuja seção de comentários nacional do adesivo de visto inclui a linha “SEZONNI” ainda podem entrar no país. Eles também devem fornecer uma confirmação laboratorial de um resultado negativo do teste de PCR para COVID-19 e uma confirmação médica desse resultado negativo. Uma carta de um Ministro do Governo da República Tcheca que concede uma exceção pode ser apresentada em substituição a esses documentos.

 

Os viajantes com um visto de curta duração (C) emitido pela República Tcheca após 11 de maio de 2020, cuja seção de comentários nacional do adesivo de visto inclua a linha “ZAMESTNANI”, e seus cônjuges e filhos menores que também sejam portadores de visto também podem entrar no país. Cada pessoa que viaja também deve fornecer uma confirmação laboratorial de um resultado negativo do teste de PCR para o COVID-19 e uma confirmação médica desse resultado negativo. Uma carta de um Ministro do Governo da República Tcheca concedendo uma exceção pode ser apresentada em substituição a esses documentos.

Cidadãos desses mesmos países com confirmação oficial de uma embaixada que lhes permita voar com o objetivo de repatriação ou transferência para o país de origem também podem entrar no país.

Estônia

A Estônia restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos e residentes da Estônia e seus pais, filhos ou cônjuges.

 

Os cidadãos de Andorra, Mônaco, Montenegro, Macedônia do Norte, San Marino, Sérvia e Cidade do Vaticano podem transitar pela Estônia a caminho de seu país de residência.

 

Os cidadãos e residentes da Letônia que trabalham na Estônia também podem entrar no país, mas não devem apresentar nenhum sintoma de COVID-19.

 

Cidadãos de outros países que estão entrando na Estônia a caminho de seus países de origem por um método diferente do aéreo também podem entrar no país, mas não devem apresentar nenhum sintoma de COVID-19.

 

O pessoal e os trabalhadores de transporte em negócios críticos para a operação de uma empresa ainda podem entrar no país, desde que não apresentem nenhum sintoma de COVID-19.

Trabalhadores de transporte e de negócios críticos para a operação de uma empresa ainda podem entrar no país, desde que não apresentem sintomas de COVID-19.

Finlândia

A Finlândia restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam cidadãos finlandeses, portadores de autorização de residência e suas famílias.

 

Cidadãos e residentes da Finlândia deverão se colocar em quarentena por 14 dias.

 

Cidadãos da Bélgica, Bulgária, Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Irlanda, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suíça e Reino Unido também podem entrar no país.

Cidadãos e residentes dos países mencionados acima que estejam retornando aos seus países de origem através da Finlândia também podem entrar no país. 

 

Profissionais de saúde, trabalhadores de transporte, diplomatas, trabalhadores de ajuda humanitária, militares, viajantes que entrarem por razões familiares imperativas e trabalhadores que viajam diariamente para outro país também podem entrar na Finlândia.

Geórgia

A Geórgia restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam cidadãos e residentes da Geórgia ou um familiar imediato.

 

Tripulantes de companhias aéreas, trabalhadores de ajuda humanitária, diplomatas e suas famílias, viajantes com status de refugiado na Geórgia e viajantes com status de apátrida ainda podem entrar no país.

 

Os portadores de autorização de residência devem obter uma aprovação para embarcar antes de partir para a Geórgia.

Grécia

A Grécia restringiu a entrada de todos os viajantes, com exceção de nacionais, titulares de autorização de residência ou de longa duração da Áustria, Bélgica, Bulgária, Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Hungria, Islândia. , Irlanda, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suíça ou Reino Unido ou suas famílias.

 

Cidadãos gregos e portadores de permissão de residência ainda podem entrar no país. No entanto, os titulares de certificados de pedido de renovação de uma autorização de residência grega não podem entrar.

 

Profissionais de saúde, membros do governo, diplomatas, militares, funcionários de ajuda humanitária, tripulação de companhias aéreas, viajantes em trânsito e viajantes que entram na Grécia por razões autorizadas pela embaixada ou consulado grego também podem entrar. Todos os viajantes que entram na Grécia em voos que não são estatais, voos sanitários, voos humanitários ou voos militares devem ficar isolados por um período de 14 dias.

 

Os voos de e para a Turquia são suspensos, exceto os vôos para repatriar cidadãos e residentes gregos e voos especiais encomendados pelo governo. Cidadãos do norte da Macedônia podem entrar na Grécia via Thessaloniki (SKG) e continuar pela estrada para o norte da Macedônia. Sua viagem deve ser pré-aprovada por um órgão oficial como o Ministério de Relações Exteriores da Grécia ou a embaixada da Macedônia do Norte.

 

Os vôos para e da Alemanha, Itália, Holanda, Espanha e Reino Unido também são suspensos, exceto para categorias especiais de vôos, como carga, ajuda humanitária, militar e repatriamento.

Profissionais de saúde, membros do governo, diplomatas, militares, funcionários de ajuda humanitária, tripulação de companhias aéreas, viajantes em trânsito e viajantes que entram na Grécia por razões autorizadas pela embaixada ou consulado grego também podem entrar.

 

Todos os viajantes que entram na Grécia que não sejam membros da tripulação de companhias aéreas devem ficar isolados por um período de 14 dias.

 

Os voos de e para Itália, Espanha, Turquia e Reino Unido estão suspensos, exceto voos para repatriar cidadãos e residentes gregos.

 

Os voos de e para a Alemanha e a Holanda também estão suspensos, exceto em categorias especiais de voos, como carga, ajuda humanitária, militar e repatriação. Isso não se aplica a voos entre Atenas (ATH) e Alemanha.

Hungria

A Hungria restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos húngaros.

 

Residentes húngaros que sejam cidadãos de outro estado-membro do EEE ou da Suíça e que possuem um cartão de residência permanente emitido pela Hungria ainda podem entrar no país.

Islândia

A Islândia restringiu a entrada de todos os viajantes que não são cidadãos dos Estados-Membros do EEE, da Suíça ou do Reino Unido ou de suas famílias.

 

Os viajantes com autorizações de residência emitidas pelos Estados-Membros Schengen ainda podem entrar no país.

 

Diplomatas, profissionais de saúde, trabalhadores de ajuda humanitária, militares, viajantes que exigem proteção internacional e viajantes em emergências familiares também podem entrar no país.

 

Todos os viajantes que entram na Islândia a caminho de outro Estado-Membro Schengen devem ter confirmado por escrito sua permissão para entrar no outro Estado-Membro Schengen.

 

Cidadãos e residentes da Islândia que estiverem retornando devem passar por quarentena por 14 dias.

Todos os viajantes que entram na Islândia a caminho de outro Estado-Membro Schengen devem ter confirmado por escrito sua permissão para entrar no outro Estado-Membro Schengen.

Nacionais que retornam e residentes da Islândia devem passar por quarentena por 14 dias.

Irlanda

A Irlanda não está implementando nenhuma restrição de entrada, mas todos os viajantes que chegam ao país de áreas exceto a Irlanda do Norte devem preencher um Formulário de Localizador de Passageiros em Saúde Pública e ficar em quarentena por 14 dias.

 

Os trabalhadores essenciais da cadeia de suprimentos estão isentos dos requisitos de quarentena.

Letônia

A Letônia restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos e residentes permanentes da Letônia, Estônia e Lituânia.

 

Os viajantes que estiveram em países que não a Estônia e a Lituânia nos últimos 14 dias devem se auto-isolar em seu local de residência por 14 dias após a entrada no país.

Lituânia

A Lituânia restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos e residentes da Lituânia e seus familiares, que devem se auto-isolar por 14 dias após a chegada. Os nacionais e residentes da Lituânia que retornam do trabalho, negócios ou estudo na Polônia estão isentos da obrigação de se auto-isolar. A tripulação de companhias aéreas deve estar isolada até o dia da partida, mas não mais que 14 dias.

 

Os cidadãos da Polônia que viajam a trabalho, negócios ou estudos podem entrar na Lituânia, assim como diplomatas, pessoal da OTAN e seus familiares e outros viajantes aprovados pelo governo. A partir de 15 de maio de 2020, os cidadãos da Estônia e da Letônia também poderão entrar no país.

 

Todos os viajantes devem chegar por Vilnius (VNO), Kaunas (KUN), Palanga (PLQ) ou Siauliai (SQQ).

 

Somente os voos com permissão emitida pela Administração de Segurança dos Transportes da Lituânia, sob a ordem do Ministro dos Transportes e Comunicações, podem voar para a Lituânia.

 

O trânsito pela Lituânia é possível para viajantes em grupos no caminho de volta ao país de residência, mas eles devem ser escoltados para pontos de passagem de fronteira internacionais.

 

Somente os voos com permissão emitida pela Administração de Segurança dos Transportes da Lituânia, sob a ordem do Ministro dos Transportes e Comunicações, podem voar para a Lituânia.  

 

O trânsito pela Lituânia é possível até 13 de abril de 2020 para viajantes em grupos a caminho de volta ao seu país de residência, mas eles devem ser escoltados para pontos de passagem de fronteira internacionais. A partir de 14 de abril de 2020, nenhum viajante poderá transitar pelo país.

Luxemburgo

Luxemburgo restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam cidadãos de Luxemburgo e seus familiares que estejam voltando para casa. O mesmo se aplica aos cidadãos e residentes da União Europeia, Estados-Membros Schengen e Estados Associados Schengen, Reino Unido e seus familiares que estejam voltando para casa.

 

Profissionais de saúde, trabalhadores fronteiriços, diplomatas, trabalhadores humanitários, militares, viajantes em emergências familiares e viajantes a caminho de seus países de origem por terra com comprovação de sua viagem para esses países ainda podem entrar no país.

Malta

Malta suspendeu todos os voos. 

Moldávia

A Moldávia restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos e residentes da Moldávia.

Montenegro

Montenegro restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos e residentes de Montenegro, que devem se auto-isolar por 14 dias após a chegada.

Holanda

A Holanda restringiu a entrada a todos os viajantes que não sejam cidadãos, titulares de autorização de residência ou de longa permanência dos Estados Membros do EEE, Suíça ou Reino Unido ou suas famílias até pelo menos 15 de maio de 2020.

 

Profissionais de saúde, trabalhadores fronteiriços, pessoal de transporte, trabalhadores transfronteiriços, diplomatas, trabalhadores humanitários, militares, viajantes em emergências familiares e viajantes que precisam de proteção internacional ainda podem entrar no país.

 

Todos os viajantes que viajam para a Holanda a partir de países de alto risco de COVID-19 devem apresentar um ‘Formulário de Declaração de Saúde’ preenchido antes do embarque, e espera-se que se coloque em quarentena imediatamente por 14 dias após a chegada.

Noruega

A Noruega restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam cidadãos ou residentes da Noruega.

 

Cidadãos da Áustria, Bélgica, Bulgária, Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Irlanda, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Polônia, Portugal, Romênia, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suíça ou Reino Unido ainda podem entrar no país se residirem, trabalharem ou tiverem propriedades na Noruega. Se não puderem provar sua residência, deverão poder provar sua nacionalidade em um dos países acima. Os membros da família de um cidadão de um dos países mencionados acima podem entrar no país se já residem ou estão se mudando para a Noruega. Os viajantes com a responsabilidade de cuidar de um residente da Noruega também podem entrar.

 

Todos os viajantes acima devem passar por uma quarentena doméstica de 10 dias e preencher um formulário de informações de saúde pública na chegada.

 

Os cidadãos dos países acima mencionados que estão em trânsito na Noruega para retornar aos seus países de residência também podem entrar na Noruega, assim como a tripulação de avião, diplomatas e seus cônjuges / filhos, pessoal de transporte, pessoal da mídia, pessoal da OTAN com uma ordem de viagem, titulares de permissões de trabalho agrícola sazonal com uma carta de aprovação da UDI, estrangeiros com convocação para comparecer em um processo judicial, passageiros de cruzeiros cujos cruzeiros começaram antes de 16 de março de 2020 às 08:00 no caminho para casa e viajantes com vistos noruegueses emitidos após 15 de março de 2020 também pode entrar no país.

 

Cidadãos isentos de visto e familiares de cidadãos do EEE que tenham sido aprovados para residência, mas ainda não receberam seu cartão de residência ainda podem entrar no país, mostrando a carta da UDI que aprova sua autorização de residência.

 

Os viajantes só podem entrar em Svalbard depois de ficarem em quarentena em outras partes da Noruega.

Todos os viajantes acima devem passar por uma quarentena doméstica de 14 dias e preencher um formulário de informações de saúde pública ao chegar.

 

Tripulantes de companhias aéreas, viajantes em trânsito, diplomatas e seus cônjuges/filhos, trabalhadores de transporte, equipes de mídia, funcionários da OTAN com ordem de viagem, passageiros de cruzeiros cujos cruzeiros começaram antes de 16 de março de 2020 às 8:00 CET a caminho de casa e viajantes com vistos noruegueses emitidos após 15 de março de 2020 também podem entrar o país.

 

Os viajantes só poderão entrar em Svalbard depois de ficarem em quarentena em outras partes da Noruega.

Macedônia do Norte

A Macedônia do Norte restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos e residentes da Macedônia do Norte. 

 

Diplomatas e viajantes com permissões especiais emitidas pelo Ministério do Interior da Macedônia do Norte também podem entrar no país.

Polônia

A Polônia suspendeu todos os voos, exceto voos humanitários e médicos, voos para proteger a ordem pública, voos de emergência, voos por ordem do Primeiro-Ministro e voos de repatriamento realizados por transportadoras aéreas estrangeiras, por ordem de estados estrangeiros.

 

Voos com 15 assentos ou menos ainda podem entrar na Polônia.

Romênia

A Romênia restringiu a entrada de todos os viajantes que não são cidadãos da Áustria, Bélgica, Bulgária, Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Irlanda, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suíça ou Reino Unido.

 

Os voos da Áustria, Bélgica, França, Alemanha, Irã, Itália, Holanda, Espanha, Suíça, Turquia, Estados Unidos e Reino Unido estão suspensos.

 

Os cidadãos romenos e suas famílias, portadores de autorização de residência e portadores de visto de longa permanência ainda podem entrar no país.

 

Os cidadãos dos Estados-Membros do EEE, Suíça e Reino Unido com residência na Romênia também podem entrar no país.

Diplomatas, pessoal de transporte, pessoal militar, trabalhadores de ajuda humanitária, viajantes em emergências familiares e viajantes que precisam de proteção humanitária internacional ou outra também podem entrar no país.

 

Todos os viajantes que chegam devem se auto-isolar em casa por 14 dias.

Diplomatas, trabalhadores de transporte, militares, trabalhadores de ajuda humanitária, viajantes em emergências familiares e viajantes que precisam de proteção internacional ou outro tipo de proteção humanitária também podem entrar no país.

 

Cidadãos e residentes da Romênia que transitaram por ou estiveram na China, Irã, Itália ou Coreia do Sul nos últimos 14 dias devem preencher formulários de declaração e entrar em auto-isolamento.

 

Os viajantes que chegarem de países com mais de 500 casos confirmados de COVID-19 também deverão preencher formulários de declaração e passar por 14 dias de auto-isolamento, mesmo que não apresentem sintomas.

Sérvia

A Sérvia fechou suas fronteiras a todo tráfego rodoviário, ferroviário, aéreo e aquático. O aeroporto Nikola Tesla de Belgrado suspendeu todos os voos internacionais de passageiros.

Diplomatas ou outros viajantes com permissão especial dos ministérios mencionados acima que chegarem dos países acima deverão se auto-isolar por um período de 28 dias. Os mesmos viajantes que chegarem de qualquer outro país devem se auto-isolar por um período de 14 dias.

Eslovênia

A Eslovênia restringiu todas as viagens não essenciais ao país, como outros países da União Europeia.

 

Os cidadãos e residentes da Eslovênia e da UE, seus familiares e diplomatas, profissionais de saúde, trabalhadores transfronteiriços e de transporte ainda podem entrar no país.

Eslováquia

A Eslováquia fechou suas fronteiras e todos os seus aeroportos internacionais.

Os residentes da Eslováquia ainda podem entrar no país, mas devem passar 14 dias em uma instalação de quarentena designada pelo governo.

Ucrânia

A Ucrânia suspendeu todos os voos até pelo menos 24 de abril de 2020.

 

Voltar

África

Argélia

A Argélia fechou suas fronteiras.

Angola

Angola restringiu a entrada de viajantes que estiveram na China, França, Irã, Itália, Coréia do Sul, Portugal ou Espanha.

 

A tripulação de companhias aéreas e os cidadãos e residentes de Angola ainda podem entrar no país. Os viajantes que estão chegando ou estiveram na China, França, Irã, Itália, Coréia do Sul, Portugal ou Espanha serão colocados em quarentena. Um formulário de controle sanitário preenchido deve ser apresentada ao Ministério da Saúde na chegada.

Benin

O Benin fechou suas fronteiras terrestres e suspendeu todos os voos comerciais. Todos os viajantes que entram no Benin devem se auto-colocar em quarentena por 14 dias após a chegada.

Botsuana

O Botsuana restringiu a entrada a todos os viajantes que chegarem da Áustria, Bélgica, China, Dinamarca, França, Alemanha, Índia, Irã, Itália, Japão, Coreia do Sul, Holanda, Noruega, Espanha, Suécia, Suíça, Estados Unidos ou Reino Unido. Isso não se aplica a cidadãos e residentes do Botsuana.

 

Os viajantes estarão sujeitos a uma quarentena de 14 dias.

 

Os viajantes não podem mais obter um visto ao chegar ao Botsuana. Os vistos emitidos para cidadãos da Áustria, Bélgica, China, Dinamarca, França, Alemanha, Índia, Irã, Itália, Japão, Coreia do Sul, Holanda, Noruega, Espanha, Suécia, Suíça, Estados Unidos e Reino Unido estão invalidados.

Burkina Faso

Burkina Faso suspendeu voos em Bobo Dioulasso (BOY) e Ouagadougou (OUA).

Burundi

O Burundi suspendeu todos os voos internacionais a partir de 22 de março de 2020.

Camarões

Camarões suspendeu todos os vôos internacionais até novo aviso.

Cabo Verde

Cabo Verde suspendeu todos os voos internacionais de passageiros.

República Centro-Africana

A República Centro-Africana fechou o Aeroporto Internacional Bangui M’Poko (BGF), com exceção de paradas comerciais, humanitárias, evacuação médica e técnicas.

Chade

Nenhuma informação fornecida pela IATA.

Comores

Comores suspendeu todos os voos para o país.

Costa do Marfim

A Costa do Marfim fechou suas fronteiras.

Djibouti

O Djibuti suspendeu todos os voos para o país.

Egito

O Egito suspendeu todos os voos internacionais, exceto humanitários, repatriação e voos das Nações Unidas com uma pré-autorização da Autoridade de Aviação Civil do Egito.

 

Aeronaves em estado de emergência ou realizando pousos técnicos também podem entrar no país.

Guiné Equatorial

A Guiné Equatorial fechou suas fronteiras e suspendeu todos os voos comerciais de e para o país em 15 de março de 2020.

Eritreia

A Eritreia não implementou nenhuma restrição de entrada, mas os viajantes que chegarem serão rastreados no Aeroporto Internacional de Asmara (ASM). Os viajantes que chegam da China devem relatar seu histórico de viagem e podem ficar em quarentena nos hospitais designados.

Etiópia

A Etiópia fechou suas fronteiras terrestres. Todos os viajantes que chegarem à Etiópia serão colocados em quarentena obrigatória no Ethiopian Skylight Hotel por 14 dias e deverão arcar com as despesas.

Gabão

O Gabão restringiu a entrada de todos os viajantes que estiveram na Áustria, Bélgica, Bulgária e China, Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Itália, Irlanda, Coreia do Sul, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, Espanha, Eslováquia, Eslovênia, Suécia, Suíça, Estados Unidos ou Reino Unido nos últimos 14 dias.

Gâmbia

A Gâmbia suspendeu todos os voos, exceto os de carga médica.

Gana

Gana suspendeu todos os voos para o país até pelo menos 4 de maio de 2020.

 

Os voos de emergência, ajuda humanitária, evacuação médica e pousos técnicos para reabastecer ainda podem entrar no país.

 

Todos os viajantes e tripulantes de companhias aéreas serão colocados em quarentena à chegada.

Guiné

A Guiné suspendeu todos os voos comerciais de países com mais de 30 casos confirmados de coronavírus (COVID-19). Todas as embaixadas e consulados no exterior suspenderam a emissão de vistos desses países.

Guiné-Bissau

A Guiné-Bissau fechou suas fronteiras.

Quênia

O Quênia suspendeu todos os voos internacionais, exceto as aeronaves em estado de emergência, operações relacionadas a ajuda humanitária, evacuação médica e voos de repatriamento. Todos os voos aprovados devem fornecer formulários e manifestos de declaração de passageiros preenchidos à Saúde Portuária, Imigração e Alfândega.

 

Todas as tripulações de voos internacionais devem se auto-isolar em hotéis designados no aeroporto Internacional de Nairobi Jomo Kenyatta pelo período de descanso.

 

Cidadãos e residentes do Quênia que violarem o requisito de auto-quarentena serão forçados a quarentena por 14 dias.

Cidadãos e residentes do Quênia que violarem o requisito de auto-quarentena ficarão em quarentena à força por 14 dias.

Lesoto

O Lesoto restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto de trabalhadores envolvidos no transporte de suprimentos médicos, alimentos e outros bens.

Libéria

A Libéria suspendeu todos os voos comerciais para o país.

Líbia

A Líbia fechou suas fronteiras.

Madagascar

Madagascar suspendeu todos os voos para o país.

Malawi

O Malawi restringiu a entrada de todas as pessoas que não sejam cidadãos e residentes do Malawi vindos de países com casos de coronavírus (COVID-19), e suspendeu a emissão de vistos para cidadãos desses países.

Mali

O Mali suspendeu todos os voos de países com casos confirmados de coronavírus (COVID-19).

Mauritânia

A Mauritânia fechou todos os seus aeroportos.

Maurício

As Ilhas Maurício restringiram a entrada de todos os viajantes, exceto nacionais e residentes, além de cônjuges e filhos.

Todos os viajantes que chegarem serão colocados em quarentena. A tripulação da companhia aérea será isolada em seus quartos de hotel.

Marrocos

O Marrocos suspendeu todos os voos de e para China, Itália, Espanha, Argélia, França, Portugal, Alemanha, Bélgica, Holanda, Áustria, Dinamarca, Grécia, Suíça, Suécia, Noruega, Turquia, Líbano, Egito, Bahrain, Emirados Árabes Unidos, Omã, Jordânia, Tunísia, Senegal, Mauritânia, Níger, Mali, Chade, Canadá e Brasil.

 

Os voos de carga dos países acima ainda podem entrar no país.

Moçambique

Moçambique limitou a entrada de viajantes através de suas fronteiras e todos os viajantes que estiveram fora do país durante o mês passado devem passar por uma quarentena obrigatória de 14 dias. Todos os viajantes que chegarem serão rastreados e os que apresentarem sintomas do COVID-19 serão colocados em quarentena.

 

Embaixadas, consulados e portos de entrada de Moçambique suspenderam a emissão de vistos e vistos emitidos anteriormente não são mais válidos.

Namíbia

A Namíbia fechou suas fronteiras até pelo menos 5 de maio de 2020.

Níger

O Níger suspendeu todos os voos internacionais de e para o Níger.

Nigéria

A Nigéria fechou seus aeroportos para todos os voos não emergenciais e essenciais.

República Democrática do Congo

A República do Congo fechou todos os seus aeroportos.

República do Congo

A República do Congo restringiu a entrada de todos os viajantes até pelo menos 4 de abril de 2020.

Ruanda

Ruanda suspendeu todos os voos comerciais de e para o Aeroporto Internacional de Kigali (KGL), incluindo a Rwanda Airlines.

São Tomé e Príncipe

São Tomé e Príncipe restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam cidadãos e residentes de São Tomé e Príncipe.

 

O pessoal autorizado ainda pode entrar no país, mas deve comprovar que obteve um resultado negativo para coronavírus (COVID-19) no aeroporto de partida. Navios de cruzeiro, embarcações de pesca e iates estão proibidos de atracar nos portos de São Tomé e Príncipe.

Senegal

O Senegal suspendeu todos os voos para o país até pelo menos 17 de abril de 2020.

Seychelles

As Seychelles fecharam o aeroporto internacional para todos os voos internacionais, exceto voos de repatriação de estrangeiros das Seychelles, desvios de emergência e voos de missões especiais aprovados.

 

Apenas os viajantes que precisarem entrar no país com permissão do Comissário de Saúde Pública antes da partida e os tripulantes com necessidade de descanso mínimo que passarem por procedimentos rigorosos de quarentena poderão entrar no país.

 

Os viajantes serão colocados em quarentena por pelo menos 14 dias.

Serra Leoa

A Serra Leoa exige que todos os viajantes que transitaram ou tenham estado em qualquer país com mais de 50 casos confirmados nos últimos 14 dias entrem em quarentena por até 14 dias.

 

Os viajantes que transitaram ou estiveram em qualquer país com menos de 50 casos confirmados nos últimos 14 dias estão sujeitos a quarentena em casa por até 14 dias.

Somália

A Somália restringiu a entrada de viajantes que chegarem da China, Irã, Itália ou Coreia do Sul.

África do Sul

A África do Sul suspendeu todos os voos para o país, exceto os voos autorizados pelo Ministério dos Transportes e voos para evacuações médicas, ajuda humanitária, pousos de emergência ou paradas para reabastecimento.

Os nacionais da África do Sul que chegarem ao país estarão sujeitos a quarentena por até 21 dias e as tripulações das companhias aéreas estarão sujeita às leis de quarentena, conforme aplicável.

Sudão do Sul

O Sudão do Sul fechou suas fronteiras.

Os vôos humanitários e de evacuação ainda podem entrar no país com a aprovação da Força-Tarefa de Alto Nível do Sudão do Sul.

Sudão

O Sudão fechou seus aeroportos para todos os voos, exceto voos de ajuda humanitária, voos de assistência médica e paradas técnicas até pelo menos 20 de maio de 2020.

 

Todos os voos que chegam precisam de aprovação prévia da Autoridade de Aviação Civil do Sudão.

Suazilândia

A Suazilândia restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam cidadãos ou residentes legais retornando.

 

Todos os viajantes que chegarem estarão sujeitos a uma quarentena obrigatória de 14 dias em um local designado.

 

Todos os voos comerciais para fora do país foram suspensos. A fronteira está fechada para tudo, exceto o transporte de mercadorias e carga.

Tanzânia

A Tanzânia não implementou nenhuma restrição de entrada, mas todos os viajantes que estão chegando estão sujeitos a uma quarentena de 14 dias, exceto a tripulação de companhias aéreas. Um formulário de saúde preenchido deve ser apresentado ao pessoal do Ministério da Saúde na chegada.

 

Tripulantes de companhias aéreas que chegarem a Zanzibar (ZNZ) estarão sujeitos a quarentena em hotéis designados.

Togo

O Togo fechou suas fronteiras.

Tunísia

A Tunísia suspendeu todos os voos para o país.

 

Apenas categorias especiais de voos ainda podem entrar no país, desde que tenham aprovação prévia da Autoridade de Aviação Civil da Tunísia. Isso inclui pousos de emergência, sobrevoos, voos de ajuda humanitária e assistência médica, voos com aeródromos alternativos identificados no plano de voo, pousos técnicos onde os passageiros não desembarcam e outras operações relacionadas à segurança.

 

Ainda podem entrar voos de repatriamento para nacionais da Tunísia e residentes permanentes com aprovação prévia. Os viajantes serão colocados em quarentena por 14 dias após a chegada.

Uganda

Uganda suspendeu todos os vôos.

Aeronaves em estado de emergência, operações de ajuda humanitária e segurança ainda podem pousar.

Todos os membros da tripulação de companhias aéreas que chegam devem passar por quarentena obrigatória no Protea Hotel Entebbe.

Saara Ocidental

Nenhuma informação disponível no momento.

Zâmbia

A Zâmbia fechou todos os aeroportos, exceto o Aeroporto Internacional Kenneth Kaunda de Lusaka (LUN). Os viajantes estarão sujeitos a uma quarentena de 14 dias.

Zimbábue

O Zimbábue fechou parcialmente suas fronteiras.

 

Os viajantes que chegam de países afetados pelo coronavírus (COVID-19) devem ficar em quarentena por 14 dias após a chegada. Os residentes do Zimbábue só podem viajar para fora do país pelas razões necessárias.

 

Voltar

Ásia

Japão

O Japão restringiu a entrada de viajantes que foram ou transitaram pela Albânia, Andorra, Antígua e Barbuda, Armênia, Austrália, Áustria, Azerbaijão, Bahamas, Bahrain, Barbados, Bielorrússia, Bélgica, Bolívia, Bósnia e Herzegovina, Brasil, Brunei Darussalam, Bulgária, Canadá, Cabo Verde, Chile, China, Colômbia, Costa do Marfim, Croácia, Chipre, República Tcheca, República Democrática do Congo, Dinamarca, Djibuti, Dominica, República Dominicana, Equador, Egito, Guiné Equatorial, Estônia, Finlândia, França, Gabão, Alemanha, Grécia, Guiné-Bissau, Honduras, Hong Kong, Hungria, Islândia, Indonésia, Irã, Irlanda, Israel, Itália, Cazaquistão, Kosovo, Kuwait, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Macau, Malásia, Maldivas, Malta, Maurício, México, Moldávia, Mônaco, Montenegro, Marrocos, Holanda, Nova Zelândia, Macedônia do Norte, Noruega, Omã, Panamá, Peru, Filipinas, Polônia, Portugal, Catar, Romênia, Rússia, São Marinho, São Tomé e Príncipe, Arábia Saudita, Sérvia, Singapura Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Coréia do Sul, São Cristóvão e Nevis, Suécia, Suíça, Taiwan, Tailândia, Turquia, Taiwan, Turquia, Ucrânia, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido, Estados Unidos, Uruguai, Cidade do Vaticano ou Vietnã nos últimos 14 dias.

 

Residentes do Japão com status de “residente permanente”, “cônjuge ou filho de nacional japonês”, “cônjuge ou filho de residente permanente” ou “residente de longo prazo” que deixaram o Japão com permissão de reentrada até 2 de abril de 2020 ainda podem entrar novamente no país, mesmo que tenham estado em um dos países acima.

 

Se eles receberam permissão de reentrada entre 3 de abril e 28 de abril de 2020, poderão entrar novamente se estiverem apenas em Antígua e Barbuda, Azerbaijão, Bahamas, Barbados, Bielorrússia, Cabo Verde, Colômbia, Djibuti, República Dominicana, Guiné Equatorial, Gabão, Guiné-Bissau, Honduras, Cazaquistão, Kuwait, México, Maldivas, Omã, Peru, Catar, Rússia, São Tomé e Príncipe, Arábia Saudita, St Kitts e Nevis, Emirados Árabes Unidos, Ucrânia ou Uruguai.

 

Se a permissão de reentrada for concedida entre 29 de abril e 15 de maio de 2020, eles poderão entrar novamente no Japão e se estiverem apenas no Azerbaijão, Bahamas, Cabo Verde, Colômbia, Guiné Equatorial, Gabão, Guiné-Bissau, Honduras, Cazaquistão, México, Maldivas, São Tomé e Príncipe ou Uruguai.

 

Cidadãos da China com passaporte emitido na província de Hubei ou na província de Zhejiang não podem entrar no país a menos que possam provar que não estiveram nessas províncias nos últimos 14 dias.

 

Os viajantes que estavam no navio de cruzeiro ‘Westerdam’ não podem entrar no país a menos que sejam cidadãos do Japão.

 

Cidadãos do Japão, seus cônjuges e filhos que podem apresentar prova, viajantes com Autorização de Residência Permanente Especial com permissão de reentrada de um oficial de imigração regional e militares dos EUA ainda podem entrar no país.

 

Os viajantes e a tripulação de companhias aéreas que estiveram em qualquer um dos países listados até agora nos últimos 14 dias devem enviar um questionário de quarentena e passar por um teste de PCR na chegada.

 

Regras especiais se aplicam a tripulantes de companhias aéreas que entram no Japão. Os membros da tripulação devem enviar questionários de quarentena e declarações “Plano de estadia no Japão”. As tripulações devem seguir as instruções fornecidas no documento de quarentena “Aviso: Para tripulações que embarcam em veículos de áreas sujeitas a quarentena reforçada”. As companhias aéreas devem providenciar veículos fretados (em oposição ao transporte público) para transportar as tripulações entre o aeroporto e o hotel e garantir que as tripulações cumpram as outras regras durante sua estadia no Japão.

 

A isenção de visto para viajantes com os seguintes passaportes é suspensa: Andorra, Argentina, Áustria, Bahamas, Barbados, Bélgica, Brunei Darussalam, Bulgária, Costa Rica, Croácia, República Tcheca, Chipre, Dinamarca, República Dominicana, El Salvador, Estônia, Finlândia, França Alemanha, Grécia, Guatemala, Honduras, Hong Kong, Hungria, Islândia, Indonésia, Irã, Irlanda, Israel, Itália, Macau, Coréia do Sul, Letônia, Lesoto, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malásia, Malta, México, Mônaco, Holanda, Noruega, Peru, Polônia, Portugal, Romênia, São Marinho, Cingapura, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suriname, Suécia, Suíça, Tailândia, Tunísia, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido, Uruguai e Cidade do Vaticano.

 

Além disso, a isenção de visto para cidadãos dos seguintes países com passaporte diplomático, oficial ou de serviço foi suspensa: Azerbaijão, Bangladesh, Camboja, Colômbia, Geórgia, Índia, Cazaquistão, Laos, Mongólia, Myanmar, Nauru, Omã, Paquistão, Palau, Papua Nova Guiné, Paraguai, Catar, Samoa, Ilhas Salomão, Turquemenistão, Ucrânia, Usbequistão e Vietnã.

 

Os vistos emitidos em ou antes de 8 de março de 2020 pelas embaixadas, consulados-gerais e consulado do Japão na China, Hong Kong, Macau ou Coréia do Sul são invalidados.

 

Os vistos emitidos até 20 de março de 2020 pelas embaixadas, consulados-gerais e consulado do Japão nos seguintes países são invalidados. Andorra, Áustria, Bélgica, Bulgária, Croácia, República Tcheca, Chipre, Dinamarca, Egito, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Irã, Irlanda, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Mônaco, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, São Marinho, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suíça, Reino Unido e Cidade do Vaticano.

 

Os vistos emitidos em ou antes de 27 de março de 2020 pelas embaixadas, consulados-gerais e consulado do Japão nos seguintes países são invalidados: Bahrain, Brunei, República Democrática do Congo, Indonésia, Israel, Malásia, Filipinas, Catar, Cingapura, Tailândia e Vietnã.

 

Os vistos emitidos até 2 de abril de 2020 pelas Embaixadas, Consulados-Gerais e Consulado do Japão nos seguintes países são invalidados: Afeganistão, Argélia, Angola, Antígua e Barbuda, Argentina, Azerbaijão, Bahamas, Bangladesh, Barbados, Bielorrússia, Belize Benin, Butão, Botsuana, Burkina Faso, Burundi, Camboja, Camarões, Cabo Verde, República Centro-Africana, Chade, Colômbia, Comores, Congo, Ilhas Cook, Costa Rica, Cuba, Djibuti, República Dominicana, El Salvador, Guiné Equatorial, Eritreia, Eswatini (Suazilândia), Etiópia, Fiji, Gabão, Gâmbia, Geórgia, Gana, Granada, Guatemala, Guiné, Guiné-Bissau, Guiana, Haiti, Honduras, Índia, Iraque, Jamaica, Jordânia, Cazaquistão, Quênia, Kiribati, Quirguistão, Kuwait, Laos, Líbano, Lesoto, Libéria, Líbia, Madagascar, Malawi, Maldivas, Mali, Ilhas Marshall, Mauritânia, México, Micronésia (Estados Federados), Mongólia, Moçambique, Mianmar, Namíbia, Nauru, Nepal, Nicarágua, Níger, Nigéria, Niue, Omã, Paquistão, Palau, Território Palestino, Papua Nova Guiné, Paraguai, Peru, Rússia, Ruanda, Samoa, São Tomé e Príncipe, Arábia Saudita, Senegal, Seychelles, Serra Leoa, Ilhas Salomão, Somália, África do Sul, Sudão do Sul, Sri Lanka, St. Kitts e Nevis, Santa Lúcia, São Vicente e Granadinas, Sudão, Suriname, Síria, Tajiquistão, Tanzânia, Timor-Leste, Togo, Tonga, Trinidad e Tobago, Tunísia, Turquemenistão, Tuvalu, Uganda, Ucrânia, Emirados Árabes Unidos, Uruguai, Uzbequistão, Vanuatu, Venezuela, Iêmen, Zâmbia e Zimbábue.

Coreia do Sul

A Coreia do Sul restringiu a entrada de todos os viajantes que estiveram na província de Hubei na China nos últimos 14 dias. Os cidadãos chineses com passaporte emitido na província de Hubei também não podem entrar no país. Os vistos coreanos emitidos pelo Consulado de Wuhan na província de Hubei estão invalidados. Cidadãos da China e viajantes que chegam da China precisam de visto para transitar pela Coreia do Sul.

 

Viajantes chegando do Japão que estiveram no navio de cruzeiro ‘Diamond Princess’ não podem entrar ou transitar pelo país. Os vistos emitidos para cidadãos do Japão nas Missões Diplomáticas Coreanas no Japão antes de 9 de março de 2020 estão invalidados. Isso não se aplica a vistos emitidos fora do Japão e a tripulantes de companhias aéreas. Os cidadãos do Japão que não possuem um visto coreano emitido em ou após 9 de março de 2020 não podem entrar no país.

Viajantes que chegarem da Áustria, Bélgica, Bulgária, Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Irlanda, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suíça ou Reino Unido serão submetidos a exames de diagnóstico.

 

Todos os viajantes que chegarem à Coreia do Sul e que não sejam membros da tripulação de uma companhia aérea estarão sujeitos a auto-quarentena obrigatória por 14 dias. Eles também devem preencher os formulários de declaração de saúde e os formulários especiais de declaração de quarentena por meio de um aplicativo de autodiagnóstico. Aqueles que chegarem dos Estados Unidos ou de um país europeu também precisam fazer o download de um ‘aplicativo móvel de proteção de segurança com auto-quarentena’.

Cingapura

Cingapura restringiu a entrada e o trânsito de todos os visitantes de curta duração que não são residentes de Cingapura, Cidadãos e Residentes Permanentes de Cingapura ou Portadores de Passe de Longo Prazo (incluindo portadores de Passe de Trabalho, Passe de Estudante, Passe de Dependente e Passe de Visita de Longo Prazo )

 

Os viajantes que ingressam em Cingapura devem se auto-isolar por 14 dias em uma instalação dedicada ao Stay-Home-Notice (SHN).

 

Passe de visita de longo prazo e passe de visita de longo prazo Os titulares de aprovação de princípios emitidos pela ICA também precisam de uma Carta de entrada aprovada (ALE) da ICA.

 

Os portadores de Passe de Estudante e os de Aprovação de Princípio de Passe de Estudante também precisam de uma ALE do Ministério da Educação (MOE).

Os titulares de passes de trabalho novos e existentes só podem entrar em Cingapura com a aprovação prévia do Ministério da Mão de Obra (MOM). Eles devem mostrar a carta de aprovação do MOM à equipe da companhia aérea no check-in e antes do embarque, bem como aos oficiais da ACI no ponto de verificação da imigração após a chegada a Cingapura.

 

Visitantes de curto prazo com um AEA da ACI, Ministério do Comércio e Indústria (MTI), Ministério das Relações Exteriores (MFA) ou Ministério da Saúde ainda podem entrar no país. No entanto, eles ainda podem estar sujeitos a exames de saúde na chegada. Ter um ALE não garante um Visit Pass para entrar em Cingapura.

 

Todos os viajantes que entram em Cingapura, incluindo cidadãos de Cingapura, residentes permanentes e portadores de passe de longo prazo (LTP) devem enviar uma declaração de saúde por meio do e-Service SG Arrival Card (SGAC), em https://eservices.ica.gov.sg / sgarrivalcard ou o aplicativo móvel.

 

As companhias aéreas são solicitadas a informar os passageiros no check-in e antes do embarque, bem como a bordo, para enviar sua declaração de saúde pelo SGAC e-Service antes da chegada a Cingapura. O cartão de embarque / desembarque em papel foi descontinuado e não é mais distribuído pelas companhias aéreas que operam em Cingapura.

China

A China restringiu a entrada e o trânsito a todos os viajantes, exceto cidadãos chineses, portadores de passaporte de Hong Kong, Macau ou Taiwan e viajantes com vistos diplomático, de serviço, de cortesia ou vistos C emitidos após 28 de março de 2020. 

 

Os viajantes que chegarem no aeroporto de PEK receberão um teste de PCR e ficarão em quarentena por 14 dias em um local designado em Pequim.  

 

Os viajantes que chegam a Shanghai Pudong (PVG) ou Shanghai Hongqiao (SHA) devem passar pelo Teste de Ácido Nucleico (NAT) e uma quarentena de 14 dias em locais designados para observação médica.

Tripulantes de companhias aéreas com escala nos aeroportos acima devem passar pelo NAT dentro do terminal de passageiros e depois se auto-isolar no hotel temporariamente antes de obter os resultados do NAT.  

 

Tripulantes de companhias aéreas que chegarem aos aeroportos acima ficarão em quarentena após seu último turno e deverão se auto-isolar em hotéis para tripulação durante os intervalos de turnos.  

 

Os viajantes que chegam a Guangzhou (CAN) ou Shenzhen (SZX) que moram ou estiveram na França, Alemanha, Irã, Itália, Japão, Coreia do Sul, Espanha ou Estados Unidos nos últimos 14 dias devem passar por quarentena de 14 dias em casa ou em locais designados para observação médica. Todos os passageiros que chegarem ao SZX farão um teste de PCR.  

 

Os viajantes que chegarem ao XMN ficarão em quarentena para observação médica em hotéis designados por 14 dias e deverão arcar com os custos. Isso não se aplica a viajantes menores de 18 anos ou acima de 70 anos, mulheres grávidas e viajantes que sofrem de doenças, que devem solicitar permissão para passar uma quarentena de 14 dias em casa.

Hong Kong

Hong Kong restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam portadores de passaporte de Hong Kong, portadores do Cartão de Identidade Permanente, portadores de visto de trabalho ou estudo ou portadores de passaporte britânico com nacionalidade “British Nationality (Overseas)” com o direito de residir em Hong Kong.

 

Os viajantes que estiveram apenas na China, Taiwan ou Macau nos últimos 14 dias ainda poderão entrar. Os residentes de Macau serão imediatamente levados de volta a Macau de ônibus ao chegar.

 

Também poderão entrar os tripulantes de companhias aéreas, funcionários do governo, cônjuges e filhos menores de residentes de Hong Kong e trabalhadores endossados pelo governo da RASHK para participar de trabalho antiepidêmico.

Todos os viajantes qualificados para entrar em Hong Kong devem apresentar um Formulário de Declaração de Saúde preenchido ao Departamento de Saúde na chegada e devem passar 14 dias em quarentena obrigatória.

Macau

Macau restringiu a entrada de todos os viajantes que residem ou estiveram na província chinesa de Hubei nos últimos 14 dias, a menos que forneçam um certificado válido de que não possuem a COVID-19.

 

Portadores de passaporte e residentes de Macau que estiveram na província de Hubei nos últimos 14 dias devem preencher um Formulário de Declaração de Saúde.

 

Os viajantes que estiveram no Irã, na Itália ou na Coreia do Sul estarão sujeitos a quarentena por 14 dias.

Taiwan

Taiwan restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam portadores de passaporte da República da China, portadores de Certificado de Residente Estrangeiro, “AUTORIZAÇÃO ESPECIAL DE ENTRADA PARA PORTADORES DE VISTO COVID-19” ou diplomatas.

 

Todos os viajantes devem passar por uma quarentena doméstica de 14 dias após a chegada.

 

Taiwan restringiu todos os viajantes de transitar pelo país.

Índia

A Índia suspendeu todos os voos para o país até pelo menos 3 de maio de 2020.

Esta restrição não se aplica a voos de carga aérea que transportam mercadorias para comércio ou bens e suprimentos essenciais, e seus tripulantes, ajudantes, faxineiros, etc.

Indonésia

A Indonésia restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam cidadãos da Indonésia, titulares de Permissão de Permanência Temporária (ITAS) e de Permanência Permanente (ITAP), tripulação de companhias aéreas, diplomatas, trabalhadores de ajuda humanitária e estrangeiros trabalhando em projetos estratégicos nacionais.

 

Todos os viajantes que entram no país que não sejam cidadãos da Indonésia não devem ter estado na China, França, Alemanha, Irã, Itália, Coréia do Sul, Espanha, Suíça, Reino Unido ou Cidade do Vaticano nos últimos 14 dias e devem apresentar um certificado de saúde válido em inglês emitido por uma autoridade sanitária de seus respectivos países.

 

O certificado deve ser válido dentro de 7 dias e indicar que o passageiro está livre de doenças respiratórias e está ‘apto para viajar’. Ele também deve conter o resultado do teste de PCR. Esses viajantes também devem concordar com a auto-quarentena por 14 dias e preencher uma declaração de conformidade na chegada.

 

Além disso, todos os viajantes que chegam de países com casos confirmados de coronavírus devem enviar um formulário de declaração de saúde na chegada.

O certificado deve ser válido dentro de 7 dias e indicar que o passageiro está livre de quaisquer doenças respiratórias. Esses viajantes também devem concordar em permanecer em quarentena por 14 dias e preencher uma declaração de conformidade na chegada.

Malásia

A Malásia restringiu a entrada a todos os viajantes, exceto os cidadãos, residentes permanentes com um cartão MyPR, diplomatas, funcionários da embaixada e cônjuges ou filhos de cidadãos da Malásia, que devem ter um visto com etiqueta autocolante no passaporte, indicando especificamente esse status.

 

Os viajantes com uma licença da Malaysia Second Second Home (MM2H) também podem entrar no país. Eles devem ter um resultado negativo no teste COVID-19 antes do voo para a Malásia.

 

Todos os viajantes que chegarem estarão sujeitos a uma quarentena de 14 dias em uma estação de quarentena designada no momento da chegada.

Para os cidadãos da Malásia, o governo arcará com o custo de MYR 150 por dia pela quarentena. Outros viajantes deverão arcar com todos os custos.

 

Os viajantes não podem se transferir de voos internacionais para voos domésticos, exceto para cidadãos da Malásia que estão viajando para Sabah ou Sarawak.

Emirados Árabes Unidos

Os Emirados Árabes Unidos suspenderam todos os voos até segunda ordem.  

 

Isso não se aplica a voos domésticos, sobrevoos e aeronaves usadas para evacuação autorizadas pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros e Cooperação Internacional dos Emirados Árabes Unidos.  

 

Aeronaves registradas nos Emirados Árabes Unidos que estavam fora da base antes de 24 de março de 2020 às 23h59 terão permissão para retornar à base transportando apenas cidadãos dos Emirados Árabes Unidos e tripulantes operacionais.  

 

Todos os voos de evacuação devem ter dados de passageiros e dados da tripulação, e todos os voos de balsas devem ter dados da tripulação.

Afeganistão

O Afeganistão suspendeu a maioria dos voos internacionais das companhias aéreas afegãs.

Todos os voos da Ariana Afghan Airlines e Kam Air foram suspensos, exceto os de Dubai e Paquistão. Todos os vôos entre Cabul e Herat foram suspensos.

Azerbaijão

O Azerbaijão restringiu a entrada a todos os viajantes, exceto cidadãos, residentes, viajantes com permissão de trabalho ou viajantes com permissão especial do governo. 

 

Um Formulário de Localizador de Passageiros para Saúde Pública deve ser apresentado à chegada. Todos os viajantes serão testados para o coronavírus (COVID-19) na chegada e estão sujeitos a uma quarentena de 14 dias. 

 

A emissão de vistos eletrônicos e vistos na chegada foi suspensa.

Bangladesh

Bangladesh restringiu a entrada a viajantes que estiveram na Áustria, Bélgica, Bulgária, Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Irã, Irlanda, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Países Baixos, Polônia, Portugal, Romênia, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia ou Suíça desde 1º de março de 2020. Isso não se aplica a diplomatas e suas famílias.

Os nacionais dos países acima mencionados que residem fora da região da UE ou do Irã desde 29 de fevereiro de 2020 ainda podem viajar para Bangladesh com um visto.

O visto na chegada foi suspenso.

Os viajantes com vistos pré-agendados devem ter atestados médicos emitidos dentro de 72 horas antes da partida, informando que não são afetados pelo coronavírus (COVID-19). Os certificados devem estar em inglês ou traduzidos para o inglês. Isso não se aplica a diplomatas e suas famílias.

Os viajantes que não enviarem o atestado médico acima ficarão institucionalmente em quarentena em Daca por 14 dias. Os viajantes com origem em Bangladesh que enviarem o atestado médico acima e não apresentarem sintomas do COVID-19 ficarão em casa em Daca por 14 dias. Os mesmos viajantes que apresentam sintomas ficarão institucionalmente em quarentena em Daca por 14 dias.

Os vôos internacionais que chegam do Bahrein, Butão, Hong Kong, Índia, Kuwait, Malásia, Maldivas, Omã, Catar, Arábia Saudita, Sri Lanka, Cingapura, Tailândia, Turquia, Emirados Árabes Unidos ou Reino Unido estão suspensos até pelo menos 30 de abril de 2020.

Bahrain

O Bahrein restringiu a entrada e o trânsito a viajantes que estiveram na Áustria, Bélgica, China, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Irã, Iraque, Coreia, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suíça, Reino Unido ou Estados Unidos nos últimos 14 dias. Isso não se aplica a cidadãos do Bahrein, Kuwait, Omã, Catar, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos, residentes do Bahrein, tripulantes de companhias aéreas, militares ou viajantes com aprovação especial.

 

Os viajantes que estiveram em Hong Kong, Itália, Japão, Líbano, Malásia, Singapura ou Tailândia nos últimos 14 dias devem ter um visto válido antes da chegada. Isso não se aplica a cidadãos do Bahrein, Kuwait, Omã, Catar, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos, residentes do Bahrein, tripulantes de companhias aéreas, militares ou viajantes com aprovação especial.

 

O visto na chegada foi suspenso, exceto para diplomatas ou viajantes com passaporte da ONU. 

 

Todos os passageiros que chegarem ao Bahrein serão submetidos a exames de coronavírus (COVID-19) e estão sujeitos a quarentena.

 

A passagem de fronteira pela ponte foi suspensa.

Butão

O Butão fechou suas fronteiras.  

Cidadãos butaneses podem entrar no país, mas serão mantidos em quarentena obrigatória. Serviços essenciais como alimentos, remédios e combustível ainda podem entrar no país.

Brunei

O Brunei restringiu a entrada e o trânsito a todos os viajantes, exceto cidadãos e residentes.

 

Todas as emissões e isenções de vistos estão suspensas.

 

Os viajantes de outros países que desejam entrar no Brunei podem solicitar ao Departamento de Imigração de Brunei uma autorização especial para entrar no país fazendo o download do formulário fornecido no site do Departamento em www.immigration.gov.bn. Os viajantes que receberam autorização prévia para entrar no Brunei estão sujeitos ao teste de COVID-19 ao custo de BND1000.

Camboja

O Camboja restringiu a entrada a todos os viajantes vindos da França, Alemanha, Irã, Itália, Espanha ou Estados Unidos. Isso não se aplica a cidadãos e residentes do Camboja.

Cidadãos, residentes, diplomatas e funcionários estrangeiros que vivem na França, Alemanha, Irã, Itália, Espanha ou Estados Unidos nos últimos 14 dias estarão sujeitos a uma quarentena de 14 dias após a chegada. Isso não se aplica à tripulação da companhia aérea.

Todas as isenções de visto, vistos na chegada e vistos eletrônicos são suspensos até pelo menos 30 de abril de 2020.

Todos os estrangeiros que chegam devem ter atestados médicos oficiais emitidos por seus países de origem, atestando que não deram positivo para o COVID-19 até 72 horas antes da data da viagem. Eles também devem ter prova de apólices de seguro com cobertura médica mínima de US $ 50.000.

 

Irã

O Irã restringiu a entrada de cidadãos dos Emirados Árabes Unidos.

 

Cidadãos da China, Hong Kong e Macau, os portadores de passaporte não estão mais isentos de visto. Eles podem obter um visto na chegada.

 

Os viajantes que entram no Irã devem apresentar um formulário de autodeclaração referente ao COVID-19. Eles estarão sujeitos a exames médicos e quarentena na chegada.

Iraque

O Iraque suspendeu todos os voos, exceto voos da Cruz Vermelha, humanitários, evacuação médica, repatriação, emergência e militares.

Israel

Israel restringiu a entrada de todos os viajantes que não são nacionais ou residentes de Israel.

Os viajantes que possuem aprovação específica da população e da Autoridade de Imigração de Israel ainda podem entrar no país.

Além disso, as instalações de trânsito em Tel Aviv (TLV) estão temporariamente suspensas.

Todos os viajantes internacionais que chegarem ficarão em quarentena por 14 dias em uma instalação designada pelo governo.

Jordânia

A Jordânia restringiu a entrada de todos os viajantes.  

 

 s voos de emergência, ajuda humanitária, medicamentos, repatriação, das Nações Unidas e diplomáticos ainda podem entrar no país. Paradas técnicas que não exigem que os passageiros desembarquem também podem entrar no país.

Cazaquistão

O Cazaquistão fechou todos os aeroportos para voos internacionais até pelo menos 30 de abril de 2020, exceto voos estatais, voos de balsa, voos sanitários e pousos técnicos para fins de reabastecimento.  

 

Cidadãos do Cazaquistão, portadores de autorização de residência e suas famílias ainda podem entrar no país.  

 

Diplomatas e suas famílias, tripulantes de companhias aéreas, pessoal de transporte e trabalhadores transfronteiriços também podem entrar no país.

Kuwait

O Kuwait restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos do Kuwait, suas famílias imediatas e trabalhadores domésticos acompanhados por um cidadão do Kuwait. Todos os itens acima devem ter uma autorização OK TO TRAVEL obtida da embaixada do Estado do Kuwait.

 

Portadores de passaporte diplomático, portadores de passaporte da ONU e membros da UNESCO com aprovação prévia das autoridades governamentais também podem entrar no país.

 

Todos os viajantes devem instalar o aplicativo ‘Shlonik’ em seu dispositivo pessoal antes da partida. A DGCA do Kuwait será informada de qualquer viajante que não possa instalar o aplicativo e eles deverão apresentar seu cartão de embarque na chegada.

Quirguistão

O Quirguistão suspendeu todos os voos.

Laos

Os viajantes devem obter um visto e aprovação antes de chegar ao Laos.

 

O Laos suspendeu a emissão de vistos. As isenções de visto para viajantes com passaporte normal estão suspensas. 

Líbano

O Líbano suspendeu todos os voos para o país até pelo menos 26 de abril de 2020.

Diplomatas, funcionários de organizações internacionais, forças da UNIFIL, militares e funcionários de empresas associadas a operações de perfuração no Bloco No. 4 ainda podem entrar no país.

Maldivas

As Maldivas restringiram a entrada de todos os viajantes turistas ou tripulantes de companhias aéreas que estiveram em Bangladesh, China, Irã, Itália, Malásia, Espanha, Sri Lanka, Reino Unido ou nas Províncias de Gyeongsang do Norte e Gyeongsang do Sul na Coréia do Sul, Ile-de-France e Grand Est (regiões da França) e Baviera, Renânia do Norte-Vestfália e Baden-Wuerttemberg (regiões da Alemanha) nos últimos 14 dias. Todos os vistos na chegada estão suspensos.

Os nacionais das Maldivas e seus cônjuges ainda podem entrar no país; eles estarão sujeitos a quarentena de 14 dias na chegada. As transportadoras que pretendem transportar nacionais das Maldivas em voos de entrada devem solicitar a aprovação prévia das autoridades relevantes.

 

Todos os viajantes que chegarem às Maldivas com um objetivo diferente do turismo ficarão em quarentena por 14 dias em um local designado pelo governo. Todos os viajantes devem apresentar um “Cartão de Declaração de Saúde” e um “Cartão de Chegada da Imigração” no momento da chegada.

O Aeroporto de Velana (MLE) está fechado e só está disponível para vôos médicos (ambulâncias aéreas), humanitários ou não programados com um mínimo de 3 horas de antecedência e aprovação.

Mongólia

A Mongólia restringiu a entrada a todos os viajantes, exceto aos cidadãos ou residentes que são familiares diretos de um cidadão. Eles estarão sujeitos a uma quarentena de 21 dias em uma instalação designada na chegada, seguidos por um período de 14 dias de auto-isolamento em casa.

 

Funcionários credenciados de missões diplomáticas e escritórios de organizações internacionais na Mongólia e seus familiares diretos ainda podem entrar no país. Eles estarão sujeitos a uma quarentena de 21 dias em uma instalação designada na chegada, seguidos por um período de 14 dias de auto-isolamento em casa.

 

Motoristas internacionais de transporte de carga e pessoal de trem ferroviário da Mongólia, Rússia e China também podem entrar no país.

Mianmar

Mianmar suspendeu todos os voos internacionais recebidos até pelo menos 30 de abril de 2020, exceto vôos de emergência, vôos de evacuação médica e vôos aprovados pelo Departamento de Aviação Civil.

Mianmar suspendeu todas as emissões de vistos até 30 de abril de 2020.

Nepal

O Nepal suspendeu todos os voos internacionais até pelo menos 30 de abril de 2020.

Os voos de evacuação, resgate e emergência, e os voos com permissão especial da Autoridade de Aviação Civil ainda podem entrar no país.

Coreia do Norte

A Coreia do Norte restringiu a entrada de todos os viajantes que sejam turistas, e os viajantes que visitam por motivos comerciais devem passar 14 dias em quarentena na chegada.

Omã

Omã restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos de Omã.

Paquistão

O Paquistão suspendeu todos os voos internacionais até pelo menos 30 de abril de 2020.

 

Categorias especiais de voos que foram aprovados para o transporte de passageiros ociosos ainda podem entrar no país, mas todos os viajantes devem passar por procedimentos completos, incluindo teste de cotonete e auto-isolamento ou quarentena.

Palestina

A Palestina começou a colocar em quarentena todos os viajantes que chegam do exterior. 

Filipinas

As Filipinas fecharam seus aeroportos para todos os voos, exceto para repatriação, voos médicos e de emergência.

Os viajantes que transitaram ou estiveram no Irã ou na Itália nos últimos 14 dias devem apresentar uma Aprovação Médica ou Certificado de Declaração de Saúde, emitido pela Autoridade de Saúde dentro de 48 horas antes da chegada, para certificar de que estão livres do coronavírus (COVID-19). Isso não se aplica a cidadãos, cônjuges e filhos de cidadãos ou residentes permanentes. 

 

Os viajantes sob as seguintes categorias de vistos não podem entrar nas Filipinas: Acordos de Isenção de Vistos, Vistos Especiais, Ordem Executiva Nº408, s1960 (EO408); portadores de passaporte de Hong Kong, Macau, Macau-português e cidadão britânico no exterior, ou portadores de visto de imigrante e não imigrante (ou seja, 13, 9D, 9F, 9G, 47a (2), etc.). Isso não se aplica a cônjuges e filhos estrangeiros de cidadãos filipinos, membros de governos estrangeiros e organizações internacionais com vistos emitidos pelo governo filipino ou tripulantes estrangeiros.

Catar

O Catar restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos e residentes permanentes do Catar.

Arábia Saudita

A Arábia Saudita restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos da Arábia Saudita.

Sri Lanka

O Sri Lanka fechou todos os aeroportos.

O Aeroporto Internacional de Bandaranaike (CMB) ainda está aceitando determinadas categorias especiais de vôos, incluindo vôos de emergência, vôos de ajuda humanitária, operações de cargueiros e pousos técnicos.

Todos os viajantes que chegam devem enviar os Formulários de Declaração de Saúde preenchidos aos inspetores de saúde pública ou outros funcionários autorizados. O tempo máximo de trânsito permitido na CMB é de 12 horas. Os passageiros devem ter uma conexão confirmada em diante.

A tripulação da companhia aérea deve se auto-colocar em quarentena no local mencionado no Formulário de Declaração de Saúde e fazer as refeições apenas durante as refeições no quarto até que operem seu próximo voo.

Os vistos e ETAs emitidos pelo Sri Lanka foram invalidados.

Síria

A Síria suspendeu todos os voos a partir de 22 de março de 2020.

Tajiquistão

O Tajiquistão restringiu a entrada a viajantes que estiveram no Afeganistão, Bélgica, China, Dinamarca, Alemanha, Grã-Bretanha, Irã, Itália, França, Coreia do Sul, Espanha, Suécia, Suíça, Noruega, Holanda ou Estados Unidos. 

 

Os viajantes que chegarem dos países acima estarão sujeitos a quarentena por 14 dias após a chegada.

Tailândia

A Tailândia suspendeu todos os voos para o país.

 

Desembarques de emergência, voos de ajuda humanitária, voos médicos ou de socorro, voos de repatriamento e carga, aeronaves estatais ou militares e pousos técnicos sem desembarque ainda podem entrar no país.

 

Todos os viajantes que chegarem estarão sujeitos a quarentena por 14 dias.

Timor-Leste

Timor-Leste restringiu a entrada de todos os viajantes que visitaram ou transitaram pela China, Coreia do Sul, Itália ou Irã nas quatro semanas anteriores.

Turquia

A Turquia restringiu a entrada de viajantes que transitaram ou estiveram nos seguintes países nos últimos 14 dias, são portadores de passaporte dos seguintes países ou chegam dos seguintes países: Argélia, Angola, Áustria, Azerbaijão, Bangladesh, Bélgica, Bulgária, Camarões, Canadá, Chade, China, Colômbia, Costa do Marfim, República Tcheca, Dinamarca, Djibuti, Dominica, Equador, Egito, Guiné Equatorial, Finlândia, França, Geórgia, Alemanha, Grécia. Guatemala, Hungria, Índia, Irã, Iraque, Irlanda, Itália, Jordânia, Cazaquistão, Quênia, Kosovo, Kuwait, Letônia, Líbano, Mauritânia, Moldávia, Mongólia, Montenegro, Marrocos, Nepal, Holanda, Níger, Macedônia do Norte, Noruega , Omã, Panamá, Peru, Filipinas, Polônia, Portugal, Arábia Saudita, Eslovênia, Espanha, Sri Lanka, Coréia do Sul, Sudão, Suécia, Suíça, Taiwan, Tunísia, Ucrânia, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido e Uzbequistão.

 

Todos os viajantes que chegarem à Turquia estarão sujeitos a um período de quarentena de 14 dias.

Argélia, Angola, Áustria, Azerbaijão, Bangladesh, Bélgica, Bulgária, Camarões, Canadá, Chade, China, Colômbia, Costa do Marfim, República Tcheca, Dinamarca, Djibuti, Dominica, Equador, Egito, Guiné Equatorial, Finlândia, França, Geórgia, Alemanha, Grécia. Guatemala, Hungria, Índia, Irã, Iraque, Irlanda, Itália, Jordânia, Cazaquistão, Quênia, Kosovo, Kuwait, Letônia, Líbano, Mauritânia, Moldávia, Mongólia, Montenegro, Marrocos, Nepal, Holanda, Níger, Macedônia do Norte, Noruega , Omã, Panamá, Peru, Filipinas, Polônia, Portugal, Arábia Saudita, Eslovênia, Espanha, Sri Lanka, Coreia do Sul, Sudão, Suécia, Suíça, Taiwan, Tunísia, Ucrânia, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido e Uzbequistão .  

 

O Aeroporto Internacional Sabiha Gokcen (SAW) está fechado até 30 de abril de 2020.

Turcomenistão

O Turcomenistão suspendeu todos os voos para o país até pelo menos 20 de maio de 2020.

 

Os voos de repatriamento de cidadãos e residentes do Turcomenistão ainda podem entrar no país.

 

Os viajantes devem ter um relatório de saúde das organizações de saúde do país de origem, que mostra que foram submetidos ao teste de Coronavírus (COVID-19) e tiveram resultado negativo.

Uzbequistão

O Uzbequistão suspendeu todos os voos para o país.

Vietnã

O Vietnã restringiu toda a entrada a viajantes, exceto cidadãos, diplomatas e trabalhadores altamente qualificados, especialistas, gerentes de negócios e outros que foram aprovados pelo Comitê Diretor Nacional de Prevenção e Controle do COVID-19. Quem viajar para fins oficiais estará sujeito a exame médico na fronteira antes de entrar no Vietnã.

 

Todos os viajantes estão sujeitos a uma quarentena de 14 dias e devem preencher um formulário de quarentena antes da chegada.

O Aeroporto Internacional Noi Bai (HAN) está suspendendo temporariamente todos os voos.

 

Todos os seguros de visto estão suspensos. Cidadãos da Itália, Coreia do Sul, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Noruega, Espanha, Suécia e passageiros com passaporte britânico não estão mais isentos de visto.

 

Os viajantes com um certificado de isenção de visto emitido pelo Vietnã que residem na China, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Irã, Itália, Coreia do Sul, Noruega, Espanha, Suécia ou Reino Unido não estão mais isentos de visto.

 

Cidadãos da Bielorrússia, Japão e Rússia com passaporte normal ou certificado de isenção de visto não estão mais isentos de visto.

Iêmen

O Iêmen suspendeu todos os voos de e para o Aeroporto Internacional de Sanaa.

 

Voltar

Oceânia

Austrália

A Austrália restringiu a entrada de todos os viajantes, com exceção dos nacionais australianos e residentes permanentes e seus familiares imediatos, cidadãos da Nova Zelândia residentes na Austrália, diplomatas credenciados na Austrália e residentes na Austrália e seus familiares imediatos e tripulação de companhias aéreas.

 

Cidadãos das Ilhas Cook, Fiji, Polinésia Francesa, Kiribati, Ilhas Marshall, Micronésia (Estados Federados), Nauru, Nova Caledônia, Nova Zelândia, Niue, Palau, Papua Nova Guiné, Samoa Americana, Ilhas Salomão, Tonga, Tuvalu, e Vanuatu ainda pode entrar na Austrália se estiver em trânsito pela Austrália para seu país de origem. O voo subsequente deve ocorrer dentro de 72 horas após a chegada à Austrália. O mesmo se aplica aos viajantes que residem nas Ilhas Cook, Polinésia Francesa ou Nova Caledônia.

 

Todos os viajantes que entram na Austrália devem se auto-isolar por um período de 14 dias após sua chegada à Austrália. Se a duração da estadia for inferior a 14 dias, eles deverão se auto-isolar por toda a duração. A tripulação de companhias aéreas cidadãos ou residentes da Austrália deve se auto-isolar em seu local de residência (ou hotel) entre os voos ou por 14 dias, o que for menor. Os tripulantes das companhias aéreas que não são nacionais ou residentes da Austrália devem se auto-isolar em seu hotel na chegada até o próximo voo.

 

Cidadãos da Austrália não podem viajar para fora da Austrália, exceto pessoas que residem regularmente em outro país, companhia aérea e tripulação marítima, pessoal de frete, pessoal de instalações offshore, pessoal do governo e pessoal da Força de Defesa Australiana.

Todos os viajantes que entrarem na Austrália receberão um cartão de entrada de passageiros (IPC) e um cartão de declaração de isolamento. Eles estarão sujeitos a uma triagem de saúde na chegada e deverão se auto-isolar por um período de 14 dias após a chegada à Austrália.

 

Se a duração da estadia for inferior a 14 dias, eles deverão se auto-isolar por toda a duração. A tripulação de companhias aéreas nacionais ou residentes da Austrália deve se auto-isolar em seu local de residência (ou hotel) entre os voos ou por 14 dias, o que for menor. Os tripulantes das companhias aéreas que não são nacionais ou residentes da Austrália devem se auto-isolar em seu hotel na chegada até o próximo voo.

 

Nacionais da Austrália não podem viajar para fora da Austrália, exceto pessoas que residem regularmente em outro país, companhia aérea e tripulação marítima, pessoal de frete, pessoal de instalações offshore, pessoal do governo e pessoal da Força de Defesa Australiana.

Nova Zelândia

A Nova Zelândia restringiu a entrada a todos os viajantes que não são nacionais da Nova Zelândia (Ilhas Cook, Niue, Tokelau), residentes permanentes, portadores de visto e suas famílias imediatas.

 

Cidadãos australianos que residem principalmente na Nova Zelândia e diplomatas credenciados que atualmente residem na Nova Zelândia também podem entrar no país.

 

Todos os viajantes acima estarão sujeitos a isolamento obrigatório em uma instalação governamental por 14 dias após a chegada, a menos que sejam tripulantes de avião ou pessoas em trânsito.

 

Os viajantes só podem fazer trânsito na Nova Zelândia se forem cidadãos ou residentes australianos a caminho da Austrália ou se tiverem a aprovação do governo.

 

A tripulação da companhia aérea deve usar equipamento de proteção individual (EPI) apropriado.

 

Todos os viajantes acima deverão se auto-isolar por 14 dias.

 

Trabalhadores essenciais de saúde, humanitários e de assistência designados pelo governo e cidadãos de Samoa e Tonga que estiverem em viagens essenciais para a Nova Zelândia também podem entrar no país.

Samoa Americana

As permissões de entrada, normalmente emitidas pela Samoa Americana em vez de vistos, estão atualmente suspensas. 

 

Residentes da Samoa Americana com autorização de residência ou aprovação do Conselho de Imigração ainda podem entrar no território, assim como cidadãos dos EUA, mas os viajantes que transitaram ou estiveram no Arizona, Califórnia, Flórida, Geórgia, Havaí, Illinois, Massachusetts, New Hampshire, Nova York, Carolina do Norte, Oregon, Rhode Island, Texas, Washington ou Wisconsin estão sujeitos a uma triagem de Saúde Pública e podem ser colocados em quarentena médica ou doméstica após a chegada.

Os passageiros que chegarem da Samoa devem obter uma autorização de saúde do Ministério da Saúde (MOH) três dias antes da chegada e apresentar um “Formulário de Declaração de Viagem DOT” no momento da chegada.

 

Os passageiros que chegarem do Havaí e transitaram ou estiveram em países afetados pelo coronavírus (COVID-19) devem passar 14 dias no Havaí e obter uma autorização de saúde três dias antes da chegada à Samoa Americana. Eles também deverão apresentar um “Formulário de Declaração de Viagem DOT” e fornecer seu itinerário na chegada.

Ilhas Cook

As Ilhas Cook restringiram a entrada a todos os viajantes que transitaram ou estiveram em qualquer outro país que não as Ilhas Cook e a Nova Zelândia nos últimos 14 dias.

 

Cidadãos e residentes das Ilhas Cook e Nova Zelândia e seus familiares imediatos ainda podem entrar nas Ilhas Cook, assim como cidadãos e residentes australianos que normalmente residem na Nova Zelândia e seus familiares imediatos. Os viajantes com uma permissão de trabalho emitida pelas Ilhas Cook também podem entrar no país junto com seus familiares imediatos.

Fiji

Fiji restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam cidadãos de Fiji e devem entrar em quarentena por 14 dias após a chegada.

Polinésia Francesa

A Polinésia Francesa restringiu a entrada de todos os viajantes que não são residentes.

Todos os viajantes que chegam devem ter um Certificado de Viagem Internacional para entrar e transitar na Polinésia Francesa, que deve ser obtido antes da partida pelos escritórios consulares franceses no exterior ou on-line em https://www.interieur.gouv.fr.

Guam

Guam restringiu a entrada de todos os viajantes que estiveram em um país com casos confirmados de COVID-19 por mais de uma semana e não possuem um documento certificado pelo DPHSS (Departamento de Saúde e Serviços Sociais de Guam) que confirma que não estão infectados com COVID-19.

 

A data do teste não deve ser superior a 72 horas antes da data de chegada. Os viajantes que entrarem em Guam sem a documentação adequada serão colocados em quarentena. Os residentes de Guam ainda podem entrar no país.

Kiribati

Tarawa (TRW) está fechado até pelo menos 30 de abril de 2020.

Ilhas Marshall

As Ilhas Marshall restringiram todos os viajantes de entrar no país até pelo menos 5 de maio de 2020.

Micronésia

Os Estados Federados da Micronésia não restringiram a entrada no país, mas existem restrições para os estados de Pohnpei e Chuuk. 

 

Viajantes não podem entrar no estado de Pohnpei. Os residentes de Pohnpei e os trabalhadores médicos e técnicos ainda podem entrar no estado, mas serão obrigados a apresentar um atestado médico e se colocar em quarentena por 14 dias.

 

 

Os viajantes que desejam entrar no estado de Chuuk só poderão entrar após ficarem em quarentena por 14 dias em um país livre da COVID-19 antes da partida. Eles também ficarão em quarentena por 14 dias após sua chegada à Micronésia. Todos os viajantes e tripulantes de companhias aéreas devem passar por exames médicos ao chegar à Micronésia.

Palau

Palau restringiu a entrada de viajantes que transitaram ou estiveram na China, Hong Kong ou Macau nos últimos 14 dias.

Papua Nova Guiné

Papua Nova Guiné restringiu a entrada de todos os viajantes que estiveram na China, Irã, Itália, Japão ou Coreia do Sul nos últimos 14 dias. 

 

Outros viajantes ainda podem entrar no país, desde que tenham passado 14 dias consecutivos em um país livre de coronavírus (COVID-19).

Samoa

Samoa restringiu a entrada de viajantes que transitaram ou estiveram na Austrália, Áustria, Bahrein, Bélgica, Canadá, China, Taiwan, República Tcheca, Dinamarca, França, Alemanha, Grécia, Hong Kong, Islândia, Itália, Irã, Japão, Coreia do Sul, Kuwait, Luxemburgo, Macau, Malásia, Holanda, Noruega, Catar, Singapura, Espanha, Suécia, Suíça, Tailândia, Emirados Árabes Unidos ou Estados Unidos. 

Os viajantes que chegarem de outros países ainda poderão entrar na Samoa, desde que tenham passado pelo menos 14 dias em quarentena no país do último embarque e tenham recebido uma Autorização Médica dentro de 3 dias antes da rota final para a Samoa. O mesmo se aplica aos portadores de passaporte samoano e residentes permanentes da Samoa e da Samoa Americana. Uma triagem obrigatória de todos os passageiros e tripulantes que chegam à Samoa está em vigor em todos os portos de entrada. Todos os viajantes devem cumprir com os requisitos e apresentar documentos adicionais quando solicitados. Todos os passageiros deverão preencher um Cartão Especial de Declaração de Saúde a bordo ou ao chegar à Samoa.

Ilhas Salomão

As Ilhas Salomão restringiram a entrada de todos os viajantes que não sejam residentes e cidadãos das Ilhas Salomão, ou viajantes com autorização prévia por escrito emitida pelo Primeiro-Ministro. 

 

Os viajantes que estiveram em países com casos confirmados de coronavírus (COVID-19) serão colocados em quarentena por um período de 14 dias após a chegada. Um cartão preenchido de declaração de saúde pública do viajante deve ser apresentado à chegada.

Tonga

Tonga restringiu a entrada de viajantes e tripulantes de companhias aéreas que chegarem de ou transitaram pela China, Taiwan, Hong Kong ou Macau.

 

Cidadãos e residentes permanentes de Tonga e seus familiares imediatos ainda podem entrar em Tonga, assim como tripulantes de companhias aéreas em voos diretos da China usando equipamento de proteção individual (EPI) apropriado. 

Os viajantes que chegarem de outros lugares ainda poderão entrar em Tonga, desde que tenham ficado em um país sem casos confirmados de coronavírus (COVID-19) por pelo menos 14 dias consecutivos antes de entrar em Tonga. Eles deverão ter uma autorização médica oficial realizada dentro de 3 dias antes da chegada a Tonga. 

 

Todos os viajantes que chegarem devem preencher um ‘Cartão de Declaração de Saúde de Chegada do Viajante’ e enviá-lo ao Controle de Fontreiras do Ministério da Saúde quando chegarem a Tonga.

Tuvalu

Tuvalu fechou suas fronteiras.

Vanuatu

Vanuatu fechou todos os portos de entrada.

 

Voltar

PinterestWhatsApp