Restrições de viagem por país*

Este mapa mostra quais países têm restrições de entrada por via aérea para viagens ao país.
* O termo "países" inclui estados soberanos, territórios ultramarinos, países constituintes e regiões administrativas especiais.
Apenas cidadãos, residentes voltando para casa ou pessoas em outras circunstâncias especiais podem entrar no país.
103
países estão completamente fechados
nenhuma alteração desde ontem
Mais
A entrada no país pode depender da cidadania do viajante, seu ponto de origem ou outras regras específicas.
69
países estão parcialmente abertos
+1 desde ontem
Mais
O país anunciou uma data específica para a reabertura, mas alguns requisitos de entrada ainda podem ser aplicados.
11
países abrindo fronteiras em breve
+2 desde ontem
Mais
O país não possui restrições formais de entrada, mas ainda está monitorando a situação e pode ter outros avisos de viagem em vigor.
36
países não têm restrições de viagem
+2 desde ontem
Mais
Mantenha-se informado
Cadastre-se para receber alertas por e-mail conforme os países começam a reabrir. Personalize suas preferências para ver o melhor conteúdo para você.
Selecione países para os alertas
Receber alertas

Últimas notícias

Atualizado 9 jul 2020 9:44 EDT
Os Emirados Árabes Unidos restringiram a entrada de estrangeiros que não são residentes. Mais
Bonaire, Saba e Sint Eustatius começaram a relaxar suas restrições de viagem para viajantes que chegam de Aruba, Curaçao e da Europa. Mais
As Ilhas Salomão reabriram suas fronteiras a voos limitados; no entanto, eles têm políticas rigorosas de quarentena e teste em vigor. Mais
Barbados não tem nenhuma restrição de entrada, mas todos os viajantes que chegam e os tripulantes de companhias aéreas devem testar negativo para a COVID-19. Mais

Casos e viagens

Atualizado 9 jul 2020 9:44 EDT
Local Casos ativos Fronteiras
Mundo todo 4.877.519
Bandeira do US Estados Unidos 1.971.515 Parcialmente aberto
Bandeira do BR Brasil 494.836 Parcialmente aberto
Bandeira do IN Índia 264.944 Completamente fechado
Bandeira do GB Reino Unido 241.976 Sem restrições

Alertas para rotas específicas no KAYAK

Atualizado em: 9 jul 2020 9:44 EDT

Para os destinos que podem ter avisos de viagem em vigor emitidos pelas autoridades, estamos incluindo alertas em nosso site quando você fizer buscas, avisando que pode haver um problema com a sua rota.

África

Bandeira do AO

Angola

Angola suspendeu todos os voos internacionais até novo aviso.

Angola suspendeu todos os voos internacionais até novo aviso.

As fronteiras do país permanecem fechadas, exceto para movimentação de bens e serviços essenciais, ajuda humanitária e transporte de pacientes doentes.

Todos os viajantes, incluindo a tripulação, estão sujeitos a quarentena de 14 dias.

Angola: Atualmente há 248 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 21 mortes até 29 jun 2020

Bandeira do DZ

Argélia

A Argélia fechou suas fronteiras.

A Argélia fechou suas fronteiras.

Argélia: Atualmente há 3.817 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 968 mortes até 10 jun 2020

Bandeira do BJ

Benin

Benin fechou suas fronteiras terrestres e suspendeu todos os voos comerciais.

O Benin fechou suas fronteiras terrestres e suspendeu todos os voos comerciais. Todos os viajantes que entram no Benin devem se auto-colocar em quarentena por 14 dias após a chegada.

Benin: Atualmente há 845 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 21 mortes até 10 jun 2020

Bandeira do BW

Botsuana

Botsuana suspendeu voos e restringiu a entrada de todos os estrangeiros.

O Botsuana restringiu a entrada a todos os viajantes que chegarem da Áustria, Bélgica, China, Dinamarca, França, Alemanha, Índia, Irã, Itália, Japão, Coreia do Sul, Holanda, Noruega, Espanha, Suécia, Suíça, Estados Unidos ou Reino Unido. Isso não se aplica a cidadãos e residentes do Botsuana. Os viajantes estarão sujeitos a uma quarentena de 14 dias. Os viajantes não podem mais obter um visto ao chegar ao Botsuana. Os vistos emitidos para cidadãos da Áustria, Bélgica, China, Dinamarca, França, Alemanha, Índia, Irã, Itália, Japão, Coreia do Sul, Holanda, Noruega, Espanha, Suécia, Suíça, Estados Unidos e Reino Unido estão invalidados.

Botsuana: Atualmente há 282 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 1 morte até 8 jun 2020

Bandeira do BF

Burquina Faso

Burkina Faso restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos e residentes de Burkina Faso, voos humanitários, emergências medicas e repatriamento.

Burkina Faso restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos e residentes de Burkina Faso, voos humanitários, emergências médicas e repatriamento.

Todos os viajantes que chegam estão sujeitos a uma quarentena de 14 dias.

Burquina Faso: Atualmente há 90 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 53 mortes até 25 jun 2020

Bandeira do BI

Burundi

Burundi suspendeu todos os voos internacionais.

O Burundi suspendeu todos os voos internacionais a partir de 22 de março de 2020.

Burundi: Atualmente há 72 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 1 morte até 10 jun 2020

Bandeira do CV

Cabo Verde

Cabo Verde suspendeu todos os voos internacionais de passageiros.

Cabo Verde suspendeu todos os voos internacionais de passageiros.

Cabo Verde: Atualmente há 757 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 18 mortes até 10 jun 2020

Bandeira do CM

Camarões

Camarões suspendeu todos os voos internacionais.

Camarões suspendeu todos os vôos internacionais até novo aviso.

Camarões: Atualmente há 3.032 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 359 mortes até 10 jun 2020

Bandeira do TD

Chade

O Chade suspendeu todos os voos até, pelo menos, 15 de junho.

O Chade suspendeu todos os voos até pelo menos 15 de junho.

Chade: Atualmente há 11 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 74 mortes até 10 jun 2020

Bandeira do KM

Comores

Comores suspendeu todos os voos para o país.

Comores suspendeu todos os voos para o país.

Comores: Atualmente há 38 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 7 mortes até 10 jun 2020

Bandeira do CI

Costa do Marfim

A Costa do Marfim retomou voos com capacidade limitada. Somente cidadãos e residentes da Costa do Marfim podem entrar no país.

A Costa do Marfim retomou voos com capacidade limitada. Somente cidadãos e residentes da Costa do Marfim podem entrar no país.

Costa do Marfim: Atualmente há 5.631 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 76 mortes até 3 jul 2020

Bandeira do DJ

Djibouti

Djibuti suspendeu todos os voos para o país.

O Djibuti suspendeu todos os voos para o país.

Djibouti: Atualmente há 202 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 55 mortes até 10 jun 2020

Bandeira do EG

Egito

O Egito retomou voos comerciais para o país.

O Egito reabriu seus aeroportos para viajantes internacionais.

Os viajantes terão temperaturas medidas e serão solicitados a preencher um cartão de monitoramento com detalhes pessoais. Os viajantes que chegam do Egito do exterior devem se auto-isolar por 14 dias e se comprometer com as orientações preventivas de isolamento da Covid-19.

Os estrangeiros que não são residentes egípcios devem ter um seguro saúde para cobrir as despesas médicas no Egito.

Egito: Atualmente há 52.072 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 3.489 mortes até 2 jul 2020

Bandeira do ER

Eritreia

A Eritreia não implementou quaisquer restrições de entrada, mas os viajantes que chegarem serão triados no Aeroporto Internacional de Asmara (ASM).

A Eritreia não implementou nenhuma restrição de entrada, mas os viajantes que chegarem serão rastreados no Aeroporto Internacional de Asmara (ASM). Os viajantes que chegam da China devem relatar seu histórico de viagem e podem ficar em quarentena nos hospitais designados.

Eritreia: Atualmente há 159 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 0 morte até 10 jun 2020

Bandeira do SZ

Essuatíni

A Suazilândia restringiu a entrada de todos os cidadãos estrangeiros.

A Suazilândia restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam cidadãos ou residentes legais retornando. Todos os viajantes que chegarem estarão sujeitos a uma quarentena obrigatória de 14 dias em um local designado. Todos os voos comerciais para fora do país foram suspensos. A fronteira está fechada para tudo, exceto o transporte de mercadorias e carga.

Essuatíni: Atualmente há 472 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 14 mortes até 10 jun 2020

Bandeira do ET

Etiópia

A Etiópia fechou suas fronteiras terrestres.

A Etiópia fechou suas fronteiras terrestres, mas os aeroportos continuam abertos.

O Aeroporto Internacional de Adis Abeba Bole (e outros portos internacionais de chegada) adotaram medidas adicionais para rastrear os passageiros que chegam, partem ou transitam pela Etiópia. A triagem pode incluir medições de temperatura e verificações de viagens recentes para as áreas afetadas.

Os viajantes portadores de um certificado do teste negativo para a COVID-19 datado nas 72 horas anteriores devem fazer um novo teste e se auto-isolar em casa por 14 dias. Todos os outros passageiros estarão sujeitos a sete dias de quarentena obrigatória, seguidos por mais sete dias de auto-isolamento em casa, sempre que possível. A quarentena obrigatória será feita em hotéis designados pelo governo. Os viajantes podem escolher entre vários hotéis a preços diferentes, mas não podem mudar de hotel após o início da quarentena. Os viajantes são responsáveis pelo custo total de sua estadia em quarentena e podem ser obrigados a mostrar sua reserva de hotel antes de embarcar num voo.

Etiópia: Atualmente há 3.313 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 103 mortes até 23 jun 2020

Bandeira do GA

Gabão

O Gabão retomou voos internacionais.

O Gabão anunciou a retomada de viagens aéreas comerciais de forma limitada. Dois voos internacionais por companhia aérea por semana serão permitidos.

Os viajantes estarão sujeitos a medidas de rastreamento de saúde na chegada.

Gabão: Atualmente há 3.123 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 46 mortes até 6 jul 2020

Bandeira do GH

Gana

Gana suspendeu todos os voos comerciais para o país.

O Gana suspendeu os voos comerciais de entrada e fechou suas fronteiras até pelo menos 31 de julho de 2020.

Os voos de emergência, voos de ajuda humanitária, voos de evacuação médica e pousos técnicos para reabastecer ainda podem entrar no país.

Todos os viajantes e tripulantes de companhias aéreas serão colocados em quarentena na chegada.

Gana: Atualmente há 4.683 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 129 mortes até 1 jul 2020

Bandeira do GN

Guiné

A Guiné suspendeu todos os voos comerciais até pelo menos 15 de julho.

A Guiné suspendeu todos os voos comerciais até pelo menos 15 de julho.

Os cidadãos da Guiné podem ser capazes de entrar em voos de repatriação; no entanto, todos os viajantes, incluindo cidadãos guineenses, devem comprovar um teste negativo para a COVID-19 antes do embarque. Eles também devem se submeter a um novo teste para a COVID-19 na chegada à Guiné.

Os viajantes que forem negativos e assintomáticos deverão concluir uma quarentena obrigatória de 14 dias no hotel Onomo em Conakry. Após 14 dias de quarentena e dois testes negativos de COVID-19, os viajantes poderiam sair do hotel.

Guiné: Atualmente há 1.060 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 34 mortes até 29 jun 2020

Bandeira do GQ

Guiné Equatorial

A Guiné Equatorial reabriu suas fronteiras.

A Guiné Equatorial reabriu suas fronteiras.

Os passageiros internacionais que chegam devem apresentar um certificado de PCR negativo datado das 48 horas anteriores. Aqueles passageiros sem certificado devem passar por testes e quarentena na chegada à Guiné Equatorial, às suas próprias custas, enquanto aguardam o resultado do teste.

Guiné Equatorial: Atualmente há 2.178 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 51 mortes até 22 jun 2020

Bandeira do GW

Guiné-Bissau

A Guiné-Bissau fechou suas fronteiras.

A Guiné-Bissau fechou suas fronteiras. Existem exceções para voos de emergência, voos médicos, de segurança e de resgate, paradas técnicas sem desembarque de passageiros.

Guiné-Bissau: Atualmente há 1.005 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 25 mortes até 10 jun 2020

Bandeira do GM

Gâmbia

A Gâmbia suspendeu todos os voos comerciais.

A Gâmbia suspendeu todos os voos, exceto voos médicos, humanitários e de repatriamento.

Gâmbia: Atualmente há 31 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 3 mortes até 11 jun 2020

Bandeira do LS

Lesoto

Lesoto restringiu a entrada de todos os viajantes visitantes.

O Lesoto restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto de trabalhadores envolvidos no transporte de suprimentos médicos, alimentos e outros bens.

Lesoto: Atualmente há 80 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 0 morte até 10 jun 2020

Bandeira do LR

Libéria

A Libéria reabriu seu aeroporto para voos comerciais. Os viajantes devem apresentar um resultado negativo no teste para a COVID-19.

A Libéria reabriu seu aeroporto para voos comerciais, com as seguintes condições:

Todos os passageiros deverão ter a temperatura medida para verificar se apresentam sintomas da COVID-19 e se registrar através do número de telefone ou aplicativo USSD.

Todos os passageiros que chegam e que foram testados no ponto de partida devem apresentar um documento atestando resultado negativo válido na chegada à RIA.

Todos os passageiros que chegarem que não foram testados no ponto de partida deverão fazer um teste rápido e outro teste PCR (cotonete) no aeroporto.

a. No caso de um resultado positivo no teste rápido, o passageiro será colocado em uma unidade de espera no aeroporto, aguardando o resultado final do teste PCR. b. Os passageiros com resultado negativo no teste rápido poderão voltar para casa enquanto aguardam o resultado final do teste PCR. O monitoramento dos sintomas continuará via USSD e aplicativo.

Libéria: Atualmente há 482 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 41 mortes até 30 jun 2020

Bandeira do LY

Líbia

A Líbia fechou suas fronteiras.

A Líbia fechou suas fronteiras.

Líbia: Atualmente há 852 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 35 mortes até 10 jun 2020

Bandeira do MG

Madagáscar

Madagascar suspendeu todos os voos, com exceção de evacuações médicas, repatriações fora do país e remessas de carga.

Madagascar suspendeu todos os voos, com exceção de evacuações médicas, repatriações fora do país e remessas de carga. Todos os voos devem decolar ou pousar antes das 10h.

Madagáscar: Atualmente há 2.252 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 33 mortes até 9 jul 2020

Bandeira do MW

Malavi

O Malawi restringiu a entrada de todos os estrangeiros que chegam de países com coronavírus (COVID-19).

O Malawi restringiu a entrada de todas as pessoas que não sejam cidadãos e residentes do Malawi vindos de países com casos de coronavírus (COVID-19), e suspendeu a emissão de vistos para cidadãos desses países.

Malavi: Atualmente há 1.482 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 19 mortes até 10 jun 2020

Bandeira do ML

Mali

O Mali restringiu a entrada de todos os viajantes que não são cidadãos ou residentes do Mali ou pessoas em voos humanitários, médicos ou de repatriamento.

O Mali restringiu a entrada de todos os viajantes que não são cidadãos ou residentes do Mali ou pessoas em voos humanitários, médicos ou de repatriamento.

Todos os viajantes devem entrar em quarentena por 14 dias após a chegada.

Mali: Atualmente há 673 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 119 mortes até 8 jul 2020

Bandeira do MA

Marrocos

Marrocos suspendeu todos os voos de e para China, Itália, Espanha, Argélia, França, Portugal, Alemanha, Bélgica, Holanda, Áustria, Dinamarca, Grécia, Suíça, Suécia, Noruega, Turquia, Líbano, Egito, Bahrein, Emirados Árabes Unidos, Omã, Jordânia, Tunísia, Senegal, Mauritânia, Níger, Mali, Chade, Canadá e Brasil.

O Marrocos suspendeu todos os voos de e para China, Itália, Espanha, Argélia, França, Portugal, Alemanha, Bélgica, Holanda, Áustria, Dinamarca, Grécia, Suíça, Suécia, Noruega, Turquia, Líbano, Egito, Bahrain, Emirados Árabes Unidos, Omã, Jordânia, Tunísia, Senegal, Mauritânia, Níger, Mali, Chade, Canadá e Brasil. Os voos de carga dos países acima ainda podem entrar no país.

Marrocos: Atualmente há 3.728 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 240 mortes até 10 jun 2020

Bandeira do MR

Mauritânia

A Mauritânia fechou todos os seus aeroportos.

A Mauritânia fechou todos os seus aeroportos.

Mauritânia: Atualmente há 2.945 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 135 mortes até 10 jun 2020

Bandeira do MU

Maurício

Maurício restringiu a entrada de todos os estrangeiros.

As Ilhas Maurício restringiram a entrada de todos os viajantes, exceto nacionais e residentes, além de cônjuges e filhos. Todos os viajantes que chegarem serão colocados em quarentena. A tripulação da companhia aérea será isolada em seus quartos de hotel.

Maurício: Atualmente há 2 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 10 mortes até 10 jun 2020

Bandeira do MZ

Moçambique

Moçambique suspendeu a emissão de vistos de entrada.

Moçambique suspendeu a emissão de vistos de entrada. Todos os indivíduos que entram em Moçambique deverão cumprir auto-quarentena por um período de 14 dias.

Moçambique: Atualmente há 752 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 8 mortes até 10 jun 2020

Bandeira do NA

Namíbia

Namíbia fechou suas fronteiras até pelo menos 30 de setembro. Somente cidadãos da Namíbia e residentes permanentes podem entrar no país.

A Namíbia fechou suas fronteiras até pelo menos 30 de setembro. Somente cidadãos namibianos e residentes permanentes podem entrar no país. Os viajantes estão sujeitos a uma quarentena de 14 dias após a chegada.

A partir de 30 de junho, as seguintes medidas serão aplicadas a todos os namibianos, titulares de Permissão de Residência Permanente e a certas categorias de profissionais com Permissão de Trabalho válida que possam viajar para a Namíbia: na chegada, devem enviar um teste de PCR COVID-19 e entrar em quarentena obrigatória supervisionada pelo governo, a seu próprio custo, por um período de 14 dias, ou solicitar a quarentena às custas do governo. Além disso, devem notificar a Embaixada ou o Alto Comissariado da Namíbia de sua intenção de viajar para a Namíbia pelo menos duas semanas antes de partir.

Namíbia: Atualmente há 514 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 0 morte até 6 jul 2020

Bandeira do NG

Nigéria

A Nigéria fechou seus aeroportos.

A Nigéria fechou seus aeroportos para todos os voos não emergenciais e essenciais.

Cidadãos e residentes da Nigéria estão sujeitos a quarentena por 14 dias e devem apresentar um “Formulário de Declaração de Saúde” preenchido além de um teste com resultado negativo para a COVID-19 emitido no prazo de 5 dias após a chegada.

Nigéria: Atualmente há 17.012 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 669 mortes até 15 jun 2020

Bandeira do NE

Níger

O Níger suspendeu todos os voos internacionais.

O Níger suspendeu todos os voos internacionais de e para o Níger.

Níger: Atualmente há 52 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 68 mortes até 10 jun 2020

Bandeira do KE

Quênia

O Quênia suspendeu todos os voos comerciais para o país.

O Quênia suspendeu todos os voos internacionais, exceto as aeronaves em estado de emergência, operações relacionadas a ajuda humanitária, evacuação médica e voos de repatriamento. Todos os voos aprovados devem fornecer formulários e manifestos de declaração de passageiros preenchidos à Saúde Portuária, Imigração e Alfândega. Espera-se que essas restrições continuem até pelo menos 1° de agosto. Todos os viajantes que entram no Quênia devem apresentar na chegada um teste com resultado negativo para COVID-19. Todas as tripulações de voos internacionais devem se auto-isolar em hotéis designados no aeroporto Internacional de Nairobi Jomo Kenyatta enquanto durar seu período de descanso. Cidadãos e residentes do Quênia que violarem o requisito de auto-quarentena serão forçados a quarentena por 14 dias.

Quênia: Atualmente há 5.579 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 167 mortes até 9 jul 2020

Bandeira do CF

República Centro-Africana

A República Centro-Africana fechou o Aeroporto Internacional Bangui M'Poko (FGF).

A República Centro-Africana fechou o Aeroporto Internacional Bangui M’Poko (BGF), com exceção de paradas comerciais, humanitárias, evacuação médica e técnicas.

República Centro-Africana: Atualmente há 3.043 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 52 mortes até 10 jun 2020

Bandeira do CD

República Democrática do Congo

A República Democrática do Congo suspendeu todos os voos comerciais de países com casos confirmados de coroavírus (COVID-19).

A República Democrática do Congo suspendeu todos os voos comerciais de países com casos confirmados de coroavírus (COVID-19).

Bandeira do CG

República do Congo

A República do Congo fechou todos os seus aeroportos.

A República do Congo fechou todos os seus aeroportos.

Bandeira do SS

República do Sudão do Sul

O Sudão do Sul reabriu suas fronteiras; no entanto, o governo sudanês do Sul suspendeu a emissão de vistos em suas embaixadas no exterior, e todos os voos comerciais internacionais de rotina estão suspensos.

O Sudão do Sul reabriu suas fronteiras; no entanto, o governo do Sudão do Sul suspendeu a emissão de vistos em suas embaixadas no exterior e todos os voos comerciais internacionais de rotina foram suspensos desde 24 de março. Os voos humanitários e de evacuação ainda podem entrar no país com a aprovação da Força-Tarefa de Alto Nível do Sudão do Sul. Os viajantes que desejam entrar no Sudão do Sul devem ter um certificado mostrando que estão livres de coronavírus, emitidos no máximo 48 horas antes da viagem e endossados ​​por um médico de renome. Eles também precisarão de permissão prévia para entrar no país pela Força-Tarefa Nacional.

República do Sudão do Sul: Atualmente há 1.650 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 38 mortes até 10 jun 2020

Bandeira do RW

Ruanda

Ruanda suspendeu todos os voos comerciais.

Ruanda suspendeu todos os voos comerciais de e para o Aeroporto Internacional de Kigali (KGL), incluindo a Rwanda Airlines.

Os únicos voos autorizados a entrar no país são os que transportam cargas, mercadorias e retornam residentes permanentes ou cidadãos de Ruanda. Cidadãos e residentes de Ruanda que retornam ao país estão sujeitos a uma quarentena obrigatória de sete dias, em locais designados, às suas próprias custas.

Ruanda: Atualmente há 574 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 3 mortes até 19 jun 2020

Bandeira do EH

Sara Ocidental

Nenhuma informação disponível no momento.

Nenhuma informação disponível no momento.

Sara Ocidental: Atualmente há 1 caso ativo de COVID-19 diagnosticados e 1 morte até 10 jun 2020

Bandeira do SC

Seicheles

Seychelles retiram restrições de viagem para viajantes que chegam de um grupo seleto de países.

As Seychelles começaram a diminuir suas restrições de viagem. Assim como cidadãos das Seychelles, viajantes e tripulantes de companhias aéreas que chegam diretamente da Austrália, Áustria, Botsuana, China, Croácia, Grécia, Hungria, Israel, Japão, Luxemburgo, Maurício, Mônaco, Namíbia, Nova Zelândia, Noruega, Eslováquia, Eslovênia, Suíça ou A Tailândia pode agora entrar no país.

Os não residentes devem ter uma confirmação de reserva de hotel.

Um requerimento preenchido para entrada nas Seychelles deve ser submetido ao Comissário de Saúde Pública antes do embarque. O formulário pode ser obtido em http://tourism.gov.sc.

Os viajantes devem ter um atestado médico com resultado negativo para o teste da COVID-19, emitido no máximo 48 horas antes da chegada, e estão sujeitos a exames médicos.

Cidadãos e residentes das Seychelles estão sujeitos a quarentena por 14 dias.

Seicheles: Atualmente há 70 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 0 morte até 19 jun 2020

Bandeira do SN

Senegal

O Senegal suspendeu todos os voos comerciais para o país.

O Senegal suspendeu todos os voos para o país até pelo menos 15 de julho de 2020.

Senegal: Atualmente há 2.387 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 137 mortes até 2 jul 2020

Bandeira do SL

Serra Leoa

Os voos para Serra Leoa estão suspensos até pelo menos 15 de julho, com exceção de voos humanitários, médicos e de repatriamento.

Os voos para Serra Leoa estão suspensos até pelo menos 15 de julho, com exceção de voos humanitários, médicos e de repatriamento.

Os viajantes que entram no país estão sujeitos a exames médicos e quarentena às suas próprias custas.

Serra Leoa: Atualmente há 421 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 63 mortes até 3 jul 2020

Bandeira do SO

Somália

A Somália suspendeu todos os voos comerciais.

A Somália suspendeu todos os voos, exceto voos médicos e humanitários com pré-autorização.

Somália: Atualmente há 1.827 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 92 mortes até 12 jun 2020

Bandeira do SD

Sudão

O Sudão suspendeu todos os voos, exceto voos humanitários, médicos e de repatriação.

O Sudão suspendeu todos os voos, exceto voos de ajuda humanitária, assistência médica e repatriamento até pelo menos 12 de julho.

Sudão: Atualmente há 4.341 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 622 mortes até 1 jul 2020

Bandeira do ST

São Tomé e Príncipe

São Tomé e Príncipe restringiu a entrada de todos os estrangeiros.

São Tomé e Príncipe restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam cidadãos e residentes de São Tomé e Príncipe. O pessoal autorizado ainda pode entrar no país, mas deve comprovar que obteve um resultado negativo para coronavírus (COVID-19) no aeroporto de partida. Navios de cruzeiro, embarcações de pesca e iates estão proibidos de atracar nos portos de São Tomé e Príncipe.

Bandeira do TZ

Tanzânia

A Tanzânia não implementou quaisquer restrições de entrada, mas todos os viajantes que chegam estão sujeitos a triagem médica na chegada.

A Tanzânia não implementou nenhuma restrição de entrada, mas todos os viajantes que chegam estão sujeitos a exames médicos na chegada. Os tripulantes de companhias aéreas serão isolados se houver suspeita de infecção por coronavírus. Tripulantes de companhias aéreas que chegarem por Zanzibar (ZNZ) ficarão em quarentena nos hotéis designados pela companhia aérea. Um “Formulário de Saúde” preenchido deve ser apresentado a funcionários do Ministério da Saúde no momento da chegada.

Tanzânia: Atualmente há 305 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 21 mortes até 10 jun 2020

Bandeira do TG

Togo

Togo fechou suas fronteiras.

O Togo fechou suas fronteiras. Atualmente, não é permitida a entrada de viajantes no Togo, incluindo aqueles com dupla cidadania ou uma autorização de residência togolesa ou ID nacional que chegam em voos internacionais.

Togo: Atualmente há 207 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 15 mortes até 10 jun 2020

Bandeira do TN

Tunísia

As novas restrições de entrada da Tunísia já estão em vigor. Os requisitos de entrada variam dependendo da gravidade da epidemia no país de residência dos viajantes.

Restrições de viagem mais relaxadas já estão em vigor na Tunísia.

Os requisitos de entrada agora variam de acordo com a gravidade da epidemia no país de residência dos viajantes.

Os viajantes de países "vermelhos" só podem entrar na Tunísia se forem residentes ou cidadãos tunisinos. Eles devem apresentar um teste de PCR negativo para coronavírus feito dentro de 72 horas após a partida e estarão sujeitos a 7 dias em quarentena do governo e a 7 dias adicionais em auto-isolamento em casa, até obterem um resultado negativo no teste para a COVID-19. Eles também devem assinar uma declaração para confirmar que cumprirão essas regras.

Indivíduos residentes em países “laranja” precisarão apresentar um teste de PCR negativo para coronavírus feito dentro de 72 horas após a partida e terão que se auto-isolar em seu local de residência ou hotel às suas próprias custas por 14 dias. Se eles desejam deixar o auto-isolamento, podem fazê-lo a partir do sexto dia após a chegada, pagando pelo teste de PCR e obtendo um resultado negativo.

Indivíduos residentes em países "verdes" não estarão sujeitos a nenhum requisito de entrada específico para coronavírus e não precisarão fazer um teste antes de partir.

A lista completa de países categorizados pode ser encontrada aqui (em francês).

Tunísia: Atualmente há 106 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 50 mortes até 1 jul 2020

Bandeira do UG

Uganda

Uganda suspendeu todos os voos.

Uganda suspendeu todos os voos. Aeronaves em estado de emergência, operações de ajuda humanitária e segurança ainda podem pousar. Todos os membros da tripulação de companhias aéreas que chegam devem passar por quarentena obrigatória.

Uganda: Atualmente há 75 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 0 morte até 10 jun 2020

Bandeira do ZW

Zimbábue

O Zimbábue restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos e residentes do Zimbábue.

O Zimbábue restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos e residentes do Zimbábue. Todos os aeroportos, exceto BUQ, HRE e VFA, foram fechados. As pessoas que retornam ao Zimbábue estão sujeitas a um período de quarentena de 21 dias em instalações aprovadas pelo governo, e deverão arcar com os custos. Os aeroportos abertos estão aceitando apenas categorias especiais de voos, como voos de transporte médico e voos que transportam membros de missões, agências ou forças de defesa estrangeiras.

Zimbábue: Atualmente há 577 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 9 mortes até 10 jun 2020

Bandeira do ZM

Zâmbia

A Zâmbia fechou todos os aeroportos, exceto o Kenneth Kaunda International Lusaka Airport (LUN).

A Zâmbia reabriu seus aeroportos; no entanto, a disponibilidade de voos internacionais permanece limitada.

Todos os vistos de turista para a Zâmbia foram cancelados.

Qualquer pessoa que entre na Zâmbia deve fazer o teste de COVID-19 por swab nasal e, em seguida, deve passar até 14 dias em quarentena própria em sua residência ou local de estadia preferido. Se solicitado, os viajantes devem informar as autoridades do Ministério da Saúde de onde ficarão e fornecer seus detalhes de contato. Os viajantes devem concluir o período de auto-quarentena de 14 dias, mesmo que o resultado do teste para a COVID-19 seja negativo.

Qualquer pessoa que entrar na Zâmbia com sintomas de COVID-19 será levada às instalações do governo para tratamento e quarentena.

Zâmbia: Atualmente há 505 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 42 mortes até 6 jul 2020

Bandeira do ZA

África do Sul

A África do Sul suspendeu todos os voos comerciais para o país.

A África do Sul suspendeu todos os voos para o país, exceto os voos autorizados pelo Ministério dos Transportes e voos para evacuações médicas, ajuda humanitária, pousos de emergência ou paradas para reabastecimento. Os nacionais da África do Sul que chegarem ao país estarão sujeitos a quarentena por até 21 dias e as tripulações das companhias aéreas estarão sujeita às leis de quarentena, conforme aplicável.

África do Sul: Atualmente há 110.054 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 3.502 mortes até 10 jun 2020

América do Sul

Bandeira do AR

Argentina

A Argentina restringiu a entrada de todos os estrangeiros.

A Argentina restringiu a entrada a todos os viajantes, exceto cidadãos e residentes, até pelo menos 17 de julho de 2020.

As companhias aéreas que operam voos de repatriamento devem enviar todas as informações de passageiros à ANAC 12 horas antes da partida. Essas informações devem conter a lista de passageiros com números de documentos de viagem, números de telefone e endereços em que cada pessoa declara que cumprirá a quarentena obrigatória na chegada.

Argentina: Atualmente há 51.687 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 1.644 mortes até 1 jul 2020

Bandeira do BO

Bolívia

A Bolívia fechou suas fronteiras para viajantes que não são cidadãos ou residentes da Bolívia até pelo menos 31 de julho.

A Bolívia fechou suas fronteiras para viajantes que não são cidadãos ou residentes da Bolívia até pelo menos 31 de julho.

A tripulação de companhias aéreas da Bolívia ou voos humanitários ainda podem entrar no país. Eles devem ter um atestado médico com um resultado negativo para a COVID-19.

Cidadãos e residentes da Bolívia estão sujeitos a quarentena na chegada.

Bolívia: Atualmente há 27.617 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 1.530 mortes até 6 jul 2020

Bandeira do BR

Brasil

O Brasil restringiu a entrada de todos os estrangeiros, exceto alguns portadores de visto.

O Brasil restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam cidadãos, residentes, funcionários do governo e seus familiares, familiares imediatos de cidadãos, diplomatas, viajantes com autorização do governo, viajantes com um Registro Nacional de Migração ou viajantes em trânsito que não deixem a área internacional do aeroporto. Essas restrições permaneçam em vigor até pelo menos 29 de julho.

Novas isenções foram adicionadas para permitir que estrangeiros de qualquer nacionalidade entrem no Brasil se tiverem um visto temporário para um dos seguintes propósitos: • pesquisa, ensino ou extensão acadêmica; • estudos; • trabalho; • fazer um investimento; • reunião familiar; ou • atividades artísticas ou esportivas com contrato a termo.

Cônjuges de cidadãos brasileiros devem ter uma certidão de casamento brasileira para entrar no país. Se o certificado não for emitido pelo Brasil, ele deve ser apostilado por um consulado e acompanhado de uma tradução não oficial em português.

Todos os viajantes devem apresentar uma declaração médica de uma autoridade sanitária ou médico que ateste que não possuem o COVID-19:

Os voos internacionais só podem chegar nos seguintes aeroportos: Aeroporto Internacional de São Paulo (GRU), Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão) (GIG), Aeroporto Internacional de Viracopos (VCP), Aeroporto Internacional de Brasília (BSB).

Desembarques técnicos para reabastecer onde passageiros de entrada restrita não desembarcam também podem entrar no país.

Brasil: Atualmente há 494.836 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 66.741 mortes até 6 jul 2020

Bandeira do CL

Chile

O Chile restringiu a entrada de todos os estrangeiros.

O Chile restringiu a entrada a todos os viajantes, exceto cidadãos, residentes, diplomatas, trabalhadores humanitários, viajantes com uma identificação oficial do Ministério das Relações Exteriores do Chile ou viajantes com conduta segura até pelo menos 9 de julho de 2020.

Cidadãos e residentes do Chile ficarão em quarentena por 14 dias após a chegada

Chile: Atualmente há 26.334 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 6.434 mortes até 6 jul 2020

Bandeira do CO

Colômbia

A Colômbia suspendeu todos os voos internacionais até pelo menos 31 de agosto.

A Colômbia restringiu a entrada e o trânsito a todos os viajantes até pelo menos 31 de agosto, exceto operadores de carga, emergências humanitárias e cenários extremos que têm autorização da Autoridade de Aviação Civil (CAA).

A Colômbia também suspendeu todos os voos comerciais para o país.

Todos os viajantes que chegam devem preencher um formulário de controle preventivo contra o coronavírus antes da chegada e estão sujeitos a uma quarentena de 14 dias.

Colômbia: Atualmente há 65.459 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 4.452 mortes até 2 jul 2020

Bandeira do EC

Equador

Os voos para o Equador foram retomados.

Os voos para o Equador foram retomados. No entanto, o aeroporto de Guayaquil (GYE) permanece fechado.

Os viajantes devem apresentar um formulário de saúde preenchido e um formulário de imigração preenchido, bem como um teste PCR negativo para a COVID-19 emitido dentro de 72 horas após a chegada. Os viajantes que não tiverem um resultado de teste qualificado serão testados na chegada. Todos os viajantes que chegarem estarão sujeitos a uma quarentena de 14 dias.

Equador: Atualmente há 29.301 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 4.873 mortes até 16 jun 2020

Bandeira do FK

Falkland Islands (Ilhas Malvinas)

As Ilhas Falkland restringiram a entrada de todos os viajantes que não sejam residentes ou titulares de licenças de trabalho.

As Ilhas Falkland restringiram a entrada a todos os viajantes, exceto residentes retornando, portadores de permissão de trabalho e aqueles com status das Ilhas Falkland (Malvinas).

Os viajantes que tenham negócios oficiais com o governo das Ilhas Falkland com prova de autorização também podem entrar.

Todos os viajantes que chegam às Ilhas Falkland estão sujeitos a uma quarentena de 14 dias.

Falkland Islands (Ilhas Malvinas): Não há casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 0 morte até 16 jun 2020

Bandeira do GY

Guiana

A Guiana restringiu a entrada de todos os estrangeiros.

A Guiana fechou seus aeroportos para todos os voos internacionais de passageiros até pelo menos 31 de julho.

Cidadãos e residentes da Guiana ainda podem entrar no país. Voos profissionais autorizados, voos de evacuação médica e paradas técnicas para reabastecimento também podem entrar no país.

Os viajantes que chegam estão sujeitos a exames de saúde e quarentena.

Guiana: Atualmente há 143 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 16 mortes até 6 jul 2020

Bandeira do GF

Guiana Francesa

A Guiana Francesa restringiu a entrada de todos os estrangeiros.

A Guiana Francesa restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam residentes ou sejam obrigados a entrar por conta de uma emergência médica ou para prestar um serviço essencial

Guiana Francesa: Atualmente há 3.038 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 21 mortes até 8 jun 2020

Bandeira do PY

Paraguai

O Paraguai restringiu todos os voos para o país.

O Paraguai restringiu todos os voos comerciais ao país até novo aviso, com exceções limitadas aos voos de repatriamento aprovados pelo governo. Não residentes no Paraguai não estão autorizados a transitar no aeroporto de Assunção. Todos os viajantes que chegam ao Paraguai devem permanecer isolados em uma instalação governamental por 14 dias, independentemente de os sintomas estarem presentes. O governo do Paraguai estendeu a validade dos vistos para visitantes ou residentes temporários no Paraguai cujos vistos ou outras autorizações de viagem expiraram em 13 de março de 2020 ou posterior.

Paraguai: Atualmente há 1.289 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 20 mortes até 8 jun 2020

Bandeira do PE

Peru

O Peru restringiu a entrada a todos os viajantes, exceto cidadãos e residentes peruanos, até pelo menos 31 de julho de 2020.

O Peru restringiu a entrada a todos os viajantes, exceto cidadãos e residentes peruanos, até pelo menos 31 de julho de 2020.

Eles devem apresentar uma "Declaração Jurada de Salud" preenchida na chegada e ficarão em quarentena por 14 dias. A tripulação da companhia aérea deve se auto-isolar em um hotel durante toda a duração de sua estadia.

Peru: Atualmente há 97.388 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 10.952 mortes até 3 jul 2020

Bandeira do SR

Suriname

O Suriname fechou suas fronteiras.

O Suriname fechou suas fronteiras.

Suriname: Atualmente há 214 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 15 mortes até 8 jun 2020

Bandeira do UY

Uruguai

O Uruguai suspendeu todos os voos para o país.

Todos os voos para o Uruguai, exceto voos humanitários e voos de repatriamento autorizados pelo governo, estão suspensos até novo aviso. Todos os viajantes e tripulação de companhias aéreas que entram no Uruguai serão colocados em quarentena por 14 dias.

Uruguai: Atualmente há 71 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 29 mortes até 8 jun 2020

Bandeira do VE

Venezuela

A Venezuela suspendeu todas as viagens internacionais até pelo menos 12 de julho.

A Venezuela suspendeu todas as viagens internacionais até pelo menos 12 de julho.

Venezuela: Atualmente há 5.522 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 71 mortes até 29 jun 2020

Ásia

Bandeira do AM

Armênia

A Armênia restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos e residentes armênios e seus familiares.

A Armênia restringiu a entrada a todos os viajantes, com exceção de cidadãos e residentes armênios e seus familiares imediatos. Diplomatas e seus familiares imediatos e a tripulação de uma companhia aérea também podem entrar na Armênia.

Todos os viajantes que entram estão sujeitos a uma quarentena de 14 dias.

O governo armênio espera publicar uma lista de países específicos dos quais as viagens são autorizadas com base em suas situações epidemiológicas. Em 2 de julho, essa lista ainda não havia sido publicada.

Armênia: Atualmente há 11.875 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 503 mortes até 6 jul 2020

Bandeira do AZ

Azerbeijão

O Azerbaijão restringiu a entrada de todos os estrangeiros.

O Azerbaijão restringiu a entrada a todos os viajantes até pelo menos 1º de agosto, exceto cidadãos, residentes, viajantes com permissão de trabalho ou viajantes com permissão especial do governo. A emissão de vistos eletrônicos e vistos na chegada foi suspensa.

Todos os viajantes que chegam ao Azerbaijão devem apresentar resultado negativo no teste para a COVID-19. O teste em si pode ser realizado mais de 48 horas antes do voo, mas o certificado que mostra o resultado negativo do teste só será aceito se emitido dentro de 48 horas antes do voo. Os viajantes serão testados novamente para o COVID-19 e terão sua temperatura verificada na chegada ao Azerbaijão.

Os viajantes cujo teste na chegada for negativo não serão obrigados a permanecer em quarentena ou se auto-isolar, de acordo com a agência estadual de saúde (TABIB) e o Ministério das Relações Exteriores. No entanto, eles ainda terão que respeitar as restrições de movimento que continuam em vigor para todos no Azerbaijão.

Azerbeijão: Atualmente há 8.474 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 265 mortes até 30 jun 2020

Bandeira do BD

Bangladesh

Bangladesh suspendeu voos do Bahrein, Butão, Hong Kong, Índia, Kuwait, Maldivas, Nepal, Omã, Arábia Saudita, Cingapura e Tailândia.

Bangladesh suspendeu voos do Bahrein, Butão, Hong Kong, Índia, Kuwait, Maldivas, Nepal, Omã, Arábia Saudita, Cingapura e Tailândia.

Viajantes com vistos pré-agendados devem ter atestados médicos emitidos dentro de 72 horas antes da partida, informando que não estão infectados pelo coronavírus (COVID-19). Os certificados devem estar em inglês ou traduzidos para o inglês.

Viajantes a negócios com passagem de ida e volta podem entrar em Bangladesh, desde que tenham uma carta de confirmação emitida pelo Conselho de Investimentos de Bangladesh (BOI). A carta deve conter um número de registro da BOI, e a organização credenciada que será visitada deve ter notificado as autoridades de imigração antes da chegada do passageiro. Os viajantes a negócios também devem apresentar um atestado médico com um resultado negativo para o teste da COVID-19 emitido no máximo 72 horas antes da chegada.

Viajantes originários de Bangladesh sem sintomas da COVID-19 deverão se auto-isolar em Daca por 14 dias após a chegada. Aqueles que apresentarem sintomas da COVID-19 ou não apresentarem o atestado médico citado acima ficarão institucionalmente em quarentena em Daca por 14 dias.

Bangladesh: Atualmente há 88.392 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 2.151 mortes até 8 jul 2020

Bandeira do BN

Brunei

Brunei restringiu a entrada de todos os cidadãos estrangeiros.

Brunei restringiu a entrada e o trânsito a todos os viajantes, exceto a cidadãos e residentes. Todas as emissões e isenções de vistos estão suspensas.

Brunei também introduziu uma proibição de viagens de saída, inclusive para residentes permanentes e trabalhadores expatriados (portadores de carteira de identidade verde) e seus dependentes. As exceções serão consideradas pelo Gabinete do Primeiro Ministro caso a caso, por meio de aplicativos de e-mail para travelapplication@jpm.gov.bn, com 14 dias de aviso prévio sobre a intenção de viajar e definindo os motivos pelos quais eles precisam deixar o país. Detalhes completos estão disponíveis no site do Gabinete do Primeiro Ministro.

Os viajantes de outros países que desejam entrar em Brunei podem solicitar ao Departamento de Imigração de Brunei uma autorização especial para entrar no país fazendo o download do formulário fornecido no site do Departamento em www.immigration.gov.bn. Os viajantes que receberam autorização prévia para entrar no Brunei estão sujeitos ao teste COVID-19 ao custo de BND1000. Os viajantes que chegarem a Brunei serão incentivados a baixar o aplicativo BruHealth. Os viajantes sem o aplicativo podem ser impedidos de acessar várias instalações.

Brunei: Não há casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 3 mortes até 7 jul 2020

Bandeira do BT

Butão

O Butão fechou suas fronteiras.

O Butão fechou suas fronteiras. Cidadãos butaneses podem entrar no país, mas serão mantidos em quarentena obrigatória. Serviços essenciais como alimentos, remédios e combustível ainda podem entrar no país.

Butão: Atualmente há 25 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 0 morte até 10 jun 2020

Bandeira do KH

Cambodja

O Camboja suspendeu todas as isenções de visto, vistos na chegada e vistos eletrônicos.

O Camboja suspendeu todas as isenções de visto, vistos na chegada e vistos eletrônicos.

Todos os viajantes que chegam, exceto cidadãos do Camboja e diplomatas, devem ter atestados médicos oficiais emitidos por seus países de origem no máximo 72 horas antes da viagem, certificando que não deram positivo para o COVID-19. Eles também devem ter prova de apólices de seguro com cobertura médica mínima de US $ 50.000.

Todos os viajantes que chegarem serão submetidos a testes de COVID-19 em uma área de recepção e ficarão em quarentena por pelo menos 14 dias. Se um ou mais viajantes de um voo testarem positivo, todos os passageiros do voo serão colocados em quarentena de um dia em uma instalação designada. Se todos os passageiros em um teste forem negativos, eles poderão entrar em quarentena em sua residência / acomodação e serão testados novamente no 13º dia de sua quarentena.

Cambodja: Atualmente há 10 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 0 morte até 6 jul 2020

Bandeira do KZ

Cazaquistão

O Cazaquistão está retomando voos da China, Geórgia, Japão, Coreia do Sul, Tailândia e Turquia; no entanto, apenas determinadas categorias de pessoas poderão entrar nesses voos.

O Cazaquistão restringiu a entrada da maioria dos estrangeiros e suspendeu a maioria dos voos, exceto voos estaduais, voos de balsa, vôos sanitários e desembarques técnicos para fins de reabastecimento.

A partir de 20 de junho, o Cazaquistão reabrirá para voos da China, Geórgia, Japão, Coreia do Sul, Tailândia e Turquia; no entanto, apenas determinadas categorias de pessoas poderão entrar nesses voos. Eles incluem: diplomatas, familiares diretos de cidadãos do Cazaquistão, detentores de permissão de residência e alguns funcionários de empresas designadas em setores críticos.

Os viajantes que chegam em voos originários da China, Coreia do Sul, Japão, Geórgia e Tailândia terão sua temperatura medida e serão solicitados a preencher um questionário. Aqueles que chegam em voos originários da Turquia terão sua temperatura medida, deverão preencher um questionário e precisarão fornecer uma prova (via teste de PCR datado não mais de cinco dias antes de sua chegada ao Cazaquistão) de seu status negativo para a COVID-19 Aqueles que não tiverem os resultados dos testes de PCR serão testados no Cazaquistão e em sua residência dentro de 48 horas após a chegada.

Os viajantes que chegam em voos originários de outros países terão sua temperatura medida, deverão preencher um questionário e precisarão fornecer uma prova (via teste de PCR e datada não mais de cinco dias antes da chegada ao Cazaquistão) de testagem negativa para COVID -19. Aqueles sem resultados de teste serão mantidos por até dois dias em uma instalação de quarentena na cidade de sua chegada e testados para a COVID-19.

Cazaquistão: Atualmente há 34.497 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 264 mortes até 22 jun 2020

Bandeira do CN

China

A China restringiu a entrada de todos os cidadãos estrangeiros, exceto Hong Kong, Macau e titulares de passaporte de Taiwan.

A China restringiu a entrada e o trânsito a todos os viajantes, exceto cidadãos chineses, portadores de passaporte de Hong Kong, Macau ou Taiwan e viajantes com vistos diplomático, de serviço, de cortesia ou vistos C emitidos após 28 de março de 2020. Os viajantes que chegarem no aeroporto de PEK receberão um teste de PCR e ficarão em quarentena por 14 dias em um local designado em Pequim. Os viajantes que chegam a Shanghai Pudong (PVG) ou Shanghai Hongqiao (SHA) devem passar pelo Teste de Ácido Nucleico (NAT) e uma quarentena de 14 dias em locais designados para observação médica.

Tripulantes de companhias aéreas com escala nos aeroportos acima devem passar pelo NAT dentro do terminal de passageiros e depois se auto-isolar no hotel temporariamente antes de obter os resultados do NAT. Tripulantes de companhias aéreas que chegarem aos aeroportos acima ficarão em quarentena após seu último turno e deverão se auto-isolar em hotéis para tripulação durante os intervalos de turnos. Os viajantes que chegam a Guangzhou (CAN) ou Shenzhen (SZX) que moram ou estiveram na França, Alemanha, Irã, Itália, Japão, Coreia do Sul, Espanha ou Estados Unidos nos últimos 14 dias devem passar por quarentena de 14 dias em casa ou em locais designados para observação médica. Todos os passageiros que chegarem ao SZX farão um teste de PCR. Os viajantes que chegarem ao XMN ficarão em quarentena para observação médica em hotéis designados por 14 dias e deverão arcar com os custos. Isso não se aplica a viajantes menores de 18 anos ou acima de 70 anos, mulheres grávidas e viajantes que sofrem de doenças, que devem solicitar permissão para passar uma quarentena de 14 dias em casa.

Todos os viajantes que chegam à China devem apresentar um código QR gerado a partir de um "Formulário de Declaração de Saúde" preenchido na chegada. O formulário pode ser obtido antes da partida em http://health.customsapp.com/.

China: Atualmente há 522 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 4.641 mortes até 16 jun 2020

Bandeira do KP

Coreia do Norte

A Coreia do Norte restringiu a entrada de todos os viajantes que são turistas.

A Coreia do Norte restringiu a entrada de todos os viajantes que sejam turistas, e os viajantes que visitam por motivos comerciais devem passar 14 dias em quarentena na chegada.

Bandeira do KR

Coréia do Sul

A Coreia do Sul restringiu a entrada de viajantes que chegam da China e do Japão e que atendem a determinados critérios.

A Coreia do Sul restringiu a entrada de todos os viajantes que estiveram na província de Hubei na China nos últimos 14 dias. Os cidadãos chineses com passaporte emitido na província de Hubei também não podem entrar no país. Os vistos coreanos emitidos pelo Consulado Wuhan na província de Hubei são invalidados. Os cidadãos da China e os viajantes que chegam da China precisam de visto para transitar pela Coreia do Sul.

Viajantes que chegam da China com passaporte diplomático, consular, oficial, de serviço ou especial ou são cidadãos da Albânia, Andorra, Barbados, Dominica, Guiana, Irlanda, Coréia do Sul, Malta, México, Mônaco, Nicarágua, Palau, San Marino, Eslovênia, São Cristóvão e Nevis, São Vicente e Granadinas, Estados Unidos, Reino Unido, Cidade do Vaticano e Venezuela ainda podem transitar pela Coreia do Sul sem visto.

Os vistos de curto prazo (tipo C-1 e C-3) emitidos em ou antes de 5 de abril são invalidados. As isenções de visto para 90 nacionalidades com passaporte normal são temporariamente suspensas, exceto para tripulantes de companhias aéreas ou passageiros com um cartão de viagens de negócios da APEC. Os viajantes com um visto em um passaporte vencido devem apresentar um "Aviso de Concessão de Visto" impresso e o passaporte vencido à imigração na chegada.

Estrangeiros residentes na Coreia do Sul com a maioria dos tipos de visto de longa duração precisarão solicitar uma permissão de reentrada em um escritório de imigração local ou no aeroporto antes de realizar qualquer viagem para fora da Coreia do Sul. Aqueles que viajam com uma permissão de reentrada também deverão fazer um exame médico o mais tardar 48 horas antes de planejar retornar à Coreia do Sul e obter um atestado médico em inglês ou coreano demonstrando o status negativo para a COVID-19.

Cidadãos da Mongólia, Rússia e Tailândia estão impedidos de transitar pela Coreia do Sul a caminho de ou para esses países.

Todos os viajantes que chegarem à Coreia do Sul estarão sujeitos a testes de PCR e uma auto-quarentena obrigatória por 14 dias. Todos os viajantes, incluindo membros da tripulação de companhias aéreas, também devem preencher os Formulários de Declaração de Saúde e os Formulários Especiais de Declaração de Quarentena por meio de um aplicativo de autodiagnóstico. Cidadãos e residentes da Coreia do Sul são obrigados a instalar um 'aplicativo de proteção de segurança para quarentena'.

Os cidadãos chineses que viajam a negócios no âmbito do programa Fast Lane e seus familiares estão isentos dos requisitos de quarentena; no entanto, eles devem monitorar suas condições de saúde por pelo menos 14 dias antes da partida e devem possuir um certificado médico atestando resultado negativo para o teste COVID-19 emitido até 72 horas antes da partida. Eles farão um teste adicional na chegada e, após, deverão permanecer em uma instalação de quarentena designada por até 1-2 dias até receber o resultado. Depois de receber um resultado negativo, eles poderão sair da quarentena.

Todos os voos devem chegar ao Aeroporto Internacional de Incheon (ICN) entre as 5h e as 20h.

Bandeira do PH

Filipinas

As Filipinas restringiram a entrada de todos os viajantes que não são cidadãos das Filipinas e seus cônjuges e filhos.

As Filipinas restringiram a entrada de todos os viajantes que não sejam cidadãos das Filipinas, cônjuges e filhos.

Todos os viajantes que chegam e a tripulação da companhia aérea devem apresentar um Formulário de Investigação de Caso na chegada. Todos serão testados para coronavírus (COVID-19) e colocados em quarentena enquanto aguardam os resultados do teste.

Filipinas: Atualmente há 34.178 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 1.309 mortes até 22 jun 2020

Bandeira do GE

Geórgia

A Geórgia restringiu a entrada de todos os viajantes que não são cidadãos e residentes da Geórgia ou membro familiar imediato.

A Geórgia restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam cidadãos e residentes da Geórgia ou um familiar imediato. Tripulantes de companhias aéreas, trabalhadores de ajuda humanitária, diplomatas e suas famílias, viajantes com status de refugiado na Geórgia e viajantes com status de apátrida ainda podem entrar no país.

Os portadores de autorização de residência devem obter uma aprovação para embarcar antes de partir para a Geórgia.

Todos os viajantes que entram na Geórgia estão sujeitos a uma quarentena de 14 dias após a chegada.

As restrições em voos comerciais internacionais para a Geórgia foram prolongadas até pelo menos 31 de julho.

Geórgia: Atualmente há 105 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 15 mortes até 29 jun 2020

Bandeira do HK

Hong Kong

Hong Kong restringiu a entrada de todos os cidadãos estrangeiros.

Hong Kong restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam portadores de passaporte de Hong Kong, portadores de Bilhete de Identidade Permanente, portadores de visto de trabalho ou estudo ou portadores de passaporte britânico com a nacionalidade de “Nacionalidade Britânica (Exterior)” com direito de residência em Hong Kong.

Os viajantes que estiveram apenas na China, Taiwan ou Macau nos últimos 14 dias ainda podem entrar.

Os residentes de Hong Kong com um cartão de identidade acompanhado por um visto marcado com “Permissão para permanecer prorrogada até” podem entrar em Hong Kong dentro da validade da estadia permitida.

Também podem participar tripulantes de companhias aéreas, funcionários do governo, cônjuges e filhos menores de residentes de Hong Kong e pessoal endossado pelo governo da HKSAR para se engajar em trabalho antiepidêmico.

Todos os viajantes qualificados para entrar em Hong Kong devem apresentar um Formulário de Declaração de Saúde preenchido ao Departamento de Saúde no momento da chegada e devem passar 14 dias em quarentena obrigatória.

Desde 15 de junho, os serviços de trânsito no Aeroporto Internacional de Hong Kong foram retomados para os viajantes, que podem efetuar check-in do aeroporto de origem até seu destino final. O trânsito entre voos operados por diferentes companhias aéreas agora é permitido, embora o trânsito de e para a China continental ainda não seja possível. Uma série de restrições ainda se aplica à passagem por Hong Kong; portanto, é recomendável verificar com sua companhia aérea ou agência de viagem antes de viajar.

Bandeira do ID

Indonésia

A Indonésia restringiu a entrada de todos os estrangeiros.

A Indonésia restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam cidadãos da Indonésia, titulares de Permissão de Permanência Temporária (ITAS) e de Permanência Permanente (ITAP), viajantes com um visto emitido após 31 de março de 2020, tripulação de companhias aéreas, diplomatas, trabalhadores de ajuda humanitária e estrangeiros trabalhando em projetos estratégicos nacionais. Todos os viajantes que entram no país que não sejam cidadãos indonésios devem passar por exames médicos na chegada e ficarão em quarentena por mais 14 dias. Eles também devem apresentar um atestado médico emitido dentro de 7 dias antes da chegada, indicando um resultado negativo do teste COVID-19 PCR ou fazer o teste para COVID-19 na chegada.

Indonésia: Atualmente há 32.132 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 3.309 mortes até 6 jul 2020

Bandeira do JP

Japão

O Japão restringiu a entrada de viajantes que estiveram em vários países ao redor do mundo nos últimos 14 dias.

O Japão restringiu a entrada de viajantes que foram ou transitaram pelo Afeganistão, Albânia, Andorra, Antígua e Barbuda, Argélia, Argentina, Armênia, Austrália, Áustria, Azerbaijão, Bahamas, Bahrain, Bangladesh, Barbados, Bielorrússia, Bélgica, Bolívia e Bósnia. e Herzegovina, Brasil, Brunei Darussalam, Bulgária, Camarões, Canadá, Cabo Verde, Chile, China, Colômbia, Costa do Marfim, Costa Rica, Croácia, Chipre, Cuba, República Tcheca, República Democrática do Congo, Dinamarca, Djibuti, Dominica, República Dominicana, Equador, Egito, El Salvador, Guiné Equatorial, Estônia, Eswatini (Suazilândia), Finlândia, França, Gabão, Alemanha, Gana, Grécia, Guiné, Guiné-Bissau, Honduras, Hong Kong, Hungria, Islândia, Índia, Indonésia, Irã, Irlanda, Israel, Itália, Cazaquistão, Kosovo, Kuwait, Quirguistão, Letônia, Líbano, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Macau, Malásia, Maldivas, Malta, Mauritânia, Maurício, México, Moldávia, Mônaco, Montenegro, Marrocos, Holanda, Nova Zelândia, Macedônia do Norte, Nicarágua, Noruega, Omã, Paquistão, Panamá, Peru, Filipinas, Polônia, Portugal, Catar, República Centro-Africana, Romênia, Rússia, São Marinho, São Tomé e Príncipe, São Vicente e Granadinas, Senegal, Arábia Saudita, Sérvia, Cingapura, Eslováquia, Eslovênia, África do Sul, Espanha, Coréia do Sul, São Cristóvão e Nevis, Suécia, Suíça, Taiwan, Tajiquistão, Tailândia, Turquia, Taiwan, Turquia, Ucrânia, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido, Estados Unidos, Uruguai, Cidade do Vaticano ou Vietnã nos últimos 14 dias. Residentes do Japão com status de “residente permanente”, “cônjuge ou filho de cidadão japonês”, “cônjuge ou filho de residente permanente” ou “residente de longo prazo” que deixaram o Japão com permissão de reentrada até 2 de abril de 2020 ainda podem voltar entrar no país, mesmo que tenham estado em um dos países acima. Se eles receberam permissão de reentrada entre 3 de abril e 28 de abril de 2020, poderão entrar novamente se estiverem apenas no Afeganistão, Antígua e Barbuda, Argentina, Azerbaijão, Bahamas, Bangladesh, Barbados, Bielorrússia, Cabo Verde, Colômbia, Djibuti, República Dominicana, El Salvador, Guiné Equatorial, Gana, Gabão, Guiné, Guiné-Bissau, Honduras, Índia, Cazaquistão, Kuwait, Quirguistão, México, Maldivas, Omã, Paquistão, Peru, Catar, Rússia, São Tomé e Príncipe, Arábia Saudita, África do Sul, São Cristóvão e Nevis, Tajiquistão, Emirados Árabes Unidos, Ucrânia ou Uruguai.

Se a permissão de reentrada foi concedida entre 29 de abril e 15 de maio de 2020, eles poderão voltar ao Japão se estiverem apenas no Afeganistão, Argentina, Azerbaijão, Bahamas, Bangladesh, Cabo Verde, Colômbia, El Salvador, Guiné Equatorial, Gabão, Gana, Guiné, Guiné-Bissau, Honduras, Índia, Cazaquistão, Quirguistão, México, Maldivas, Paquistão, África do Sul, São Tomé e Príncipe, Tajiquistão ou Uruguai. Se a permissão de reentrada for concedida entre 16 e 26 de maio de 2020, eles poderão entrar novamente no Japão se estiverem apenas no Afeganistão, Argentina, Bangladesh, El Salvador, Gana, Guiné, Índia, Quirguistão, Paquistão, África do Sul ou Tajiquistão. Cidadãos da China com passaporte emitido na província de Hubei ou na província de Zhejiang não podem entrar no país, a menos que possam provar que não estiveram nessas províncias nos últimos 14 dias. Os viajantes que estavam no navio de cruzeiro ‘Westerdam’ não podem entrar no país, a menos que sejam cidadãos do Japão. Cidadãos do Japão, seus cônjuges e filhos que podem apresentar provas, viajantes com Autorização de Residência Permanente Especial com permissão de reentrada de um oficial de imigração regional e militares dos EUA ainda podem entrar no país. Os viajantes e a tripulação de companhias aéreas que estiveram em qualquer um dos países listados até agora nos últimos 14 dias devem enviar um questionário de quarentena e passar por um teste de PCR na chegada. Regras especiais se aplicam a tripulantes de companhias aéreas que entram no Japão. Os membros da tripulação devem enviar questionários de quarentena e declarações “Plano de estadia no Japão”. As tripulações devem seguir as instruções fornecidas no documento de quarentena “Aviso: Para tripulações que embarcam em veículos de áreas sujeitas a quarentena reforçada”. As companhias aéreas devem providenciar veículos fretados (em oposição ao transporte público) para transportar tripulações entre o aeroporto e o hotel e garantir que as tripulações cumpram as outras regras durante sua estadia no Japão. A isenção de visto para viajantes com os seguintes passaportes é suspensa: Andorra, Argentina, Áustria, Bahamas, Barbados, Bélgica, Brunei Darussalam, Bulgária, Costa Rica, Croácia, República Tcheca, Chipre, Dinamarca, República Dominicana, El Salvador, Estônia, Finlândia, França Alemanha, Grécia, Guatemala, Honduras, Hong Kong, Hungria, Islândia, Indonésia, Irã, Irlanda, Israel, Itália, Macau, Coréia do Sul, Letônia, Lesoto, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malásia, Malta, México, Mônaco, Holanda, Noruega, Peru, Polônia, Portugal, Romênia, São Marinho, Cingapura, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suriname, Suécia, Suíça, Tailândia, Tunísia, Emirados Árabes Unidos, Reino Unido, Uruguai e Cidade do Vaticano. Além disso, a isenção de visto para cidadãos dos seguintes países com passaporte diplomático, oficial ou de serviço foi suspensa: Azerbaijão, Bangladesh, Camboja, Colômbia, Geórgia, Índia, Cazaquistão, Laos, Mongólia, Myanmar, Nauru, Omã, Paquistão, Palau, Papua Nova Guiné, Paraguai, Catar, Samoa, Ilhas Salomão, Turquemenistão, Ucrânia, Usbequistão e Vietnã. Os vistos emitidos até 8 de março de 2020 pelas embaixadas, consulados-gerais e consulado do Japão na China, Hong Kong, Macau ou Coréia do Sul são invalidados. Os vistos emitidos até 20 de março de 2020 pelas embaixadas, consulados-gerais e consulado do Japão nos seguintes países são invalidados. Andorra, Áustria, Bélgica, Bulgária, Croácia, República Tcheca, Chipre, Dinamarca, Egito, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Irã, Irlanda, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Mônaco, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, São Marinho, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suíça, Reino Unido e Cidade do Vaticano.

Japão: Atualmente há 2.018 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 981 mortes até 1 jul 2020

Bandeira do LA

Laos

As restrições de viagem do Laos ainda estão em vigor até pelo menos 31 de julho.

O Laos suspendeu todos os voos até pelo menos 31 de julho.

Os voos de evacuação médica, humanitários, de socorro, diplomacia e repatriamento com permissão de entrada obtida junto ao Ministério de Relações Exteriores do Laos ainda podem entrar no país.

Também são permitidas paradas técnicas nas quais passageiros e tripulantes não desembarquem.

Todos os viajantes que ingressarem no país devem fornecer um teste de PCR com resultado negativo emitido no máximo 72 horas antes da partida. Eles também devem preencher um formulário de declaração de saúde na chegada e estarão sujeitos a triagem médica, além de requisito de auto-quarentena de 14 dias às suas próprias custas.

Laos: Não há casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 0 morte até 3 jul 2020

Bandeira do MO

Macau

Macau restringiu a entrada de todos os não residentes de Macau de qualquer lugar, exceto Hong Kong, Taiwan ou China continental.

Macau restringiu a entrada de todos os viajantes que residem ou estiveram na província chinesa de Hubei nos últimos 14 dias, a menos que forneçam um certificado válido de que não possuem a COVID-19. Portadores de passaporte e residentes de Macau que estiveram na província de Hubei nos últimos 14 dias devem preencher um Formulário de Declaração de Saúde. Os viajantes que estiveram no Irã, na Itália ou na Coreia do Sul estarão sujeitos a quarentena por 14 dias.

Macau: Atualmente há 1 caso ativo de COVID-19 diagnosticados e 0 morte até 10 jun 2020

Bandeira do MV

Maldivas

As Maldivas estão começando a diminuir as restrições de viagens e aceitarão turistas a partir de 15 de julho.

As Maldivas estão começando flexibilizar as restrições de viagens; no entanto, o visto na chegada permanece suspenso até pelo menos 15 de julho. Todo mundo que entrar nas Maldivas com um propósito diferente do turismo estará sujeito a uma quarentena de 14 dias na chegada.

Um "Cartão de Declaração de Saúde" preenchido e um "Cartão de Chegada de Imigração" devem ser apresentados à chegada. Os viajantes estarão sujeitos a exames médicos.

A partir de 15 de julho, o visto na chegada será retomado. Os viajantes que entram nas Maldivas como turistas devem ter uma confirmação de reserva de hotel para toda a estadia em um estabelecimento turístico registrado e serão submetidos a uma triagem médica.

Maldivas: Atualmente há 331 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 12 mortes até 3 jul 2020

Bandeira do MY

Malásia

A Malásia limitou a entrada a cidadãos da Malásia, residentes e seus familiares.

A Malásia restringiu a entrada a todos os viajantes até pelo menos 31 de agosto, exceto os cidadãos, residentes permanentes com um cartão MyPR, diplomatas, funcionários da embaixada e cônjuges ou filhos de cidadãos da Malásia, que devem ter um visto com etiqueta autocolante no passaporte, indicando especificamente esse status.

Os viajantes com uma permissão My Malaysia Second Home (MM2H) e estudantes com um cartão de estudante de uma instituição da Malásia também podem entrar no país. Eles devem apresentar um resultado negativo no teste para COVID-19 emitido até 3 dias antes da chegada na Malásia.

Todos os viajantes que chegam devem se auto-isolar por 14 dias após a chegada. Os viajantes deverão fazer o download do aplicativo MySejahtera e receberão uma pulseira para identificação e monitoramento pelas autoridades durante o período de quarentena.

Os viajantes não podem se transferir de voos internacionais para voos domésticos, exceto para cidadãos da Malásia que estão viajando para Sabah ou Sarawak.

Estrangeiros com vistos válidos ou autorizações de trabalho que entraram na Malásia ANTES da Ordem de Controle de Movimento (MCO) começar em 16 de março podem entrar em Sarawak sem quarentena, mas devem solicitar permissão prévia do Comitê Estadual de Gerenciamento de Desastres do Estado de Sarawak (SDMC). Estrangeiros com vistos válidos ou autorizações de trabalho que entraram na Malásia durante o MCO estarão sujeitos a uma quarentena obrigatória de 14 dias em uma instalação governamental às suas próprias custas e devem primeiro solicitar permissão prévia do SDMC.

A tripulação de companhias aéreas deve apresentar um "Formulário de Declaração de Saúde" na chegada, estão sujeitos a quarentena até o próximo voo e devem instalar o aplicativo 'MySejahtera'.

Malásia: Atualmente há 72 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 121 mortes até 6 jul 2020

Bandeira do MN

Mongólia

A Mongólia restringiu a entrada de todos os cidadãos estrangeiros.

A Mongólia restringiu a entrada a todos os viajantes, exceto aos cidadãos ou residentes que são familiares diretos de um cidadão. Eles estarão sujeitos a uma quarentena de 21 dias em uma instalação designada na chegada, seguidos por um período de 14 dias de auto-isolamento em casa. Funcionários credenciados de missões diplomáticas e escritórios de organizações internacionais na Mongólia e seus familiares diretos ainda podem entrar no país. Eles estarão sujeitos a uma quarentena de 21 dias em uma instalação designada na chegada, seguidos por um período de 14 dias de auto-isolamento em casa. Motoristas internacionais de transporte de carga e pessoal de trem ferroviário da Mongólia, Rússia e China também podem entrar no país.

Mongólia: Atualmente há 32 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 0 morte até 10 jun 2020

Bandeira do MM

Myanmar

Mianmar suspendeu todos os voos para o país até pelo menos 31 de julho.

Mianmar suspendeu o recebimento de todos os voos internacionais até pelo menos 31 de julho de 2020, exceto voos de emergência, voos de evacuação médica e voos aprovados pelo Departamento de Aviação Civil.

Atualmente, novos pedidos de vistos de turismo estão suspensos, no entanto, Mianmar começou a aceitar pedidos de vistos de negócios para estrangeiros com razão convincente. Os viajantes devem se inscrever na embaixada de Mianmar mais próxima e obter permissão.

Todas as chegadas de vistos de negócios deverão ter concluído uma quarentena de uma semana antes de embarcar em um voo para Mianmar. Isso pode ser verificado pelo empregador, médico ou autodeclaração. Os viajantes só podem deixar o local de quarentena nas últimas 72 horas anteriores à viagem para fazer um teste de COVID.

Os viajantes serão verificados quanto à temperatura na chegada a Mianmar e devem fornecer um certificado "COVID-FREE" emitido nas 72 horas anteriores.

Após a chegada, os viajantes devem concluir uma quarentena de 7 dias em um estabelecimento governamental ou hotel aprovado pelo governo (alocado na chegada), seguido por mais 7 dias de auto-isolamento em casa, em um endereço verificável. Durante a segunda semana de quarentena, eles também devem fazer um segundo teste de COVID realizado pelo Laboratório Nacional de Saúde, ao custo de MMK 150.000.

Myanmar: Atualmente há 65 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 6 mortes até 9 jul 2020

Bandeira do NP

Nepal

O Nepal suspendeu todos os voos internacionais até pelo menos 5 de julho.

O Nepal suspendeu todos os voos internacionais até pelo menos 5 de julho de 2020. Os voos de evacuação, resgate e emergência, e os voos com permissão especial da Autoridade de Aviação Civil ainda podem entrar no país.

Nepal: Atualmente há 8.634 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 35 mortes até 17 jun 2020

Bandeira do PK

Paquistão

Paquistão passar a aceitar voos em todos os aeroportos internacionais, exceto Gwadar e Turbat.

O Paquistão reabriu seus aeroportos para voos internacionais, com exceção dos aeroportos de Gwadar (GWD) e Turbat (TUK).

Viajantes devem preencher uma declaração de saúde, estarão sujeitos a triagem térmica na chegada e serão colocados em quarentena em instalações gratuitas organizadas pelo Governo do Paquistão ou em instalações pagas pelo passageiro. As companhias aéreas são responsáveis por registrar qual instalação o passageiro prefere. Os viajantes serão testados para a COVID-19 e permanecerão em quarentena do governo ou terão que se auto-isolar, dependendo dos resultados dos testes.

Paquistão: Atualmente há 91.602 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 4.922 mortes até 3 jul 2020

Bandeira do KG

Quirguizistão

O Quirguistão restringiu a entrada de todos os cidadãos que não são do Quirguistão, incluindo residentes permanentes, e suspendeu temporariamente a entrada sem visto para viajantes da maioria dos países.

O Quirguistão restringiu a entrada de todos os cidadãos que não sejam do Quirguistão e suspendeu temporariamente a entrada sem visto para viajantes da maioria dos países.

Os estrangeiros estão proibidos de entrar no país, incluindo os residentes permanentes. Os estrangeiros com um familiar próximo que seja cidadão do Quirguistão (cônjuge, pai, filho) poderão entrar com prova documental do relacionamento.

Os cidadãos estrangeiros que são trabalhadores especializados com vistos W1 e W2 agora também podem entrar no Quirguistão, embora seus familiares possam não ser elegíveis. Para qualquer dúvida sobre os requisitos de entrada ou saída, entre em contato com as autoridades quirguizes relevantes pelo número +996 312 881 618.

Qualquer pessoa que entrar no Quirguistão estará sujeita a 3 dias de quarentena obrigatória nas instalações do estado. Os viajantes que não apresentarem sintomas devem poder ficar em quarentena em casa por 14 dias.

Quirguizistão: Atualmente há 5.205 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 107 mortes até 25 jun 2020

Bandeira do SG

Singapura

Cingapura restringiu a entrada de todos os cidadãos estrangeiros exceto aqueles com aprovação prévia do governo.

Cingapura restringiu a entrada e o trânsito de todos os visitantes de curta duração que não são residentes de Cingapura, Cidadãos e Residentes Permanentes de Cingapura ou Portadores de Passe de Longo Prazo (incluindo portadores de Passe de Trabalho, Passe de Estudante, Passe de Dependente e Passe de Visita de Longo Prazo ) Os viajantes que ingressam em Cingapura serão testados para COVID-19 a suas próprias custas e devem também se auto-isolar por 14 dias em uma instalação dedicada ao Stay-Home-Notice (SHN) a um custo de US$ 2000; os viajantes são responsáveis por cobrir todos esses custos. Durante a quarentena, os viajantes não terão permissão para deixar seu quarto, e não é permitido fumar nas instalações. O período de 14 dias não pode ser reduzido, mesmo que os viajantes desejem deixar Cingapura. A partir de 17 de junho, os viajantes que entram em Cingapura que passaram os 14 dias consecutivos anteriores na Alemanha, Austrália, Brunei, Hong Kong, Japão, Macau, China, Nova Zelândia, Coreia do Sul, Taiwan ou Vietnã ainda serão testados (e deverão arcar com os custos), mas podem se auto-isolar em um local de sua escolha Os titulares de passes de visita de longo prazo e passes de visita de longo prazo emitidos pela ICA também precisam, em princípio, de uma Carta de Entrada Aprovada (ALE) pela ICA. Os portadores de Passe de Estudante e os de Aprovação de Princípio de Passe de Estudante também precisam de uma ALE do Ministério da Educação (MOE).

Os titulares de passes de trabalho novos e existentes só podem entrar em Cingapura com a aprovação prévia do Ministério da Mão de Obra (MOM). Eles devem mostrar a carta de aprovação do MOM à equipe da companhia aérea no check-in e antes do embarque, bem como aos oficiais da ACI no ponto de verificação da imigração após a chegada a Cingapura. Visitantes de curto prazo com um AEA da ACI, Ministério do Comércio e Indústria (MTI), Ministério das Relações Exteriores (MFA) ou Ministério da Saúde ainda podem entrar no país. No entanto, eles ainda podem estar sujeitos a exames de saúde na chegada. Ter um ALE não garante um Visit Pass para entrar em Cingapura. Os possíveis visitantes de curto prazo que desejam entrar em Cingapura podem se inscrever diretamente na Autoridade de Imigração e Ponto de Verificação de Cingapura para obter aprovação prévia para entrada. O formulário de inscrição pode ser encontrado aqui. Todos os viajantes que entram em Cingapura, incluindo cidadãos de Cingapura, residentes permanentes e portadores de passe de longo prazo (LTP) devem enviar uma declaração de saúde por meio do e-Service SG Arrival Card (SGAC), em https://eservices.ica.gov.sg/sgarrivalcard ou pelo aplicativo. As companhias aéreas são solicitadas a informar os passageiros no check-in e antes do embarque, bem como a bordo, para enviar sua declaração de saúde pelo SGAC e-Service antes da chegada a Cingapura. O cartão de embarque/desembarque em papel foi descontinuado e não é mais distribuído pelas companhias aéreas que operam em Cingapura.

Singapura: Atualmente há 4.112 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 26 mortes até 29 jun 2020

Bandeira do LK

Sri Lanka

O Sri Lanka fechou seus aeroportos.

O Sri Lanka fechou todos os aeroportos.

O Aeroporto Internacional de Bandaranaike (CMB) ainda está aceitando determinadas categorias especiais de voos, incluindo voos emergenciais, voos de ajuda humanitária, operações de cargueiros e pousos técnicos.

Todos os viajantes que chegam devem enviar os Formulários de Declaração de Saúde preenchidos aos inspetores de saúde pública ou outros funcionários autorizados. O tempo máximo de trânsito permitido na CMB é de 12 horas. Os passageiros devem ter um voo de conexão confirmado para a continuação da viagem.

A tripulação da companhia aérea deve se auto-colocar em quarentena no local mencionado no Formulário de Declaração de Saúde e fazer as refeições apenas no quarto até que operem seu próximo voo.

Os vistos e ETAs emitidos pelo Sri Lanka foram invalidados.

Sri Lanka: Atualmente há 115 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 11 mortes até 30 jun 2020

Bandeira do TJ

Tadjiquistão

O Tajiquistão suspendeu todos os voos, exceto voos humanitários, de emergência e repatriação, até pelo menos 15 de julho.

O Tajiquistão suspendeu todos os voos, exceto voos humanitários, de emergência e repatriação, até pelo menos 15 de julho.

Os viajantes que entram no Tajiquistão estão sujeitos a quarentena por 14 dias na chegada. A tripulação da companhia aérea deve ficar em quarentena até o próximo voo programado.

Tadjiquistão: Atualmente há 1.297 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 53 mortes até 1 jul 2020

Bandeira do TH

Tailândia

A Tailândia suspendeu todos os voos para o país.

A Tailândia suspendeu todos os voos para o país e restringiu até pelo menos 31 de julho a entrada de todos os estrangeiros, exceto residentes permanentes, pais, cônjuges e filhos de cidadãos e residentes tailandeses, estudantes, tripulação de companhias aéreas com um voo de volta programado e aqueles com permissão de trabalho.

Desembarques de emergência, voos de ajuda humanitária, voos médicos ou de socorro, voos de repatriação e carga, aeronaves estaduais ou militares e pousos técnicos sem desembarque ainda podem entrar no país.

Todos os viajantes que chegam devem apresentar um Certificado de Entrada e um Formulário de Declaração já preenchido, emitido pela Embaixada da Tailândia ou pelo Consulado-Geral da Tailândia em seu país de partida, além de um certificado de saúde que ateste aptidão para voar (emitido não mais de 72 horas antes da viagem) e comprovante de seguro de saúde de no mínimo US$ 100.000 cobrindo todas as despesas médicas enquanto estiver na Tailândia. Ao entrar na Tailândia, todos os viajantes estarão sujeitos a uma quarentena de 14 dias em uma instalação designada pelo governo local às suas próprias custas.

A validade de todos os vistos temporários foi prorrogada até 31 de julho de 2020.

Tailândia: Atualmente há 65 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 58 mortes até 2 jul 2020

Bandeira do TW

Taiwan

Taiwan começou a reabrir suas fronteiras para estrangeiros: eles devem solicitar uma permissão de entrada especial antes de viajar.

Taiwan começou a reabrir suas fronteiras para estrangeiros, desde que viajem por outros motivos que não o turismo ou para visitar amigos. Todas as isenções de visto foram suspensas; portanto, os viajantes devem solicitar uma permissão de entrada especial em um escritório de representação de Taiwan no exterior antes de viajar.

Os viajantes que já possuem um certificado de residente estrangeiro (ARC) ou certificado de residente permanente estrangeiro (APRC) válido não precisam de visto para entrar em Taiwan.

Ao entrar, Taiwan exige que todos os estrangeiros apresentem um certificado em inglês de um teste negativo para a COVID-19, realizado dentro de três dias após o embarque no voo para Taiwan e que passem 14 dias em quarentena em casa. Durante o período de quarentena, o indivíduo deve ficar em casa (ou no local designado) e não pode usar o transporte público ou sair de Taiwan. Os viajantes de negócios a curto prazo podem solicitar um período mais curto de quarentena em casa. Os seguintes visitantes podem ser isentos do teste negativo de COVID-19: pessoal de negócios diplomáticos ou oficiais, trabalhadores migrantes, estudantes, pessoas que vêm a Taiwan em situações de emergência e tripulantes de navios que chegam a Taiwan.

Passageiros estrangeiros, incluindo pessoas de Hong Kong e Macau, agora estão autorizados a transitar pelo Aeroporto Internacional de Taoyuan. Os titulares de passaportes da República Popular da China (RPC) não poderão transitar em Taiwan. Aqueles que estiverem em trânsito precisarão embarcar em voos de conexão da mesma companhia aérea em que voam. Os trânsitos devem durar menos de 8 horas. Os passageiros em trânsito que precisam esperar mais de uma hora permanecerão separados dos outros passageiros, em uma área separada.

Bandeira do TL

Timor Leste

Timor-Leste restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos e residentes de Timor-Leste.

Timor-Leste restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos e residentes, passageiros nascidos no Timor-Leste, representantes legais de menores timorenses; e trabalhadores de plataformas de petróleo. Todos os viajantes que chegam ao país estão sujeitos a isolamento por 14 dias.

Timor Leste: Não há casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 0 morte até 10 jun 2020

Bandeira do TM

Turcomenistão

O Turquemenistão suspendeu todos os voos para o país.

O Turcomenistão suspendeu todos os voos para o país até pelo menos 20 de junho de 2020. Os voos de repatriamento de cidadãos e residentes do Turcomenistão ainda podem entrar no país.

Os viajantes devem portar atestado médico emitido até 72 horas antes da partida pelas organizações de saúde do país de origem, que mostre que foram submetidos ao teste do Coronavírus (COVID-19) e tiveram resultado negativo. Eles estarão sujeitos a uma quarentena de 14 dias ao entrar no país.

Bandeira do UZ

Uzbequistão

O Uzbequistão retomou os voos internacionais para certas categorias de viajantes de países considerados em situação epidemiológica estável.

O Uzbequistão retomou os voos internacionais para certas categorias de viajantes de países considerados em situação epidemiológica estável. A lista completa de países inclui UE, Japão, Coréia do Sul, China, Israel, Malásia, Tailândia, Cingapura, Emirados Árabes Unidos, Turquia, Irã, Afeganistão, Rússia e países da CEI (Armênia, Azerbaijão, Bielorrússia, Cazaquistão, Quirguistão, Moldávia, Rússia e Tajiquistão).

Os viajantes que passaram pelo menos 14 dias antes de viajar nos países listados acima podem entrar/sair do Uzbequistão se forem: Funcionários de embaixadas e consulados ou membros de suas famílias, funcionários de empresas estrangeiras e outras organizações que trabalham no Uzbequistão como parte de projetos de investimento, pessoas que viajam para tratamento médico, pessoas com parentes próximos ou parentes gravemente doentes no exterior, pessoas que transitam pelo Uzbequistão a pedido de embaixadas e consulados de países estrangeiros, cidadãos estrangeiros com residência no Uzbequistão, apátridas ou cidadãos do Uzbequistão com registro em outros países.

As regras de quarentena se aplicam de maneira diferente, dependendo do país de origem do viajante:

Japão, Coréia do Sul, China e Israel: Não é necessária quarentena. União Europeia, Malásia, Tailândia e Cingapura: auto-quarentena de 14 dias em casa. Emirados Árabes Unidos, Turquia, Irã, Afeganistão, Rússia e países da CEI (Armênia, Azerbaijão, Bielorrússia, Cazaquistão, Quirguistão, Moldávia, Rússia, Tajiquistão): quarentena do governo.

Todos os viajantes que entram no Uzbequistão devem usar máscaras em locais públicos o tempo todo.

Uzbequistão: Atualmente há 3.986 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 41 mortes até 17 jun 2020

Bandeira do VN

Vietnã

O Vietnã restringiu a entrada de todos os estrangeiros.

O Vietnã restringiu toda a entrada a viajantes, exceto cidadãos, diplomatas e trabalhadores altamente qualificados, especialistas, gerentes de negócios e outros que foram aprovados pelo Comitê Diretor Nacional de Prevenção e Controle do COVID-19. Quem viaja para fins oficiais estará sujeito a exame médico na fronteira antes de entrar no Vietnã. Todas as travessias estão sujeitas a uma quarentena de 14 dias e devem preencher um formulário de quarentena antes da chegada. Todos os seguros de visto estão suspensos. Cidadãos da Itália, Coréia do Sul, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Noruega, Espanha, Suécia e passageiros com passaporte britânico não estão mais isentos de visto. Os viajantes com um certificado de isenção de visto emitido pelo Vietnã que reside na China, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Irã, Itália, Coréia do Sul, Noruega, Espanha, Suécia ou Reino Unido não estão mais isentos de visto. Cidadãos da Bielorrússia, Japão e Rússia com passaporte normal ou certificado de isenção de visto não são mais isentos de visto. O Aeroporto Internacional Noi Bai (HAN) está suspendendo temporariamente todos os voos. Todos os seguros de visto estão suspensos. Cidadãos da Itália, Coreia do Sul, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Noruega, Espanha, Suécia e passageiros com passaporte britânico não estão mais isentos de visto. Os viajantes com um certificado de isenção de visto emitido pelo Vietnã que residem na China, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Irã, Itália, Coreia do Sul, Noruega, Espanha, Suécia ou Reino Unido não estão mais isentos de visto. Cidadãos da Bielorrússia, Japão e Rússia com passaporte normal ou certificado de isenção de visto não estão mais isentos de visto.

Vietnã: Atualmente há 27 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 0 morte até 10 jun 2020

Bandeira do IN

Índia

A Índia suspendeu a maioria das categorias de voos internacionais para o país.

A Índia suspendeu a maioria dos voos para o país até pelo menos 31 de julho.

Certas categorias de cidadãos e residentes indianos podem entrar no país em voos de repatriamento organizados pelo Ministério da Aviação Civil.

Existem outras exceções para voos de carga aérea que transportam mercadorias para comércio ou bens e suprimentos essenciais, e seus tripulantes, ajudantes, faxineiros, etc.

O Ministério do Interior da Índia emitiu novas diretrizes, permitindo que determinadas categorias de estrangeiros viajem à Índia a negócios. No entanto, exigirá que eles primeiro obtenham um novo visto de negócios ou trabalho. Para obter informações sobre categorias e processos, visite o site do Indian Bureau of Immigration.

Todos os viajantes devem passar por quarentena obrigatória por 14 dias após a chegada à Índia.

Índia: Atualmente há 264.944 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 20.642 mortes até 8 jul 2020

Oriente Médio

Bandeira do AF

Afeganistão

Afeganistão passa a aceitar viajantes internacionais.

O Afeganistão retomou voos internacionais.

A triagem no ponto de entrada foi introduzida. Nem todo mundo está sendo examinado, mas aqueles que estão com temperatura acima de 38 °C podem ser enviados diretamente para um dos 2 hospitais nacionais (Hospital de Doenças Infecciosas de Cabul e Hospital de Doenças Transmissíveis Afegão-Japão em Cabul) ou 5 hospitais provinciais. Esses hospitais estão fora da zona de segurança aprimorada.

Afeganistão: Atualmente há 12.285 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 920 mortes até 26 jun 2020

Bandeira do SA

Arábia Saudita

A Saudia Arabia suspendeu todos os voos de entrada.

A Arábia Saudita suspendeu todos os voos de entrada. O governo saudita anunciou que as viagens para participação da peregrinação à Meca (Hajj) este ano, com início previsto para 26 de julho, não serão possíveis para aqueles que ainda não estiverem presentes na Arábia Saudita.

As paradas técnicas, voos humanitários, médicos e de repatriamento ainda podem entrar no país com a aprovação prévia do GACA. Quem esteve no Egito, Iraque, Itália e Coréia do Sul nos 14 dias anteriores não terão permissão para entrar ou transitar no Reino, independentemente do visto ou do status de residência. Além disso, as viagens de / para a China continental foram suspensas. O governo saudita informou que os expatriados que viajam para a China não poderão retornar à Arábia Saudita.

Todos os viajantes que entrarem na Arábia Saudita serão colocados em isolamento de saúde por 14 dias após sua chegada.

Arábia Saudita: Atualmente há 60.252 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 2.017 mortes até 3 jul 2020

Bandeira do BH

Bahrein

Bahrein restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos, residentes, militares e viajantes com uma carta válida de permissão prévia concedida (PPG).

O Bahrein restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos, residentes, militares do Bahrain e viajantes com uma carta válida de permissão prévia concedida (PPG), que deve ser apresentada antes do embarque.

Os vistos na chegada foram suspensos, exceto para diplomatas ou viajantes com passaporte da ONU. Qualquer pessoa que tente entrar no Bahrain deve ter uma autorização de residência no Bahrein ou obter um visto com antecedência, visitando www.evisa.gov.bh.

Todas as chegadas ao Bahrein estarão sujeitas a procedimentos de quarentena e testes avançados. Aqueles sem sintomas precisarão se auto-isolar por 14 dias na chegada, enquanto aqueles com sintomas estarão sujeitos a medidas adicionais de quarentena.

Além disso, todas as chegadas que visitaram ou transitaram o Irã, Iraque e Líbano nos 14 dias anteriores à sua chegada ao Bahrein estarão sujeitas a procedimentos de testagem aprimorada e quarentena em instalações do governo.

A passagem de fronteira pela ponte foi suspensa.

Bahrein: Atualmente há 4.653 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 98 mortes até 23 jun 2020

Bandeira do QA

Catar

O Catar restringiu a entrada de todos os estrangeiros.

O Catar restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos e residentes permanentes do Catar.

Os viajantes qualificados para entrar no Qatar estão sujeitos a quarentena por 14 dias. Eles devem ter uma reserva de hotel para esse período.

Catar: Atualmente há 5.908 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 134 mortes até 17 jun 2020

Bandeira do AE

Emirados Árabes Unidos

Os Emirados Árabes Unidos restringiram a entrada de estrangeiros que não são residentes.

Os Emirados Árabes Unidos restringiram a entrada da maioria dos não residentes. No entanto, há um conjunto de regulamentos específicos para entrar em Dubai, que foram anunciados em 21 de junho e agora estão em vigor para os residentes e visitantes de Dubai.

Para ingressar nos Emirados Árabes Unidos, em geral, os viajantes devem primeiro obter a aprovação das autoridades dos Emirados Árabes Unidos e inscrever-se online no site da Autoridade Federal para Identidade e Cidadania.

Para a entrada em Dubai, novos procedimentos foram estabelecidos em 21 de junho para os residentes que retornaram. Os residentes de Dubai que se encontram no exterior agora podem retornar.

Os residentes de Dubai devem solicitar uma permissão para retornar no site da Direção Geral de Assuntos de Residências e Assuntos Estrangeiros do Governo de Dubai. Antes de voar, os residentes também deverão preencher um Formulário de Declaração de Saúde e um Formulário de Quarentena. Ambos os formulários precisam ser impressos, preenchidos e entregues aos funcionários da Autoridade de Saúde de Dubai na chegada. Mais informações sobre como reservar um voo para residentes que retornam estão disponíveis no site da companhia aérea Emirates. No retorno a Dubai, os residentes terão que passar por um teste de PCR para a COVID-19 no aeroporto e registrar seus detalhes no aplicativo COVID-19 DXB. Os residentes que retornam devem se isolar em casa até os resultados do testes feitos estejam disponíveis. Aqueles que obtiverem resultados positivos para a COVID-19 devem se auto-isolar por pelo menos 14 dias e seguir as regras emitidas pelas autoridades de Dubai.

Os visitantes de Dubai que não são residentes poderão viajar para Dubai a partir de 7 de julho. Mais informações sobre o que os visitantes precisam fazer antes de viajar e o que acontecerá na chegada a Dubai estão disponíveis no site do Governo de Dubai, incluindo informações sobre testagem na chegada e quarentena.

Antes que os visitantes voem para Dubai, eles também deverão preencher um Formulário de Declaração de Saúde e um Formulário de Quarentena. Ambos os formulários precisam ser impressos, preenchidos e entregues aos funcionários da Autoridade de Saúde de Dubai na chegada. Os visitantes de Dubai também terão que registrar seus detalhes no aplicativo COVID-19 DXB.

Os visitantes devem ter seguro de saúde internacional antes de viajar e devem demonstrar que fizeram um teste de PCR para a COVID-19 com resultado negativo no máximo quatro dias antes da data de partida.

Emirados Árabes Unidos: Atualmente há 10.560 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 326 mortes até 9 jul 2020

Bandeira do IQ

Iraque

O Iraque fechou seus aeroportos até pelo menos 15 de julho.

O Iraque suspendeu todos os voos até pelo menos 15 de julho, exceto voos da Cruz Vermelha, humanitários, evacuação médica, repatriação, emergência e militares.

Iraque: Atualmente há 25.764 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 2.685 mortes até 6 jul 2020

Bandeira do IR

Irã

O Irã restringiu a entrada de cidadãos dos Emirados Árabes Unidos.

O Irã restringiu a entrada de cidadãos dos Emirados Árabes Unidos.

Cidadãos da China, Hong Kong e Macau, os portadores de passaporte não estão mais isentos de visto. Eles podem obter um visto na chegada.

Os viajantes que entram no Irã devem apresentar um formulário de autodeclaração referente ao COVID-19. Eles estarão sujeitos a exames médicos e quarentena na chegada.

Irã: Atualmente há 26.757 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 11.931 mortes até 10 jun 2020

Bandeira do IL

Israel

Israel restringiu a entrada de todos os estrangeiros.

Israel restringiu a entrada de todos os viajantes que não são cidadãos ou residentes de Israel. Os estrangeiros não podem transitar em Israel.

Os viajantes que possuem aprovação específica da população e da Autoridade de Imigração de Israel ainda podem entrar no país.

Todos os viajantes que chegam devem apresentar um "Formulário de Declaração de Saúde" preenchido na chegada e estarão sujeitos a um requisito de quarentena de 14 dias.

Israel: Atualmente há 13.653 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 342 mortes até 1 jul 2020

Bandeira do YE

Iêmen

O Iêmen suspendeu todos os voos internacionais.

O Iêmen suspendeu todos os voos de e para o Aeroporto Internacional de Sanaa.

Iêmen: Atualmente há 358 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 348 mortes até 10 jun 2020

Bandeira do JO

Jordânia

A Jordânia restringiu a entrada de todos os viajantes.

A Jordânia restringiu a entrada de todos os viajantes até pelo menos 14 de julho.  

Apenas voos de emergência, ajuda humanitária, medicamentos, repatriação, das Nações Unidas e diplomáticos ainda podem entrar no país. Paradas técnicas que não exigem que os passageiros desembarquem também podem entrar no país.

Jordânia: Atualmente há 190 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 10 mortes até 30 jun 2020

Bandeira do KW

Koweit

O Kuwait restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos do Kuwait, suas famílias imediatas e trabalhadores domésticos que estejam acompanhados por um cidadão do Kuwait.

O Kuwait restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos do Kuwait, suas famílias imediatas e trabalhadores domésticos acompanhados por um cidadão do Kuwait. Todos os itens acima devem ter uma autorização OK TO TRAVEL obtida da embaixada do Estado do Kuwait. Portadores de passaporte diplomático, portadores de passaporte da ONU e membros da UNESCO com aprovação prévia das autoridades governamentais também podem entrar no país. Todos os viajantes devem instalar o aplicativo ‘Shlonik’ em seu dispositivo pessoal antes da partida. A DGCA do Kuwait será informada de qualquer viajante que não possa instalar o aplicativo e eles deverão apresentar seu cartão de embarque na chegada.

Koweit: Atualmente há 9.353 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 377 mortes até 10 jun 2020

Bandeira do LB

Líbano

O Líbano reabriu seus aeroportos com capacidade limitada.

O Líbano reabriu seus aeroportos com capacidade limitada.

As pessoas que viajam para o Líbano deverão cumprir as medidas de testagem e auto-isolamento para reduzir a propagação do coronavírus. Verifique junto à companhia aérea e embaixada libanesa antes de fazer uma reserva.

Os viajantes que tenham 12 anos ou mais e que chegam de países com capacidade de teste de PCR deverão fazer um teste de PCR dentro de 96 horas antes da viagem e fazer outro teste na chegada a um custo de USD 100 pago pela companhia aérea. Eles serão informados dos resultados do teste dentro de 24 horas após a chegada e, se os dois testes resultarem negativos, não será necessário auto-isolamento.

Os viajantes que tenham 12 anos ou mais e que chegam de países sem capacidade de teste de PCR deverão fazer um teste de chegada ao custo de USD 100 pago pela companhia aérea e depois se auto-isolar, realizando outro teste de PCR 72 horas após a chegada, por conta própria. Se ambos os testes forem negativos, não será necessário mais auto-isolamento.

Os viajantes que tiverem resultados positivos terão que se auto-isolar e seguir as diretrizes do Ministério da Saúde do país.

Os viajantes que deixaram o Líbano por um período não superior a uma semana serão isentos do teste de PCR ao retornar.

Os viajantes são obrigados a ter um seguro para toda a sua estadia no Líbano, que cobrirá integralmente os custos do tratamento médico com coronavírus, caso apresentem resultados positivos para o coronavírus.

Líbano: Atualmente há 523 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 36 mortes até 8 jul 2020

Bandeira do OM

Omã

Omã restringiu a entrada de todos os cidadãos estrangeiros.

Omã restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos de Omã.

Omã: Atualmente há 17.773 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 224 mortes até 10 jun 2020

Bandeira do SY

Síria

A Síria suspendeu todos os voos.

A Síria suspendeu todos os voos a partir de 22 de março de 2020.

Síria: Atualmente há 232 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 14 mortes até 10 jun 2020

Bandeira do PS

Territórios Palestinianos Ocupados

A Palestina não tem restrições de entrada, mas começou a colocar em quarentena todos os viajantes que chegam do exterior.

A Palestina começou a colocar em quarentena todos os viajantes que chegam do exterior.

América do Norte

Bandeira do BM

Bermudas

As Bermudas suspenderam sua proibição de viagem em 1º de julho, o que significa que todos os viajantes já podem entrar no território.

As Bermudas suspenderam sua proibição de viagem anterior, o que significa que todos os viajantes podem entrar no território a partir de 1º de julho.

Todos os viajantes que entram nas Bermudas, visitantes ou residentes, devem concluir on-line o processo de autorização de viagem nas Bermudas, que reúne informações importantes para os funcionários de saúde e imigração da ilha; é necessário pagar uma taxa de US $ 75, que inclui o custo do teste para a COVID-19 nas Bermudas.

Viajantes com mais de 10 anos de idade devem apresentar um teste negativo de RT-PCR para a COVID-19 feito dentro de 72 horas da partida. Crianças de 10 a 17 anos podem apresentar um teste de saliva no lugar de um teste de RT-PCR. Crianças com menos de 10 anos de idade são isentas.

Um segundo teste será realizado na chegada às Bermudas, e os viajantes terão que se auto-isolar enquanto aguardam o resultado (tempo de resposta entre 6 e 8 horas, na maioria dos casos, quando a chegada ocorre durante o dia). Crianças com menos de 10 anos de idade são isentas, mas devem permanecer em quarentena com seus acompanhantes adultos de viagem. Residentes (incluindo portadores de permissão de trabalho) que não possuírem um resultado negativo no teste de PCR para a COVID-19 antes da partida devem ficar em quarentena por três dias após a chegada. Eles serão testados no terceiro dia e serão liberados da quarentena com um teste negativo. Se eles realizarem o teste RT-PCR para a COVID-19 antes da partida e receberem um resultado negativo nos primeiros três dias nas Bermudas, eles serão liberados da quarentena.

Após um resultado negativo, os viajantes devem medir sua própria temperatura duas vezes por dia e reportar através de um aplicativo/portal on-line. Eles também devem fazer testes de COVID-19 adicionais, administrados nos dias 3, 7 e 14, em centros pop-up de fácil acesso ao redor da ilha.

Os visitantes devem adquirir um plano de saúde que cubra o potencial diagnóstico positivo para a COVID-19 enquanto estiverem nas Bermudas. Os visitantes sem cobertura serão responsáveis ​​por todos os custos de saúde e acomodações relacionados a um diagnóstico positivo para COVID-19 enquanto estiverem nas Bermudas.

Disposições especiais aplicam-se à tripulação. Os visitantes e a tripulação podem partir das Bermudas com base no itinerário da viagem, se o período for inferior a 14 dias e se permanecerem assintomáticos.

Bermudas: Atualmente há 2 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 9 mortes até 6 jul 2020

Bandeira do CA

Canadá

O Canadá restringiu a entrada de todos os cidadãos estrangeiros. Cidadãos canadenses e residentes permanentes que apresentarem sintomas de COVID-19 só podem entrar somente por terra, trem ou mar, e não por via aérea.

O Canadá restringiu a entrada de todos os estrangeiros. Os viajantes que não são cidadãos canadenses, residentes permanentes ou pessoas registradas de acordo com a Lei Indiana só podem entrar no Canadá para fins essenciais. A entrada será negada às pessoas que viajam para turismo, visitação, recreação, entretenimento, visitas sociais ou eventos religiosos.

Cidadãos canadenses, residentes permanentes, familiares imediatos, diplomatas, tripulações de companhias aéreas e viajantes que chegam dos Estados Unidos que viajam para fins não discricionários ou não opcionais ainda podem entrar no Canadá. Apenas os aeroportos Toronto Pearson (YYZ), Montreal Pierre Elliott Trudeau (YUL), Aeroporto Internacional de Calgary (YYC) e Aeroporto Internacional de Vancouver (YVR) estão operando voos internacionais. Voos domésticos, bem como os voos dos Estados Unidos, alguns destinos como o México e o Caribe e de St. Pierre-et-Miquelon, atualmente não são afetados por esta medida.

Trabalhadores agrícolas sazonais, pescadores, cuidadores, trabalhadores temporários estrangeiros, estudantes internacionais com permissões de estudo válidas ou aprovações para licenças de estudo válidas a partir de pelo menos 18 de março de 2020 e candidatos a residência permanente que receberam aprovação antes de 18 de março de 2020 e que ainda não tinham viajado para o Canadá ainda pode entrar no país.

Outras pessoas com dispensa especial para entrar no Canadá incluem cidadãos franceses que residem em Saint-Pierre-et-Miquelon, pessoas registradas sob a Lei Indiana, refugiados isentos de visto e suas famílias imediatas e pessoas com autorização especial do governo canadense.

Todos os passageiros em voos para o Canadá devem utilizar máscara de cobertura facial. Os viajantes que apresentarem sintomas serão proibidos de embarcar em aviões destinados ao Canadá. Se apresentarem sintomas na chegada, serão encaminhados à Agência de Saúde Pública do Canadá. Os viajantes que tiveram o embarque recusado nos últimos 14 dias devido a razões médicas relacionadas ao COVID-19 não podem entrar no país. Os viajantes devem se auto-isolar por 14 dias após a chegada ao destino final no Canadá.

Os viajantes que desembarcaram de um navio de cruzeiro com um surto conhecido de COVID-19 como a 'Diamond Princess' deverão permanecer em quarentena por 14 dias em um local determinado pelo Diretor de Saúde Pública.

Os passaportes da Macedônia do Norte que expiraram em 18 de março de 2020 ou posterior serão considerados válidos para entrada no Canadá até 31 de julho de 2020.

Visitantes em trânsito no Canadá que não estejam isentos (por exemplo, com um visto canadense válido ou um cartão permanente de residência) devem obter uma Autorização Eletrônica de Viagem. Consulte o site da Transport Canada para mais informações.

Canadá: Atualmente há 27.841 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 8.764 mortes até 7 jul 2020

Bandeira do US

Estados Unidos

Os Estados Unidos restringiram a entrada de todos os estrangeiros que visitaram Brasil, China, Irã, espaço Schengen, Irlanda ou Reino Unido nos últimos 14 dias.

Os Estados Unidos restringiram a entrada de todos os estrangeiros que passaram ou estiveram na Áustria, Bélgica, Brasil, China, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Irã, Irlanda, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suíça ou Reino Unido (excluindo territórios ultramarinos fora da Europa) nos últimos 14 dias.

Cidadãos dos EUA e residentes permanentes que passaram ou estiveram em qualquer um dos países acima nos últimos 14 dias ainda podem entrar nos Estados Unidos, mas devem chegar por um dos seguintes aeroportos: Atlanta (ATL), Boston (BOS), Chicago (ORD), Dallas, (DFW), Detroit (DTW), Honolulu (HNL), Los Angeles (LAX), Miami (MIA), Nova York (JFK ou EWR), San Francisco (SFO), Seattle (SEA) e Washington (IAD).

Membros da família de cidadãos americanos e residentes permanentes e algumas outras categorias limitadas de portadores de visto (como funcionários da ONU e diplomatas) também podem entrar; no entanto, uma ordem executiva presidencial datada de 22 de junho colocou mais restrições a certos vistos (H1-B, H2-B, J e L), que serão implementadas a partir de 24 de junho. Para verificar se você é afetado, consulte a página de viagem do Governo dos Estados Unidos.

Os viajantes que têm permissão para entrar nos Estados Unidos, mas que já passaram ou estiveram em qualquer um dos países mencionados acima, devem ficar em quarentena por 14 dias após chegarem ao destino final.

Estados Unidos: Atualmente há 1.971.515 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 131.477 mortes até 30 jun 2020

Bandeira do GL

Gronelândia

A Groenlândia restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam cidadãos dinamarqueses ou residentes que retornam.

A Groenlândia restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam cidadãos dinamarqueses ou residentes que retornam.

Bandeira do MX

México

O México não tem nenhuma restrição de entrada, mas os viajantes que chegam de países afetados pela COVID-19 serão submetidos à triagem e colocados em quarentena, se necessário.

O México não implementou nenhuma restrição de entrada, mas os viajantes provenientes de países afetados pelo coronavírus (COVID-19) serão rastreados e os que apresentarem sintomas serão colocados em quarentena.

Um questionário de identificação de fator de risco ao viajante ("Cuestionario de identificación de factores de riesgo en viajeros") preenchido deve ser apresentado à imigração na chegada.

A fronteira terrestre entre o México e os EUA foi fechada para tráfego não essencial até pelo menos 21 de julho.

México: Atualmente há 26.557 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 32.014 mortes até 19 jun 2020

Caribe

Bandeira do AI

Anguila

Anguilla fechou seus aeroportos.

Anguilla fechou todos os seus aeroportos até pelo menos 14 de julho.

Anguila: Não há casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 0 morte até 2 jul 2020

Bandeira do AG

Antígua e Barbuda

Antígua e Barbuda reabriram suas fronteiras.

Antígua e Barbuda reabriram suas fronteiras. Na chegada, todos os viajantes devem usar máscaras e passar por exames médicos, apresentar um formulário de declaração de saúde preenchido e ter um atestado médico indicando um resultado negativo do teste de coronavírus (COVID-19) emitido dentro de 48 horas antes da chegada.

Os viajantes sujeitos a um teste de coronavírus na chegada devem pagar uma taxa de US$ 100 ou o equivalente local em dinheiro. Os viajantes sem um atestado médico válido ficarão em quarentena por 14 dias às suas próprias custas ou até que testem negativo para coronavírus.

Antígua e Barbuda: Atualmente há 44 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 3 mortes até 15 jun 2020

Bandeira do AW

Aruba

Aruba abriu suas fronteiras para viajantes da Europa, Canadá e da maioria das nações do Caribe.

Aruba abriu suas fronteiras para viajantes da Europa, Canadá e da maioria das nações do Caribe. Os viajantes dos Estados Unidos poderão entrar a partir de 10 de julho.

Todos os turistas devem preencher o Cartão ED e adquirir o seguro COVID obrigatório de Aruba, mesmo se eles tiverem seu próprio seguro. O custo é de USD 15 por dia (sujeito a alterações). Crianças menores de 14 anos estarão isentas do requisito de seguro; no entanto, estarão sujeitas a uma taxa fixa de administração única de USD 10. Elas também devem enviar um formulário de declaração de auto-saúde 72 horas antes da viagem e são incentivadas a faça um teste de PCR antes de viajar e envie os resultados online. Os viajantes que não o fizerem precisarão pagar por um teste obrigatório na chegada a Aruba e ficar em quarentena enquanto aguardam os resultados do teste.

Viajantes de estados dos EUA com alta incidência de casos de COVID-19 só poderão entrar se apresentarem um resultado negativo antes de viajarem para Aruba; eles não terão a opção de serem testados na chegada. Isso se aplica a residentes dos seguintes estados dos EUA: Alabama, Arizona, Arkansas, Califórnia, Colorado, Flórida, Geórgia, Idaho, Iowa, Kansas, Louisiana, Mississippi, Nevada, Carolina do Norte, Ohio, Oklahoma, Oregon, Carolina do Sul, Dakota do Sul, Tennessee, Texas, Utah, Wisconsin e Wyoming.

A prova de um resultado negativo do teste deve ser fornecida no site do cartão ED.

Bandeira do BS

Bahamas

As Bahamas abriram suas fronteiras para todos os viajantes, incluindo turistas. Os visitantes devem entrar em contato com as companhias aéreas comerciais diretamente para obter informações sobre o voo.

As Bahamas abriram suas fronteiras para todos os viajantes, incluindo turistas. Os visitantes devem entrar em contato com as companhias aéreas comerciais diretamente para obter informações sobre o voo.

Cada viajante deve enviar um formulário de solicitação de visto de saúde para viagem on-line em travel.gov.bs. A confirmação será fornecida por e-mail. Cada viajante deve ter sua confirmação em mãos na chegada ao seu destino. Os viajantes também devem enviar o resultado negativo do teste para a COVID-19 (consulte o parágrafo a seguir) neste mesmo site.

Cada viajante também deve fazer um teste PCR (swab molecular) para a COVID-19 antes da viagem e obter um resultado negativo. Para visitantes que entram de 1 a 6 de julho, o teste deve ter sido realizado não mais de 10 dias antes da data de chegada. Para visitantes que entram a partir de 7 de julho, os resultados dos testes não devem ter sido realizados mais de 7 dias antes da chegada.

Os seguintes viajantes estão isentos da obrigação de apresentar um teste PCR: Crianças menores de dois anos; Pilotos particulares que não desamparam; Cidadãos e residentes das Bahamas que estão fora das Bahamas há menos de 72 horas; Cidadãos e residentes das Bahamas que chegam de Antígua e Barbuda, Barbados, Belize, Dominica, Granada, Guiana, Haiti, Jamaica, Monserrate, São Cristóvão e Nevis, Santa Lúcia, São Vicente e Granadinas, Suriname ou Trinidad e Tobago.

Os cidadãos e residentes das Bahamas que não puderem fazer um teste no exterior e puderem provar sua indisponibilidade podem entrar novamente nas Bahamas sem um teste PCR, mas estarão sujeitos à quarentena doméstica por 14 dias ou sujeitos a testes após o retorno, às suas próprias custas.

Nenhuma quarentena é necessária depois de entrar nas Bahamas. Todos os passageiros que chegarem estarão sujeitos a testes de temperatura térmica. Os viajantes que apresentam sintomas da COVID-19 podem ser transferidos para uma área de quarentena no local, longe de outros passageiros, para posterior teste e avaliação.

Bahamas: Atualmente há 4 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 11 mortes até 2 jul 2020

Bandeira do BB

Barbados

Barbados não tem nenhuma restrição de entrada, mas todos os viajantes que chegam e os tripulantes de companhias aéreas devem testar negativo para a COVID-19.

Barbados reabriu suas fronteiras.

Os viajantes devem preencher um formulário de embarque/desembarque on-line em https://travelform.gov.bb/home e enviá-lo 24 horas antes da viagem.

O tipo de medidas de saúde pública adotadas na chegada e durante a durante a estadia dependerá da categoria de risco do país de onde o viajante provém. As pessoas que viajam de países de baixo risco da CARICOM e do Caribe, que não visitaram um país de alto risco nos últimos 21 dias antes da viagem, serão isentas do requisito de pré-teste. Visite barbadostravelprotocols.com para confirmar a categoria de risco-país.

Todos os viajantes devem usar máscaras ao viajar de/para Barbados.

Para serem considerados para rastreamento rápido na chegada, os viajantes devem trazer um resultado negativo do teste PCR para a COVID-19, realizado dentro de 72 horas antes da viagem. Os viajantes que não tiverem um resultado negativo no teste PCR da COVID-19 deverão fazer um teste na chegada e se auto-isolar enquanto aguardam os resultados.

Os viajantes que apresentarem resultados positivos serão transferidos para uma instalação de quarentena do governo.

Viajantes de áreas de alto risco podem ser monitorados diariamente quanto ao aparecimento de sintomas com um novo teste de PCR para a COVID-19 sete dias depois do primeiro. Se esse teste de acompanhamento for negativo, o monitoramento será interrompido. Se um segundo teste não for realizado, o monitoramento continuará até o dia 14 da quarentena. Viajantes de países de risco moderado serão monitorados por 7 dias.

Barbados: Atualmente há 1 caso ativo de COVID-19 diagnosticados e 7 mortes até 9 jul 2020

Bandeira do CU

Cuba

Cuba suspendeu todos os voos para o país até 1º de julho.

Cuba suspendeu todos os voos para o país, exceto os voos de ajuda humanitária.

Voos charter para Cayo Coco (CCC), Cayo Largo del Sur (CYO) e Santa Clara (SNU) serão retomados a partir de 1º de julho.

Os viajantes desses voos serão testados na chegada (um cotonete PCR e checagem de temperatura) e serão transferidos diretamente para seus resorts. Qualquer pessoa que tenha um resultado positivo será transferida para um hospital.

Outros voos não devem ser retomados até pelo menos 31 de julho.

Cuba: Atualmente há 69 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 86 mortes até 25 jun 2020

Bandeira do CW

Curaçao

Curaçao tem entrada limitada a residentes, mas em breve será reaberta para voos que chegam de Bonaire e da Holanda

Curaçao restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam tripulantes de companhias aéreas, pessoal médico autorizado, pessoal autorizado do governo ou residentes de Curaçao que tenham sido pré-aprovados para entrada pelo governo de Curaçao. Residentes, pessoal médico e pessoal do governo devem ter uma carta de verificação do governo de Curaçao provando que podem entrar em Curaçao.

Os viajantes ainda podem transitar por Curaçao, desde que permaneçam a bordo da mesma aeronave ou façam trânsito de ala a ala de uma aeronave para outra sem entrar no terminal de trânsito. É necessário um aviso prévio mínimo de 24 horas.

Voos de e para Bonaire serão retomados em 12 de junho de 2020, sem restrições de quarentena. Voos de e para a Holanda serão retomados em 1º de julho de 2020, sem restrições de quarentena.

Bandeira do DM

Dominica

A Dominica reabrirá suas fronteiras para cidadãos e residentes em 15 de julho; para estrangeiros, em 7 de agosto.

Dominica reabrirá suas fronteiras para cidadãos e residentes em 15 de julho; para estrangeiros, em 7 de agosto.

Os passageiros que chegarem deverão preencher um questionário on-line 24 horas antes da chegada e apresentar um teste PCR por cotonete com resultado negativo até 72 horas antes da chegada. Um teste térmico e um exame de sangue de anticorpos serão realizados na chegada. Se qualquer um dos testes for positivo, será realizado outro teste PCR por cotonete.

Os viajantes que chegarem estarão sujeitos a uma quarentena obrigatória de 14 dias em instalações do governo ou em um hotel ou pensão certificados.

Dominica: Não há casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 0 morte até 7 jul 2020

Bandeira do GD

Granada

Granada deve reabrir seus aeroportos no final de junho.

Granada fechou o Aeroporto Internacional Maurice Bishop (GND) e o Aeroporto Lauriston (CRU) para todo o tráfego de passageiros. Espera-se a reabertura de aeroportos no final de junho.

Cidadãos e residentes de Granada ainda podem entrar no país.

Granada: Não há casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 0 morte até 12 jun 2020

Bandeira do GP

Guadalupe

Guadalupe suspendeu a maioria dos voos e restringiu a entrada de não residentes, exceto viajantes que chegam de Martinica, São Bartolomeu e São Martinho.

Guadalupe suspendeu a maioria dos voos e restringiu a entrada de não residentes, exceto viajantes que chegam da Martinica, São Bartolomeu e São Martinho.

Guadalupe: Atualmente há 13 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 14 mortes até 11 jun 2020

Bandeira do HT

Haiti

O Haiti retomou os voos internacionais.

O Haiti retirou suas restrições de viagem. Todos os viajantes estão sujeitos a exames médicos e devem apresentar um Formulário de Declaração de Saúde preenchido na chegada.

Haiti: Atualmente há 4.235 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 117 mortes até 1 jul 2020

Bandeira do KY

Ilhas Cayman

As Ilhas Cayman suspenderam todos os voos internacionais.

As Ilhas Cayman suspenderam todos os voos internacionais para o aeroporto Owen Roberts International (GCM), com exceção dos voos de emergência e ambulâncias aéreas. Eles devem obter uma aprovação prévia da Autoridade de Aviação Civil das Ilhas Cayman.

Ilhas Cayman: Atualmente há 6 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 1 morte até 8 jun 2020

Bandeira do TC

Ilhas Turks e Caicos

Turks e Caicos fecharam seus aeroportos.

Turks e Caicos fecharam seus aeroportos.

Ilhas Turks e Caicos: Atualmente há 36 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 2 mortes até 8 jun 2020

Bandeira do VI

Ilhas Virgens Americanas

As Ilhas Virgens Americanas reabriram suas fronteiras. Todos os viajantes que chegam estão sujeitos a exames médicos e quarentena.

As Ilhas Virgens Americanas reabriram suas fronteiras. Todos os viajantes que chegam estão sujeitos a exames médicos e quarentena.

Ilhas Virgens Americanas: Atualmente há 110 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 6 mortes até 8 jun 2020

Bandeira do VG

Ilhas Virgens Britânicas

As Ilhas Virgens Britânicas restringiram a entrada de todos os não residentes.

As Ilhas Virgens Britânicas restringiram a entrada de todos os não residentes.

Ilhas Virgens Britânicas: Não há casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 1 morte até 8 jun 2020

Bandeira do JM

Jamaica

A Jamaica reabriu suas fronteiras para viajantes internacionais.

A Jamaica reabriu suas fronteiras para viajantes internacionais. Todos os viajantes que chegam à Jamaica estão sujeitos a exames médicos na chegada.

Os não residentes devem obter uma autorização de viagem antes da partida em https://www.visitjamaica.com/

Os residentes jamaicanos devem obter uma autorização de viagem antes da partida em https://jamcovid19.moh.gov.jm/immigration.html

O uso de máscaras é obrigatório em todos os locais públicos.

Jamaica: Atualmente há 136 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 10 mortes até 17 jun 2020

Bandeira do MQ

Martinica

Martinica não tem nenhuma restrição de entrada, mas todos os viajantes que chegam serão submetidos a triagem.

A Martinica não implementou nenhuma restrição de entrada, mas os viajantes que chegarem serão examinados pela Agência Regional de Saúde da Martinica. Protocolos de segurança estão divulgados e implementados em todas as marinas e pequenos portos.

Martinica: Atualmente há 137 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 14 mortes até 8 jun 2020

Bandeira do MS

Montserrat

Montserrat restringiu a entrada de todos os estrangeiros.

Montserrat restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam residentes, cônjuges ou dependentes de residentes ou tripulação de companhias aéreas.

Todas as chegadas planejadas devem preencher e enviar um formulário de declaração de acesso pelo menos 72 horas antes da chegada. O formulário pode ser encontrado no site do Governo de Montserrat.

Todos os viajantes devem usar uma máscara ou cobertura facial na aeronave e durante sua passagem pelo aeroporto. As verificações de temperatura serão realizadas no momento da chegada, e todos os viajantes que chegam à Montserrat devem se auto-colocar em quarentena por 14 dias a partir da data de chegada.

Montserrat: Não há casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 1 morte até 25 jun 2020

Bandeira do BQ

Países Baixos Caribenhos

Bonaire, Saba e Sint Eustatius começaram a relaxar suas restrições de viagem para viajantes que chegam de Aruba, Curaçao e da Europa.

Bonaire começou a relaxar suas restrições de viagem para viajantes que chegam de determinados países.

Os voos de e para Curaçao e Aruba foram retomados. Os voos de e para a Europa foram retomados em 1º de julho de 2020

Para Saba, os voos de e para Bonaire, Curaçao e Santo Eustáquio foram retomados em 1º de julho de 2020. Os voos não podem transitar em Sint Maarten. Os turistas que desejam visitar Saba a partir desses locais devem enviar uma solicitação por e-mail para info@Sabagov.nl.

Os viajantes qualificados para entrar em Bonaire devem apresentar um teste negativo para a COVID-19 e comprovante de seguro de saúde que cubra o viajante no exterior.

Santo Eustáquio anunciou alguns relaxamentos limitados de suas restrições de viagem a partir de 1º de julho:

Os viajantes de Bonaire, Curaçao, Saba, São Martinho e São Cristóvão e Nevis podem solicitar a entrada em São Eustáquio sem restrições de quarentena Os viajantes de Aruba, Holanda, Bélgica, Alemanha e França podem solicitar a entrada em Santo Eustáquio, mas devem cumprir uma quarentena doméstica. Viajantes dos Estados Unidos, Reino Unido, República Dominicana e da maioria dos países da América do Sul e Central podem solicitar entrada em Santo Eustáquio, mas devem cumprir uma quarentena obrigatória em uma instalação de quarentena.

Os viajantes que desejam visitar Santo Eustáquio nesses locais devem enviar uma solicitação por e-mail para info.covid19@statia.gov.

Bandeira do PR

Porto Rico

Porto Rico não implementou nenhuma restrição de entrada, mas a Baía de San Juan está atualmente fechada para navios de cruzeiro.

Porto Rico não implementou nenhuma restrição de entrada, mas todos os voos comerciais de chegada estão sendo desviados para o Aeroporto de San Juan (SJU), e todos os viajantes que chegam devem se auto-colocar em quarentena por 14 dias após a chegada, independentemente dos sintomas. A Guarda Nacional de Porto Rico foi ativada para auxiliar em uma triagem de saúde aprimorada de todos os passageiros na chegada à SJU, que consiste em uma breve triagem verbal ou verificação de temperatura por meio de câmeras termográficas. A Baía de San Juan está atualmente fechada para navios de cruzeiro.

Porto Rico: Atualmente há 8.557 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 157 mortes até 8 jun 2020

Bandeira do DO

República Dominicana

A República Dominicana reabriu suas fronteiras aéreas.

A República Dominicana reabriu suas fronteiras aéreas. Os viajantes devem cumprir a triagem adicional e outras medidas de distanciamento social adotadas pelas autoridades, além de seguir as instruções das autoridades aeroportuárias.

República Dominicana: Atualmente há 18.045 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 821 mortes até 6 jul 2020

Bandeira do LC

Santa Lúcia

Santa Lúcia reabriu seus aeroportos.

Santa Lúcia reabriu seus aeroportos. Todos os viajantes e tripulantes de companhias aéreas devem portar um atestado médico com um resultado negativo do teste para COVID-19 emitido até 48 horas antes da chegada e estarão sujeitos a uma quarentena de 14 dias.

Santa Lúcia: Atualmente há 3 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 0 morte até 11 jun 2020

Bandeira do KN

São Cristóvão e Neves

São Cristóvão e Nevis fecharam seus aeroportos.

São Cristóvão e Nevis fecharam seus aeroportos.

São Cristóvão e Neves: Atualmente há 1 caso ativo de COVID-19 diagnosticados e 0 morte até 8 jun 2020

Bandeira do SX

São Martinho

Sint Maarten restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto os que chegam de Anguilla, Antígua e Barbuda, Aruba, Ilhas Virgens Britânicas, Dominica, Guadalupe, Martinica, Saba, Santo Eustáquio, São Bartolomeu, São Cristóvão e Nevis, e Santa Lúcia.

Sint Maarten retomou voos de territórios próximos.

Os viajantes que estiveram apenas em Anguilla, Antígua e Barbuda, Aruba, Bonaire, Ilhas Virgens Britânicas, Curaçao, Dominica, Guadalupe, Martinica, Saba, Santo Eustáquio e Saba, São Bartolomeu, São Cristóvão e Nevis, e Santa Lúcia dentro os últimos 21 dias podem entrar no território.

Os voos de e para os Estados Unidos foram originalmente programados para serem retomados a partir de 1º de julho; esta data foi adiada por pelo menos 2 semanas.

Bandeira do VC

São Vicente e Granadinas

São Vicente e Granadinas retiraram todas as restrições de viagem relacionadas ao coronavírus.

São Vicente e Granadinas retiraram todas as restrições de viagem relacionadas ao coronavírus. Todos os viajantes estão sujeitos a exames médicos e uma quarentena de 14 dias após a entrada.

São Vicente e Granadinas: Não há casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 0 morte até 23 jun 2020

Bandeira do TT

Trinidad e Tobago

Trinidad e Tobago fechou seus aeroportos.

Trinidad e Tobago fechou seus aeroportos até pelo menos 19 de julho.

Trinidad e Tobago: Atualmente há 8 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 8 mortes até 6 jul 2020

Europa

Bandeira do AL

Albânia

A Albânia retomou voos para a UE, Sérvia e Turquia.

A Albânia retomou voos comerciais de/para a UE, Sérvia e Turquia.

O governo da Albânia declarou que apenas residentes e cidadãos da União Europeia são elegíveis para embarcar em voos de saída para a UE no momento. Esta restrição não se aplica aos passageiros que viajam para a Sérvia ou Turquia.

Albânia: Atualmente há 1.213 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 81 mortes até 6 jul 2020

Bandeira do DE

Alemanha

A Alemanha relaxou suas restrições de entrada para viajantes que chegam do Espaço Econômico Europeu, Reino Unido e Austrália, Geórgia, Canadá, Montenegro, Nova Zelândia, Tailândia, Tunísia e Uruguai.

A Alemanha restringiu a entrada de todos os viajantes que chegam de fora do Espaço Econômico Europeu, exceto cidadãos da Alemanha, residentes com autorização de residência e portadores de visto D.

A partir de 25 de junho, os viajantes que chegam da Áustria, Bélgica, Bulgária, Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Irlanda, Islândia, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Eslováquia, Eslovênia, Suécia, Suíça ou Reino Unido podem entrar na Alemanha.

Em 2 de julho, a Alemanha suspendeu as restrições de entrada para viajantes provenientes dos seguintes países: Austrália, Geórgia, Canadá, Montenegro, Nova Zelândia, Tailândia, Tunísia e Uruguai. Os viajantes devem ter passado pelo menos 2 semanas nos países listados acima antes de viajarem para a Alemanha. Também serão levantadas restrições à entrada de viajantes que chegam da Coreia do Sul, China e Japão, se isso puder ser acordado de forma recíproca. Atualmente, a Alemanha ainda não retirou restrições à entrada da Sérvia, Marrocos, Argélia e Ruanda, com base nos dados de infecção fornecidos por seu próprio instituto de saúde pública, embora esses quatro países tenham sido incluídos na lista da Comissão Europeia. A lista será revisada a cada duas semanas.

Algumas classes de viajantes que chegam de outros países de fora do EEE ainda podem entrar na Alemanha. Isso inclui maridos, esposas, filhos e parceiros registrados de nacionais e residentes alemães, além de viajantes como diplomatas, profissionais de saúde, pessoal da indústria de alimentos, trabalhadores que precisam ingressar diariamente no país para trabalhar, militares dos EUA em serviço na Alemanha e seus familiares.

Viajantes que não são cidadãos, familiares de cidadãos ou residentes nos Estados do EEE, Suíça ou Reino Unido, não podem transitar pela Alemanha se chegarem de um Estado-Membro não Schengen a caminho de outro Estado-Membro Schengen. Além disso, viajantes de fora do EEE/Suíça/Reino Unido que estão retornando ao seu país de residência só podem transitar pela Alemanha se não houver outras opções de viagem.

Todos os viajantes, exceto aqueles que chegam de países do EEE, devem seguir diretamente para suas próprias casas ou outro alojamento adequado para se auto-isolarem por 14 dias.

Alemanha: Atualmente há 6.650 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 9.032 mortes até 6 jul 2020

Bandeira do BY

Bielorrússia

A Bielorrússia não implementou nenhuma restrição de entrada, mas os estrangeiros estão sujeitos a um requisito de auto-quarentena de 14 dias, a menos que cheguem de uma determinada lista de países isentos.

A Bielorrússia não implementou nenhuma restrição de entrada, mas os cidadãos estrangeiros que chegam ao país estão sujeitos a um requisito de auto-quarentena de 14 dias, a menos que cheguem da Austrália, Áustria, Albânia, Bélgica, Bulgária, Bósnia e Herzegovina, Canadá, China Croácia, República Tcheca , Dinamarca, Egito, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Geórgia, Hungria, Irlanda, Islândia, Israel, Itália, Japão, Cazaquistão, Letônia, Lituânia, Liechtenstein, Luxemburgo, Malta, Moldávia, Mônaco, Montenegro, Holanda, Macedônia do Norte, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, Sérvia, Cingapura, Eslováquia, Eslovênia, Coréia do Sul, Espanha, Suíça, Suécia, Turquia, Reino Unido, Emirados Árabes Unidos ou Estados Unidos.

Os viajantes estrangeiros devem apresentar um atestado médico, emitido dentro de 48 horas após a chegada, indicando um resultado negativo no teste para a COVID-19.

Bielorrússia: Atualmente há 11.665 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 436 mortes até 29 jun 2020

Bandeira do BG

Bulgária

A Bulgária reabriu suas fronteiras para viajantes da maioria dos países europeus.

A Bulgária restringiu, até pelo menos 14 de julho, a entrada de todos os viajantes que não são cidadãos da Alemanha, Andorra, Áustria, Bélgica, Bósnia e Herzegovina, Bulgária, Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Islândia, Irlanda, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Mônaco, Montenegro, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Reino Unido, Romênia, São Marino, Sérvia, Suécia, Suíça ou Vaticano.

Cidadãos búlgaros, residentes permanentes e titulares de autorizações de residência de longa duração também podem entrar no país. Existem outras exceções para trabalhadores médicos, estudantes que frequentam uma instituição búlgara, diplomatas e certas classes de trabalhadores essenciais ao estado búlgaro. No entanto, todos os viajantes (com exceções limitadas) que chegam na Bulgária da Suécia, Reino Unido, Portugal e de todos os países terceiros (fora da União Europeia), exceto Sérvia, Bósnia e Herzegovina e Montenegro, Islândia, Noruega, Suíça, Lichtenstein, São Marino, Andorra, Mônaco e Cidade do Vaticano devem ficar em quarentena por um período de 14 dias em casa ou em outro alojamento.

Os viajantes que são obrigados a entrar em quarentena não poderão deixar a Bulgária antes da data final da quarentena de 14 dias. Viajar e sair das instalações da quarentena será considerado uma violação.

Cidadãos e residentes de longa data da UE, países do Schengen ou o Reino Unido e seus familiares podem transitar pela Bulgária para o país de residência, e cidadãos da Macedônia do Norte, Albânia, Kosovo, Bósnia e Herzegovina Montenegro, Sérvia ou Turquia pode transitar para retornar ao país de que são cidadãos. O trânsito é permitido apenas quando o viajante parte imediatamente da Bulgária.

Os passaportes búlgaros e os cartões nacionais de identificação que expiraram em ou após 13 de março de 2020 serão considerados válidos por um período de 6 meses.

Bulgária: Atualmente há 2.811 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 254 mortes até 9 jul 2020

Bandeira do BE

Bélgica

A Bélgica restringiu a entrada de todos os viajantes que não chegam dos países do EEE, da Suíça ou do Reino Unido. Os cidadãos da Bélgica ou desses mesmos países ainda podem entrar.

A Bélgica restringiu a entrada de todos os viajantes que não chegarem dos Estados-Membros do EEE, da Suíça ou do Reino Unido. Cidadãos, residentes permanentes e portadores de visto de longa duração dos Estados-Membros do EEE, Suíça e Reino Unido e seus familiares ainda podem entrar na Bélgica. Diplomatas, trabalhadores de ajuda humanitária e militares também podem entrar no país. Cidadãos de Andorra, Mônaco, Montenegro, Macedônia do Norte, San Marino, Sérvia e Cidade do Vaticano podem entrar na Bélgica com comprovante de viagem para o país de origem.

Todos os viajantes que chegam de fora do EEE/Espaço Schengen/Reino Unido devem ficar em casa por 14 dias, monitorar sua saúde e praticar o distanciamento social.

Bélgica: Atualmente há 35.162 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 9.774 mortes até 24 jun 2020

Bandeira do BA

Bósnia e Herzegovina

A Bósnia e Herzegovina restringiu a entrada de todos os cidadãos estrangeiros, exceto os provenientes dos países vizinhos.

A Bósnia e Herzegovina restringiu a entrada de todos os viajantes que não forem cidadãos e residentes da Bósnia e Herzegovina. Os cidadãos da Croácia, Sérvia e Montenegro que testaram negativo para a COVID-19 também podem entrar no país a partir de 1º de junho. Diplomatas e funcionários consulares, funcionários públicos contratados para trabalhar no país, trabalhadores fronteiriços, militares, chefes de Estado e suas delegações, viajantes em trânsito para seus países de origem e viajantes com permissões especiais para permanecer ou transitar no país também podem entrar.

Bósnia e Herzegovina: Atualmente há 2.721 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 207 mortes até 8 jun 2020

Bandeira do CY

Chipre

O Chipre começou a permitir a entrada de viajantes que chegam de uma lista específica de países.

O Chipre começou a reabrir suas fronteiras em 9 de junho.

Cidadãos e residentes cipriotas ainda podem entrar no país. Eles terão que se auto-isolar por 14 dias após a chegada.

Os voos para Chipre foram retomados. No entanto, os únicos viajantes que terão permissão para entrar serão cidadãos e residentes cipriotas que chegarem da Austrália, Áustria, Bélgica, Bulgária, Croácia, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Irlanda, Israel, Itália, Japão, Jordânia, Letônia, Líbano, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Noruega , Polônia, Romênia, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Coréia do Sul, Sérvia, Suíça ou Emirados Árabes Unidos, além de viajantes com permissão especial do governo de Chipre. Os viajantes que estiveram em outros países que não os destinos listados acima nos últimos 14 dias não poderão entrar no Chipre, mesmo através de um terceiro país como a Grécia, por exemplo, até novo aviso.

Os viajantes que chegarem da lista de países acima mencionados precisarão de um atestado médico informando um resultado negativo do teste COVID-19 emitido dentro de 72 horas após a chegada. Cidadãos e residentes de Chipre também serão testados para o coronavírus na chegada. Os cidadãos e residentes de Chipre que não chegarem dos países mencionados acima deverão se auto-isolar por 14 dias após a chegada.

A administração no norte do Chipre agora também está permitindo a entrada de 'cidadãos' e estrangeiros que possuem residência, trabalho ou permissão de estudo. Os viajantes de uma dessas categorias que chegarem antes de 1º de julho terão de entrar em quarentena por 14 dias em instalações controladas pela administração, cujo custo é pago pelo indivíduo em questão. A partir de 1º de julho, os viajantes poderão entrar apresentando um resultado negativo do teste PCR (realizado nas 72 horas anteriores), mas terão de entrar em quarentena por 14 dias em instalações controladas pela administração, a seu próprio custo.

Chipre: Atualmente há 147 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 19 mortes até 1 jul 2020

Bandeira do HR

Croácia

A Croácia abriu suas fronteiras para visitantes da UE/EEE e do Reino Unido. Cidadãos de fora da UE também podem solicitar online um passe de entrada.

A partir de 1º de julho de 2020, todos os cidadãos da UE/EEE/Reino Unido e indivíduos com residência permanente nos países da UE/EEE podem entrar na Croácia livremente, sem restrições ou quarentena. Todos os outros estrangeiros, incluindo cidadãos dos EUA, podem entrar na Croácia a negócios, turismo ou outros motivos pessoais prementes, se fornecerem provas relevantes. Visite esta página do Ministério do Interior da Croácia para obter informações e instruções mais detalhadas.

A Croácia suspendeu as restrições obrigatórias de auto-isolamento e quarentena para os viajantes que entram na Croácia. Em vez disso, os viajantes recebem um Panfleto com recomendações e instruções do Instituto Croata de Saúde Pública, que devem ser seguidas por 14 dias após a entrada no país. Os viajantes ainda podem receber ordens para se auto-isolarem ou passarem 14 dias em instalações oficiais de quarentena do governo, se considerado necessário para impedir a propagação da COVID-19; a colocação em quarentena é por conta do viajante.

Em 25 de junho de 2020, a Croácia exigia que todos os indivíduos que chegassem da Bósnia e Herzegovina, Kosovo, Macedônia do Norte e Sérvia se auto-isolassem por 14 dias. Esta medida não se aplica a indivíduos que transitam pela Croácia até seu destino final.

Croácia: Atualmente há 930 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 113 mortes até 6 jul 2020

Bandeira do DK

Dinamarca

O fechamento da fronteira dinamarquesa – imposto em 14 de março e previsto para ficar em vigor até 1 de junho – foi prorrogado até 31 de agosto.

A Dinamarca restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam cidadãos dinamarqueses e residentes de longa duração com autorização de residência dinamarquesa. As fronteiras dinamarquesas estão fechadas até pelo menos 31 de agosto. Essa restrição se aplica a todos os turistas estrangeiros que vêm para a Dinamarca, exceto aqueles que vivem permanentemente na Alemanha, Noruega e Islândia que - a partir de 15 de junho - terão permissão para entrar na Dinamarca se tiverem uma reserva de hospedagem fora da região de Copenhague por seis noites ou mais. A proibição não se aplica a estrangeiros que possuam permissões de residência ou trabalho dinamarquesas válidas, cônjuges estrangeiros e/ou filhos de cidadãos dinamarqueses e aqueles que o governo dinamarquês determinar que tenham um "propósito digno" de viajar. Uma lista completa de exceções aos requisitos de fechamento da fronteira na Dinamarca pode ser encontrada na página de informações sobre a COVID-19 do governo dinamarquês. As autoridades dinamarquesas recomendam, mas não exigem, que qualquer pessoa que venha para a Dinamarca de outro país permaneça em casa por 14 dias após a entrada na Dinamarca.

Dinamarca: Atualmente há 296 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 609 mortes até 8 jun 2020

Bandeira do SK

Eslováquia

A Eslováquia abriu suas fronteiras para os viajantes de uma lista selecionada de países.

A Eslováquia está começando a relaxar suas restrições de viagem. Embora os cidadãos eslovacos, seus familiares e residentes da Eslováquia possam viajar para a Eslováquia de qualquer lugar, agora os viajantes estrangeiros também podem entrar no país se vierem e estiverem em apenas uma lista de países nos últimos 14 dias.

A partir de 8 de julho, os viajantes que passaram os últimos 14 dias apenas nos seguintes países podem entrar na Eslováquia, sem precisar de um teste ou quarentena de COVID-19: Austrália, Áustria, Bélgica, Chipre, China, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Ilhas Faroe, Finlândia, França, Grécia, Croácia, Islândia, Irlanda, Itália, Japão, Liechtenstein, Lituânia, Letônia, Hungria, Malta, Mônaco, Holanda, Novo Zelândia, Alemanha, Noruega, Polônia, Eslovênia, Coréia do Sul, Espanha e Suíça. A lista atualizada pode ser encontrada aqui.

Aqueles que entraram na Eslováquia e que estiveram recentemente em países que não os mencionados anteriormente devem se auto-isolar na chegada e se registrar nos seus serviços regionais do Escritório da Autoridade de Saúde Pública, que entrará em contato com eles após pelo menos 5 dias para organizar um teste de RT-PCR para COVID-19. Se os viajantes se isolarem em uma residência particular, quem mora na mesma casa também deve se isolar. Depois que o viajante recebe um resultado negativo, ele pode sair do auto-isolamento.

Eslováquia: Atualmente há 266 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 28 mortes até 9 jul 2020

Bandeira do SI

Eslovênia

A Eslovênia reabriu suas fronteiras; no entanto, restrições especiais de quarentena se aplicam a viajantes que chegam de países com altas taxas de COVID-19.

A Eslovênia reabriu suas fronteiras; no entanto, restrições especiais de quarentena se aplicam a viajantes que chegam de países com altas taxas de COVID-19.

A Eslovênia continua a fazer ajustes nas listas de países designados como "verde" (sem quarentena), "amarelo" (quarentena necessária para não residentes) e "vermelho" (quarentena necessária, mais teste da COVID realizado na UE).

Os países "verdes" aos quais não se aplicam restrições de quarentena atualmente incluem: Áustria, Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Irlanda, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Malta, Noruega, Eslováquia, Espanha ou Suíça. A lista será atualizada aqui.

Atualmente, existem 34 países na Lista Vermelha, incluindo Reino Unido, EUA, Suécia, Sérvia, Bósnia e Herzegovina e Kosovo. Uma lista completa dos países da “lista vermelha” pode ser encontrada aqui (em esloveno).

Os países que não estão em uma das listas acima estão na categoria "amarelo", o que significa que cidadãos e residentes eslovenos podem entrar sem quarentena; outros devem passar por quarentena.

Eslovênia: Atualmente há 205 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 111 mortes até 3 jul 2020

Bandeira do ES

Espanha

A Espanha reabriu suas fronteiras aos viajantes que chegam de Portugal, assim como ao resto da União Europeia. Espaço Schengen e do Reino Unido.

A Espanha reabriu suas fronteiras a viajantes da maioria dos países da UE; no entanto, a entrada permanece restrita a viajantes que chegam de outras áreas, exceto cidadãos e residentes espanhóis, e familiares imediatos que os acompanham. A Espanha reabriu suas fronteiras para viajantes da UE, do Espaço Schengen e do Reino Unido a partir de 21 de junho. As viagens entre Espanha e Portugal foram retomadas a partir de 1º de julho. Os viajantes que chegam das áreas mencionadas não precisam mais apresentar um certificado de residência ou se auto-isolar após a entrada na Espanha; no entanto, eles precisarão preencher um formulário de controle de saúde do FCS 48 horas antes da chegada em https://www.spth.gob.es/. Um código QR gerado a partir do formulário preenchido deve ser apresentado na chegada. Os viajantes também serão submetidos a uma verificação de temperatura e avaliação visual da saúde.

Restrições a viajantes de fora da União Europeia e do espaço de livre circulação do Schengen serão levantadas caso a caso a partir de 8 de julho, desde que os países de onde eles saem tenham acordos com a Espanha.

Para viajantes que chegam de fora da UE, as seguintes regras ainda se aplicam:

Viajantes residentes em Andorra, Áustria, Bélgica, Bulgária, Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Irlanda, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Países Baixos, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, Eslováquia, Eslovênia, Suécia ou Suíça podem transitar pela Espanha no caminho de casa para seu local de residência. O mesmo se aplica aos viajantes com visto de longa duração emitidos por um Estado-Membro Schengen que retornam ao seu local de residência.

Membros da família imediata de cidadãos espanhóis podem entrar na Espanha, mesmo que não estejam acompanhados por um cidadãos espanhol, se estiverem viajando para se juntar ao membro da família que já está no país.

Residentes de Andorra, Islândia, Noruega ou Suíça, bem como portadores de visto de longo prazo dos Estados-Membro Schengen que estão voltando para casa também podem entrar na Espanha, assim como profissionais de saúde e de assistência a idosos, diplomatas, funcionários de organizações internacionais e humanitárias e militares. no desempenho de suas funções. Pessoas que podem demonstrar prova de que estão viajando por motivos humanitários ou de emergência em família também podem entrar.

As chegadas de fora da UE só podem desembarcar em Alicante (ALC), Barcelona (BCN), Bilbau (BIO), Fuerteventura (FUE), Gran Canária (LPA), Ibiza (IBZ), Madri (MAD), Málaga (AGP), Menorca (MAH), Lanzarote (ACE), Palma de Maiorca (PMI), Santander (SDR), Sevilha (SVQ), Tenerife-Sur (TFS) ou Valência (VLC).

As autorizações de residência e os vistos D que expirarem após 14 de dezembro de 2019 serão aceitos para entrada na Espanha e considerados válidos por 6 meses após o término do estado de alerta.

Espanha: Atualmente há 73.363 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 28.392 mortes até 6 jul 2020

Bandeira do EE

Estônia

Cidadãos da Estônia, Lituânia e Letônia, titulares de autorizações de residência, cidadãos estrangeiros com membros da família na Estônia e viajantes sem sintomas da COVID-19 que cheguem oriundos de um Estado-Membro da UE, Estado-Membro Schengen ou do Reino Unido podem agora entrar na Estônia.

A Estônia diminuiu suas restrições de viagem. Assim como cidadãos ou residentes da Estônia, Letônia e Lituânia, e cidadãos estrangeiros com familiares na Estônia, viajantes sem sintomas da COVID-19 que chegam de um estado-membro da UE, de um estado-membro de Schengen ou do Reino Unido podem agora entrar na Estônia.

Uma quarentena de 14 dias se aplica a viajantes que chegam de todos os países, exceto aqueles nos quais a taxa de infecção por COVID-19 é de 15 casos ou menos por 100.000 pessoas nos últimos 14 dias. Uma lista dos países cujos viajantes não são obrigados a cumprir uma auto-quarentena ao desembarcar na Estônia está disponível no site oficial do governo para a crise do coronavírus (www.kriis.ee).

Estônia: Atualmente há 46 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 69 mortes até 8 jul 2020

Bandeira do FI

Finlândia

A Finlândia diminuiu as restrições para viajantes que chegam de países vizinhos.

As fronteiras da Finlândia permanecem fechadas para estrangeiros não residentes que entram no país, com algumas isenções. No entanto, a partir de 15 de junho, os controles nas fronteiras internas foram suspensos para viagens entre a Finlândia e a Noruega, Dinamarca, Islândia, Estônia, Letônia e Lituânia.

Cidadãos e residentes da Finlândia deverão se colocar em quarentena por 14 dias; no entanto, durante o período de quarentena, eles podem se deslocar entre o local de trabalho e o local de residência.

Cidadãos da Bélgica, Bulgária, Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Irlanda, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suíça e Reino Unido que residam na Finlândia e seus familiares podem entrar no país.

Cidadãos e residentes dos países mencionados acima que estejam retornando aos seus países de origem através da Finlândia também podem transitar pelo país.

Os viajantes que chegam de dentro da UE ou de um Estado-Membro Schengen podem entrar na Finlândia se estiverem viajando para trabalhar ou estudar na Finlândia. Profissionais de saúde, pessoal de transporte, diplomatas, trabalhadores de ajuda humanitária, militares, viajantes que entram por razões imperativas de família e trabalhadores que se deslocam diariamente para outro país também podem entrar no país. Mais informações estão disponíveis no site da Guarda de Fronteira da Finlândia.

Cidadãos e residentes da Finlândia serão obrigados a se auto-colocar em quarentena por 14 dias após a chegada; no entanto, durante o período de quarentena, eles podem se deslocar entre o local de trabalho e o local de residência.

Finlândia: Atualmente há 233 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 329 mortes até 22 jun 2020

Bandeira do FR

França

A França restringiu a entrada de todos os estrangeiros, exceto os que chegam da UE, Reino Unido, Andorra, Cidade do Vaticano, Islândia, Liechtenstein, Mônaco, Noruega, San Marino e Suíça.

A França restringiu a entrada de todos os viajantes que chegam de países fora do espaço europeu (UE, Reino Unido, Andorra, Cidade do Vaticano, Islândia, Liechtenstein, Mônaco, Noruega, San Marino e Suíça).

Cidadãos franceses, seus cônjuges e filhos, residentes de longa duração com autorização de residência francesa e seus cônjuges e filhos, residentes de longa duração dos Estados-Membros do EEE, Andorra, Mônaco, San Marino, Suíça, Reino Unido ou Cidade do Vaticano e seus cônjuges e filhos a caminho de casa, e os profissionais de saúde ainda podem entrar no país. Também podem entrar tripulantes de companhias aéreas, pessoal de missões diplomáticas e consulares e organizações internacionais com escritórios na França, seus cônjuges e filhos e marinheiros mercantes.

Viajantes que chegam de fora dos países listados acima devem portar um Certificado de Viagem Internacional para entrar e transitar pela França, que deve ser obtido antes da partida pelos escritórios consulares franceses no exterior ou on-line em https://www.interieur.gouv.fr.

Viajantes que chegam do Reino Unido ou de um país que não é membro da UE, Andorra, Cidade do Vaticano, Islândia, Liechtenstein, Mônaco, Noruega, São Marinho ou Suíça devem cumprir uma quarentena voluntária de 14 dias após a chegada. Aqueles que chegam de dentro da área europeia, exceto o Reino Unido, estão isentos deste regulamento. Os viajantes que chegarem em territórios franceses ultramarinos, bem como os que apresentarem sintomas de COVID-19, deverão realizar uma quarentena obrigatória de 14 dias em casa ou em uma instalação escolhida pelo governo. O uso de máscaras é obrigatório para todos os viajantes acima de 11 anos.

A França espera abrir suas fronteiras para os viajantes dos territórios ultramarinos franceses a partir de 27 de junho, mas os viajantes de outras áreas fora da UE continuarão restritos até pelo menos 1º de julho.

Existem regulamentos especiais para viajantes que viajam pela França para retornar ao país de residência. Somente o trânsito direto para chegar ao seu país de residência é permitido. Viajantes em trânsito não podem sair da zona internacional e não serão admitidos na França. A bagagem deve ser despachada até o destino final, e os viajantes não terão permissão para deixar a zona internacional para recolher e verificar novamente a bagagem. A duração do trânsito deve ser inferior a 24 horas.

França: Atualmente há 94.879 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 29.847 mortes até 6 jul 2020

Bandeira do GI

Gibraltar

O governo de Gibraltar retirou as restrições de viagem. Todos os viajantes que chegarem com documentos válidos de viagem poderão entrar em Gibraltar pelo Aeroporto Internacional de Gibraltar.

O governo de Gibraltar retirou as restrições de viagem. Todos os viajantes que chegarem com documentos válidos de viagem poderão entrar em Gibraltar pelo Aeroporto Internacional de Gibraltar.

Gibraltar: Atualmente há 3 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 0 morte até 30 jun 2020

Bandeira do GR

Grécia

A Grécia retomou voos de muitos países europeus.

A Grécia restringiu a entrada de todos os viajantes, com exceção de cidadãos, titulares de autorização de residência ou de longa duração da Áustria, Bélgica, Bulgária, Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Hungria, Islândia. , Irlanda, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suíça ou Reino Unido ou suas famílias.

Residentes da Argélia, Austrália, Canadá, China, Geórgia, Japão, Coréia do Sul, Montenegro, Marrocos, Nova Zelândia, Ruanda, Sérvia, Tailândia, Tunísia e Uruguai também podem entrar no país, mas não seus familiares.

Cidadãos gregos e portadores de permissão de residência ainda podem entrar no país. No entanto, os titulares de certificados de pedido de renovação de uma autorização de residência grega não podem entrar.

Profissionais de saúde, membros do governo, diplomatas, militares, funcionários de ajuda humanitária, tripulação de companhias aéreas, viajantes em trânsito e viajantes que entram na Grécia por razões autorizadas pela embaixada ou consulado grego também podem entrar.

A partir de 15 de junho, os testes obrigatórios e o auto-isolamento/quarentena permanecerão em vigor para quem chega à Grécia a partir de aeroportos listados pela Agência Europeia para a Segurança da Aviação (EASA). Os viajantes que chegam de outros locais podem estar isentos desses requisitos.

Todos os viajantes devem preencher um Formulário de localização de passageiros (PLF) 48 horas antes do check-in em https://travel.gov.gr/#/. Um código QR gerado a partir do formulário preenchido deve ser apresentado na chegada.

Voos da Turquia (até 15 de julho), Suécia e do Reino Unido estão suspensos, exceto voos para repatriar cidadãos e residentes gregos e voos especiais encomendados pelo governo.

Cidadãos do da Macedônia do Norte podem entrar na Grécia via Thessaloniki (SKG) e continuar pela estrada para a Macedônia do Norte. Sua viagem deve ser pré-aprovada por um órgão oficial, como o Ministério de Relações Exteriores da Grécia ou a embaixada da Macedônia do Norte.

Grécia: Atualmente há 2.022 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 193 mortes até 3 jul 2020

Bandeira do NL

Holanda

A Holanda limitou a entrada de todos os cidadãos estrangeiros, exceto cidadãos dos Estados-Membros do EEE, da Suíça ou do Reino Unido.

A Holanda restringiu a entrada a todos os viajantes que não sejam cidadãos, titulares de autorização de residência ou de longa permanência dos Estados Membros do EEE, Suíça ou Reino Unido ou suas famílias até pelo menos 1° de julho de 2020.

No entanto, a partir de 15 de junho, agora é possível que turistas entrem na Holanda se chegam de outros países da UE onde os riscos à saúde são semelhantes ou inferiores aos da Holanda. Os visitantes não podem entrar se chegam da Suécia ou do Reino Unido. Os turistas devem cumprir todas as medidas e regras que se aplicam ao combate à propagação do coronavírus. Os turistas também devem reservar suas acomodações de férias antes de viajarem para a Holanda. Para obter as informações mais recentes, visite as Perguntas frequentes sobre viagens de férias para a Holanda: href="https://www.netherlandsandyou.nl/documents/frequently-asked-questions/qa-holidays-to-the-netherlands">aqui". Os viajantes que atualmente não residem ou não estão fisicamente presentes na UE ainda estão sujeitos às restrições de viagem até pelo menos 1° de julho de 2020 e não poderão entrar na Holanda para turismo.

Profissionais de saúde, trabalhadores fronteiriços, pessoal de transporte, trabalhadores transfronteiriços, diplomatas, trabalhadores humanitários, militares, viajantes em emergências familiares e viajantes que precisam de proteção internacional também podem entrar no país.

Todos os viajantes que viajam para a Holanda a partir de países de alto risco de COVID-19 devem apresentar um ‘Formulário de Declaração de Saúde’ preenchido antes do embarque, e espera-se que se coloque em quarentena imediatamente por 14 dias após a chegada.

Holanda: Atualmente há 44.562 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 6.132 mortes até 19 jun 2020

Bandeira do HU

Hungria

A Hungria começou a relaxar as restrições para viajantes de alguns países vizinhos, mas os residentes húngaros que não são cidadãos da UE ainda devem enviar uma solicitação ao governo.

A Hungria começou a relaxar suas restrições de entrada. Enquanto a maioria dos viajantes que não são cidadãos húngaros ainda não pode entrar, os cidadãos de países vizinhos agora podem entrar em circunstâncias específicas. Os seguintes grupos de pessoas agora podem entrar na Hungria:

- Residentes húngaros que sejam cidadãos de outro estado-membro do EEE ou da Suíça. - Cidadãos da Áustria, Croácia, República Tcheca, Alemanha, Islândia, Liechtenstein, Noruega, Eslováquia e Suíça. - Cidadãos da Eslovênia ou Sérvia, quando chegam diretamente desses países. - Viajantes a negócios do Japão, Coreia do Sul e Polônia quando viajam diretamente de seus países de origem. - Cidadãos da Bulgária que cumprem um dever oficial, trabalham para uma organização internacional, viajam a negócios, realizam atividades humanitárias ou visitam um parente. - Cidadãos ou residentes da Moldávia, Romênia, Sérvia, Eslováquia, Eslovênia ou Ucrânia em trânsito pela Hungria quando retornam ao seu país de residência.

Todos os viajantes que podem entrar na Hungria estão sujeitos a quarentena, exceto os cidadãos dos países listados acima.

Todos os outros estrangeiros, incluindo residentes húngaros, só podem entrar enviando um pedido de exceção e permissão de entrada com documentos comprovativos no site da Polícia Nacional. No momento, o formulário está disponível apenas em húngaro e deve ser preenchido em húngaro. As solicitações devem ser enviadas pelo menos alguns dias antes do dia planejado da viagem, indicando claramente a justificativa para a solicitação de isenção. O formulário apresenta mais detalhes sobre o tipo de circunstâncias excepcionais em que as autoridades podem permitir a entrada. Qualquer pessoa que entre na Hungria seguindo este procedimento será submetida a um exame médico. Aqueles sem sintomas de COVID-19 ficarão em quarentena por 14 dias, enquanto aqueles que apresentarem sinais de COVID-19 não poderão entrar no país.

Hungria: Atualmente há 742 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 589 mortes até 24 jun 2020

Bandeira do IE

Irlanda

A Irlanda não está atualmente implementando nenhuma restrição de entrada.

A Irlanda não está implementando nenhuma restrição de entrada, mas todos os viajantes que chegam ao país de áreas exceto a Irlanda do Norte devem preencher um Formulário de Localizador de Passageiros em Saúde Pública e ficar em quarentena por 14 dias. Os trabalhadores essenciais da cadeia de suprimentos estão isentos dos requisitos de quarentena.

Irlanda: Atualmente há 432 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 1.742 mortes até 8 jun 2020

Bandeira do IS

Islândia

A Islândia restringiu a entrada de todos os viajantes que não são cidadãos de países do EEE, Suíça ou Reino Unido.

A Islândia restringiu a entrada de todos os viajantes que não são cidadãos dos Estados-Membros do EEE, da Suíça ou do Reino Unido ou de suas famílias.

Os viajantes com autorizações de residência emitidas pelos Estados-Membros Schengen ainda podem entrar no país.

Diplomatas, profissionais de saúde, trabalhadores de ajuda humanitária, militares, viajantes que exigem proteção internacional e viajantes em emergências familiares também podem entrar no país.

Todos os viajantes que entram na Islândia a caminho de outro Estado-Membro Schengen devem ter confirmado por escrito sua permissão para entrar no outro Estado-Membro Schengen.

A partir de 15 de junho, todos os passageiros que chegarem à Islândia poderão optar por fazer o teste da COVID-19 (gratuito até 30 de junho e ISK 15.000 por teste após esta data) ou se a auto-isolar por 14 dias após a chegada. As crianças nascidas em 2005 ou depois estarão isentas de testes e auto-isolamento. Os viajantes também deverão preencher um formulário de pré-registro antes da partida. Outros detalhes e o formulário estão disponíveis em www.covid.is.

Islândia: Atualmente há 16 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 10 mortes até 16 jun 2020

Bandeira do IT

Itália

A Itália restringiu a entrada de todos os visitantes que estão viajando como turistas e suspendeu voos da China e de Taiwan.

A Itália restringiu a entrada de todos os visitantes que viajam como turistas e suspendeu voos da China e de Taiwan. No entanto, embora os voos diretos entre a China e a Itália tenham sido temporariamente adiados, não há restrições específicas para a entrada de qualquer pessoa com base apenas em sua nacionalidade. Residentes italianos e pessoas que viajam a negócios, por motivos de saúde e em situações de emergência, podem entrar no país. No entanto, os viajantes devem informar o Departamento Regional de Prevenção de sua chegada e estão sujeitos a vigilância e isolamento de saúde por 14 dias. Devem ainda enviar uma declaração de que entraram na Itália por motivos comprovados de trabalho por um período máximo de 72 horas ou para uma extensão justificada por necessidades específicas para mais 48 horas. Todos os viajantes devem enviar um formulário de declaração pessoal à companhia aérea antes de chegar à Itália. A partir de 3 de junho de 2020, os viajantes que chegarem dos Estados-membros da União Europeia, dos estados que integram o Acordo de Schengen, do Reino Unido, Andorra, Mônaco, São Marinho e da Cidade do Vaticano poderão entrar na Itália e não precisarão mais se auto-isolar, a menos que tenham permanecido em outros países durante um período de 14 dias antes de entrar na Itália. As autorizações de residência emitidas pela Itália com datas de vencimento entre 31 de janeiro de 2020 e 31 de julho de 2020 serão consideradas válidas até 31 de agosto de 2020.

Itália: Atualmente há 14.242 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 34.899 mortes até 8 jun 2020

Bandeira do LV

Letônia

A Letônia restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos da Letônia, Estônia e Lituânia, além de residentes permanentes e viajantes cidadãos do EEE/ Reino Unido que viajem de dentro do EEE/Reino Unido.

A Letônia restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos e residentes permanentes da Letônia, Estônia e Lituânia. Cidadãos e residentes de estados-membro do Espaço Econômico Europeu e do Reino Unido podem entrar no país se estiverem viajando dentro Espaço Econômico Europeu ou do Reino Unido. Cônjuges ou filhos menores de cidadãos da Letônia, membros de delegações governamentais e passageiros em trânsito ainda podem entrar no país.

O governo da Letônia está monitorando as taxas de COVID-19 nesses países, e os viajantes que chegam de países com mais de 15 casos por 100.000 habitantes deverão se auto-isolar por 14 dias após a chegada.

A partir de 2 de julho, os residentes dos seguintes países também poderão entrar na Letônia: Argélia, Austrália, Canadá, Geórgia, Japão, Montenegro, Marrocos, Nova Zelândia, Ruanda, Sérvia, Coréia do Sul, Tailândia, Tunísia, Uruguai. Esta lista é atualizada a cada duas semanas pela UE e pode ser encontrada aqui.

Letônia: Atualmente há 96 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 30 mortes até 7 jul 2020

Bandeira do LI

Liechtenstein

A Suíça lida com questões de imigração e alfândega para Liechtenstein. Os requisitos de entrada são os mesmos da Suíça.

A Suíça lida com questões de imigração e alfândega para Liechtenstein. Os requisitos de entrada são os mesmos da Suíça. Existe uma fronteira aberta entre a Suíça e Liechtenstein.

Os viajantes que entram em Liechtenstein de certos países têm de ficar em quarentena por dez dias, independentemente da nacionalidade. Os países afetados incluem Argentina, Armênia, Azerbaijão, Bahrein, Bielorrússia, Brasil, Cabo Verde, Chile, Colômbia, República Dominicana, Honduras, Iraque, Israel, Kosovo, Kuwait, Moldávia, Macedônia do Norte, Omã, Panamá, Peru, Catar, Rússia. , Arábia Saudita, Sérvia, África do Sul, Suécia, Ilhas Turks e Caicos e EUA.

Liechtenstein: Atualmente há 2 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 1 morte até 9 jul 2020

Bandeira do LT

Lituânia

A Lituânia abriu suas fronteiras para viajantes de países europeus com baixas taxas de COVID-19 nos últimos 14 dias.

A Lituânia começou a diminuir suas restrições de viagem. Embora voos de fora do Espaço Econômico Europeu ainda estejam suspensos, exceto para cidadãos e residentes da Lituânia, restrições de viagens de outros países da região europeia foram levantadas.

Os residentes lituanos que retornam para casa de áreas fortemente afetadas pela COVID-19 precisarão se auto-isolar ao retornar. A lista de áreas consideradas mais afetadas pode ser encontrada aqui.

Assim como cidadãos e residentes da Lituânia, cidadãos e residentes de países do Espaço Econômico Europeu, Suíça ou Reino Unido agora podem entrar na Lituânia se a taxa de incidência da COVID-19 em seu país de residência não exceder 25 casos/100.000 habitantes nos últimos 14 dias corridos. A lista desses países é publicada todas as segundas-feiras pelo comandante estadual das operações nacionais de emergência e pode ser encontrada aqui.

Em 8 de julho, a lista em vigor permite a entrada na Lituânia para todos os países do EEE, exceto Luxemburgo, Portugal e Suécia. Recomenda-se que estrangeiros que chegam do Reino Unido, Romênia, Bulgária e República Tcheca permaneçam isolados por 14 dias. Os cidadãos lituanos podem retornar ao país de todos os países, mas aqueles que chegam dos países mencionados acima ficam sujeitos a isolamento de 14 dias.

Não há controles sobre os passageiros que cruzam uma fronteira terrestre de outros países da UE para a Lituânia (da Letônia/Polônia).

Lituânia: Atualmente há 218 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 79 mortes até 9 jul 2020

Bandeira do LU

Luxemburgo

Luxemburgo reabre fronteiras aos viajantes que chegam de outros países da União Europeia.

Luxemburgo restringiu a entrada de viajantes que chegam de fora da UE que não são cidadãos ou residentes em países da UE/Espaço Schengen ou do Reino Unido e seus familiares até pelo menos 30 de junho.

Cidadãos e residentes da União Europeia, Estados-Membros Schengen e Estados Associados Schengen, Reino Unido e seus familiares ainda podem entrar no país, e não há restrições para viajantes que chegam de outros países da UE. Também existem exceções para profissionais de saúde, trabalhadores fronteiriços, diplomatas, trabalhadores humanitários, militares, viajantes em emergências familiares e viajantes a caminho de seus países de origem por terra que possuam provas de sua jornada futura.

Luxemburgo: Atualmente há 437 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 110 mortes até 30 jun 2020

Bandeira do MK

Macedônia do Norte

A Macedônia do Norte reabriu seus aeroportos para o tráfego comercial em 1º de julho.

A Macedônia do Norte reabriu seus aeroportos para o tráfego comercial em 1º de julho.

Macedônia do Norte: Atualmente há 3.569 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 351 mortes até 2 jul 2020

Bandeira do MT

Malta

Voos de e para Malta foram retomados em 1º de julho.

Malta retomou voos de e para países e territórios específicos. Os viajantes deverão comprovar residência em um dos países da lista por pelo menos duas semanas antes do voo. Os estrangeiros que não sejam residentes de Malta não poderão entrar em Malta, exceto quando viajarem de um dos países desta lista.

A partir de 2 de julho, esses países incluem Croácia, Grécia, Alemanha, Áustria, Itália, Chipre, Suíça, França, Espanha, Polônia, Islândia, Eslováquia, Noruega, Dinamarca, Hungria, Finlândia, Irlanda, Lituânia, Letônia, Estônia, Luxemburgo, e República Tcheca. Esta lista está sujeita a revisão.

Os viajantes que atenderem aos requisitos de entrada, incluindo comprovante de residência no país de partida por pelo menos 2 semanas, não serão obrigados a entrar em isolamento. Aqueles que não atenderem aos critérios ainda deverão se auto-isolar por 14 dias.

Malta: Atualmente há 11 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 9 mortes até 3 jul 2020

Bandeira do MD

Moldávia

As fronteiras da Moldávia reabriram para certas categorias de visto.

A Moldávia restringiu a entrada da maioria dos viajantes, exceto cidadãos e residentes da Moldávia.

Desde 30 de junho, outras categorias de viajantes podem entrar na Moldávia. Estes incluem: pessoas com visto de visita de negócios, visto de longa duração, autorização de residência ou documento equivalente, membros e dependentes de missões diplomáticas, postos consulares e organizações internacionais credenciadas na Moldávia, pessoal que presta ajuda humanitária, passageiros em trânsito, pessoas que viajam por razões de saúde ou humanitárias, trabalhadores transfronteiriços e motoristas, e pessoal de serviço, para fins de transporte de mercadorias (aeronaves, tripulações de navios e trens).

Moldávia: Atualmente há 6.297 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 603 mortes até 3 jul 2020

Bandeira do ME

Montenegro

Montenegro tem entrada limitada a cidadãos e residentes de Montenegro, bem como a viajantes residentes de um grupo seleto de países que atendem a determinados critérios epidemiológicos.

Montenegro tem entrada limitada a cidadãos e residentes de Montenegro, bem como a viajantes que só estiveram em um grupo seleto de países que atendem a determinados critérios epidemiológicos por pelo menos 15 dias antes da viagem.

Os residentes dos seguintes países podem entrar no Montenegro sem a necessidade de realizar testes antes da entrada: Estados-Membros da UE (Áustria, Bélgica, Bulgária, Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Itália, Irlanda, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Líbano, Malta, Holanda, Polônia, Portugal, Romênia, Eslováquia, Eslovênia, Espanha e Suécia) e Argélia, Andorra, Austrália, Bahamas, Barbados, Brunei, Camboja, China, Costa Rica, Cuba, Fiji, Geórgia, Indonésia, Islândia, Jamaica, Japão, Jordânia, Madagascar, Malásia, Marrocos, Maurício, Mônaco, Mongólia, Moçambique, Nova Zelândia, Nicarágua, Noruega, Palestina, Papua Nova Guiné, Paraguai, Filipinas, Seychelles, Senegal , Coréia do Sul, Suíça, Tajiquistão, Tailândia, Trinidad e Tobago, Tunísia, Uruguai, Uzbequistão, Venezuela, Vietnã e Zâmbia.

Residentes dos seguintes países só podem entrar no Montenegro se apresentarem um teste PCR com resultado negativo para SARS-CoV-2 realizado por laboratórios credenciados dentro de 72 horas antes da chegada: Albânia, Bósnia e Herzegovina, Kosovo, Turquia, Israel, Ucrânia e Cingapura.

Residentes e cidadãos de Montenegro podem voltar para casa de países que não constam das listas mencionadas, mas devem esperar estar sujeitos a um período de auto-isolamento de pelo menos 14 dias.

Essas listas são válidas a partir de 7 de julho e estão sujeitas a alterações.

Exceções aos regulamentos acima existem para viajantes que são trabalhadores da saúde, transportadores de mercadorias, diplomatas, funcionários de organizações internacionais, militares e prestadores de assistência humanitária no desempenho de suas funções e pessoas que precisam de proteção internacional.

Além disso, os residentes da Bósnia e Herzegovina, Kosova e Albânia podem transitar pelo Montenegro sem a obrigação de realizar um teste PCR ou ELISA para COVID-19, desde que não fiquem no Montenegro.

Montenegro: Atualmente há 570 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 17 mortes até 9 jul 2020

Bandeira do NO

Noruega

A Noruega suspendeu os requisitos de restrição de viagens e quarentena para viajantes que chegam da Finlândia, Islândia, Groenlândia, Ilhas Faroé e Dinamarca.

A Noruega suspendeu os requisitos de restrição de viagens e quarentena para viajantes que chegam da Finlândia, Islândia, Groenlândia, Ilhas Faroé e Dinamarca. A entrada ainda é restrita até pelo menos 20 de agosto para a maioria dos outros viajantes que não são cidadãos ou residentes da Noruega. Cidadãos da Áustria, Bélgica, Bulgária, Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Irlanda, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Polônia, Portugal, Romênia, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suíça ou Reino Unido ainda podem entrar no país se residirem, trabalharem ou tiverem propriedades na Noruega. Se não puderem provar sua residência, deverão poder provar sua nacionalidade em um dos países acima. Os membros da família de um cidadão de um dos países mencionados acima podem entrar no país se já residem ou estão se mudando para a Noruega. Os viajantes com a responsabilidade de cuidar de um residente da Noruega também podem entrar.

Todos os viajantes acima devem passar por uma quarentena doméstica de 10 dias e preencher um formulário de informações de saúde pública na chegada. Os cidadãos dos países acima mencionados que estão em trânsito na Noruega para retornar aos seus países de residência também podem entrar na Noruega, assim como a tripulação de avião, diplomatas e seus cônjuges/filhos, pessoal de transporte, pessoal da mídia, pessoal da OTAN com uma ordem de viagem, titulares de permissões de trabalho agrícola sazonal com uma carta de aprovação da UDI, estrangeiros com convocação para comparecer em um processo judicial, passageiros de cruzeiros cujos cruzeiros começaram antes de 16 de março de 2020 às 08:00 no caminho para casa e viajantes com vistos noruegueses emitidos após 15 de março de 2020 também pode entrar no país. Cidadãos isentos de visto e familiares de cidadãos do EEE que tenham sido aprovados para residência, mas ainda não receberam seu cartão de residência ainda podem entrar no país, mostrando a carta da UDI que aprova sua autorização de residência. Os viajantes só podem entrar em Svalbard depois de ficarem em quarentena em outras partes da Noruega.

Noruega: Atualmente há 558 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 251 mortes até 30 jun 2020

Bandeira do PL

Polônia

A Polônia está agora aceitando viajantes vindos da UE, Noruega, Suíça, Reino Unido, Montenegro, Geórgia, Japão, Canadá, Albânia, Coréia do Sul e Ucrânia.

A partir de 1º de julho, a Polônia retomará voos para o país de países da UE, Noruega, Suíça, Reino Unido, Montenegro, Geórgia, Japão, Canadá, Albânia, Coréia do Sul e Ucrânia. Todos os outros voos permanecem suspensos até pelo menos 14 de julho, exceto voos humanitários e médicos, voos para proteger a ordem pública, voos de emergência, voos por ordem do Primeiro Ministro e voos de repatriação realizados por transportadoras aéreas estrangeiras, por ordem de estados estrangeiros.

Os viajantes que chegam dos países listados acima não precisam mais entrar em quarentena na chegada.

Os viajantes que entram na Polônia de um país fora da UE podem ser obrigados a se isolar por 14 dias, a menos que estejam em trânsito para o local de residência. Há exceções, inclusive para motoristas de carga, tripulação de cabine de avião, trabalhadores de trem, trabalhadores de agricultura, estudantes e alunos de escolas que estudam na Polônia e membros de missões diplomáticas, consulados ou organizações internacionais e suas famílias.

Polônia: Atualmente há 10.646 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 1.528 mortes até 3 jul 2020

Bandeira do PT

Portugal

Portugal abriu as suas fronteiras a viajantes de fora da UE que viajam para fins "essenciais".

Portugal reabriu suas fronteiras para viajantes que chegam de dentro da UE/Área Schengen. A maioria dos voos de fora da UE está suspensa, exceto os voos que trazem de volta cidadãos portugueses e residentes de longa duração com autorizações de residência portuguesas.

A partir de 1º de julho, viajantes de fora da UE poderão entrar em Portugal se tiverem um motivo "essencial", como profissional, estudo, reagrupamento familiar, saúde ou razões humanitárias. Os viajantes a negócios devem estar preparados para descrever o motivo das viagens de negócios e podem ser solicitados elementos de prova. Os estudantes devem ter o visto apropriado e/ou estar preparados para apresentar evidências de inscrição em uma instituição educacional portuguesa.

Os titulares nacionais de países terceiros de autorizações de residência ou vistos de residentes de longa duração emitidos por estados membros da UE podem fazer trânsito em Portugal para retornar ao seu país de residência.

Os viajantes que entram em Portugal devem apresentar um resultado negativo do teste para a COVID-19 emitido nas últimas 72 horas. Eles também estarão sujeitos a exames de saúde na chegada. A temperatura será verificada e, se estiver alta ou apresentar sintomas, eles serão encaminhados às autoridades de saúde.

Os viajantes que chegam à Madeira ou ao Porto Santo devem preencher e enviar um questionário de viajante 24 a 48 horas antes da chegada. Na chegada, eles precisam mostrar a prova de um teste negativo para a COVID-19 realizado dentro de 72 horas da chegada, ou fazer um teste na chegada e se auto-isolar no alojamento enquanto aguardam os resultados.

Os viajantes que chegam aos Açores devem apresentar prova de um teste com resultado negativo para COVID-19 realizado 72 horas antes da chegada ou fazer um teste na chegada e aguardar os resultados dentro de 48 horas em quarentena voluntária. Os viajantes que ficam por mais de 7 dias devem repetir o teste localmente 6 dias após o primeiro teste.

Portugal: Atualmente há 13.342 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 1.629 mortes até 6 jul 2020

Bandeira do GB

Reino Unido

O Reino Unido não tem restrições de entrada, mas exige quarentena de 14 dias para os viajantes que chegam.

O Reino Unido não implementou nenhuma restrição de entrada, mas está monitorando voos diretos para o país a partir de determinadas áreas.

Vários aeroportos suspenderam determinados serviços, terminais fechados e horários de transporte reduzidos, portanto verifique os detalhes do aeroporto específico com antecedência. Além disso, muitas companhias aéreas estão mantendo seus aviões no solo.

Todos os viajantes que entram no Reino Unido devem apresentar à imigração um "Formulário localizador de passageiros para saúde pública". O Reino Unido anunciou uma quarentena obrigatória de 14 dias para todos os viajantes que começou em 8 de junho.

Trabalhadores de frete, profissionais médicos que viajam para ajudar na luta contra o coronavírus e viajantes que chegam da Irlanda, das Ilhas Anglo-Normandas e da Ilha de Man estão isentos da exigência de quarentena.

A partir de 10 de julho, os viajantes dos seguintes lugares não precisarão se auto-isolar na chegada, a menos que tenham visitado ou parado em qualquer outro país ou território nos 14 dias anteriores:

Andorra, Antígua e Barbuda, Aruba, Austrália, Áustria, Bahamas, Barbados, Bélgica, Bonaire, Santo Eustáquio e Saba, Croácia, Curaçao, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Dominica, Ilhas Faroé, Fiji, Finlândia, França, Polinésia Francesa Alemanha, Groenlândia, Granada, Guadalupe, Hong Kong, Hungria, Islândia, Itália, Jamaica, Japão, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Macau, Maurício, Mônaco, Holanda, Nova Caledônia, Nova Zelândia, Nova Zelândia, Noruega, Polônia, Reunião, San Marino, Sérvia, Seychelles, Coréia do Sul, Espanha, São Bartolomeu, São Cristóvão e Nevis, Santa Lúcia, São Pedro e Miquelon, Suíça, Taiwan, Trinidad e Tobago, Turquia, Cidade do Vaticano, Vietnã. A Irlanda já está isenta como parte da área de viagem comum, assim como as Ilhas Anglo-Normandas e a Ilha de Man. Os 14 territórios ultramarinos britânicos também estão isentos.

Todos os viajantes em voos para o Reino Unido devem usar máscaras faciais (nariz e boca) em aeronaves e no transporte público após a chegada. Os passageiros que utilizam táxis e veículos particulares de aluguel também devem usar máscaras durante a viagem. Os motoristas podem se recusar a transportar passageiros que não seguem as orientações para uma viagem segura.

Revise os requisitos de entrada do governo do Reino Unido.

Reino Unido: Atualmente há 241.976 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 44.438 mortes até 6 jul 2020

Bandeira do CZ

República Tcheca

A República Tcheca passou a permitir que viajantes de países que considere de baixo risco entrem sem serem obrigados a ficar em quarentena.

O governo tcheco classificou os países de acordo com o número de casos de COVID-19. Os viajantes que chegam de países considerados de baixo risco não precisarão ficar em quarentena ou fazer um teste PCR. Os viajantes que chegam de países que não são considerados de 'baixo risco' só podem entrar na República Tcheca para fins específicos e limitados. Detalhes de como os países são classificados e os regulamentos em vigor para viajantes desses países podem ser encontrados no site do Ministério do Interior da República Tcheca.

República Tcheca: Atualmente há 4.424 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 351 mortes até 7 jul 2020

Bandeira do RO

Romênia

A Romênia restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam cidadãos da Romênia, dos países do EEE, da Suíça ou do Reino Unido.

A Romênia restringiu a entrada de todos os viajantes que não são cidadãos da Áustria, Bélgica, Bulgária, Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Irlanda, Itália, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suíça ou Reino Unido. Voos da Bélgica, França, Irã, Itália, Holanda, Espanha, Turquia, EUA e Reino Unido para a Romênia estão suspensos. Cidadãos romenos e suas famílias, portadores de autorização de residência e portadores de visto de longa permanência ainda podem entrar no país.

Cidadãos dos Estados-Membros do EEE, Suíça e Reino Unido com residência na Romênia também podem entrar no país.

Diplomatas, pessoal de transporte, pessoal militar, trabalhadores de ajuda humanitária, viajantes em emergências familiares e viajantes que precisam de proteção humanitária internacional ou outra também podem entrar no país. Todos os viajantes que chegam devem se auto-isolar em casa por 14 dias.

Romênia: Atualmente há 7.287 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 1.799 mortes até 23 jun 2020

Bandeira do RU

Rússia

A Rússia limitou a entrada de estrangeiros.

A Rússia restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam cidadãos russos, residentes permanentes, residentes com permissão de residência, tripulantes de avião, diplomatas e viajantes cuja visita se refira à morte de um parente direto.

Viajantes que chegam da Áustria, Bielorrússia, Bélgica, Bulgária, China, Croácia, Chipre, República Tcheca, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Islândia, Irã, Irlanda, Itália, Coréia do Sul, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Noruega, Polônia, Portugal, Romênia, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Suíça, Ucrânia, Reino Unido ou Estados Unidos que planejam ficar em Moscou devem se reportar à linha direta especial por telefone . Eles devem se auto-isolar em Moscou por um período de 14 dias ou pela duração de sua estadia, se menos de 14 dias.

A partir de 8 de junho, o governo russo passou a permitir a entrada de estrangeiros para tratamento médico ou para cuidar de parentes na Rússia.

Os viajantes que estiveram na China, França, Alemanha, Irã, Itália, Coréia do Sul ou Espanha e estão em São Petersburgo (LED) devem se auto-isolar por um período de 14 dias ou pela duração da estadia, se menos de 14 dias.

O governo russo emitiu um período de carência para vistos, autorizações de residência e outros documentos que expiram entre 15 de março de 2020 e 15 de junho de 2020. As pessoas cujos documentos expiram durante esse período podem sair da Rússia antes do final do período (15 de junho de 2020), sem prorrogar formalmente o prazo de permanência ou solicitar novos documentos.

Rússia: Atualmente há 219.634 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 10.478 mortes até 19 jun 2020

Bandeira do SE

Suécia

A Suécia restringiu a entrada de viajantes estrangeiros que viajam de fora do EEE ou Reino Unido.

A Suécia restringiu a entrada da maioria dos viajantes estrangeiros que chegam de fora da área europeia mais ampla até pelo menos 31 de agosto. Cidadãos e residentes suecos ainda podem retornar à Suécia de países fora do EEE.

Em 2 de julho, o governo sueco anunciou que cidadãos e residentes de longa data dos países do EEE, Andorra, Mônaco, San Marino, Suíça, Reino Unido ou Cidade do Vaticano, pessoas com autorizações de residência suecas e seus familiares agora podem entrar na Suécia, independentemente do objetivo da viagem.

Os portadores de visto da Suécia e as pessoas com visto por mais de três meses para outro país do EEE também podem entrar, assim como pessoas com um objetivo classificado como essencial, como profissionais de saúde, pesquisadores em saúde e estudantes de uma instituição sueca. Mais informações podem ser encontradas aqui .

Além disso, residentes da Argélia, Austrália, Geórgia, Japão, Canadá, Marrocos, Montenegro, Nova Zelândia, Ruanda, Sérvia, Coréia do Sul, Tailândia, Tunísia e Uruguai também podem entrar na Suécia.

Diplomatas, trabalhadores fronteiriços, profissionais de saúde, pessoal de transporte, trabalhadores humanitários e viajantes que visitam por motivos familiares urgentes também podem entrar na Suécia.

Suécia: Atualmente há 67.897 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 5.447 mortes até 7 jul 2020

Bandeira do CH

Suíça

A Suíça diminuiu as restrições para viajantes da Europa.

A Suíça começou a diminuir suas restrições de viagem. Assim como os cidadãos ou residentes da Suíça ou de Liechtenstein, a partir de 15 de junho, viajantes de países da UE, Reino Unido, Islândia e Noruega podem entrar na Suíça.   Viajantes de outros países que possuem os vistos e permissões necessários para a entrada e profissionais de saúde autorizados ainda podem entrar no país. O trânsito no mesmo dia é permitido; no entanto, os viajantes que não são cidadãos, residentes ou familiares de cidadãos ou residentes de Estados-Membros do EEE ou do Reino Unido não podem transitar pela Suíça quando chegam de um Estado-Membro não Schengen a caminho de outro Estado-Membro Schengen. Existem isenções adicionais para algumas categorias de viajantes a negócios que receberam permissão prévia.

Em alguns casos, também existem subsídios especiais para viajantes que chegam da Alemanha ou da Áustria.

Viajantes que estiveram na Argentina, Armênia, Azerbaijão, Bahrein, Bielorrússia, Bolívia, Brasil, Cabo Verde, Chile, Colômbia, República Dominicana, Honduras, Iraque, Israel, Kosovo, Kuwait, Moldávia, Macedônia do Norte, Omã, Panamá, Peru, Catar, Rússia, Arábia Saudita, Sérvia, África do Sul, Suécia, Turcas e Caicos ou nos Estados Unidos nos últimos 14 dias estão sujeitos a uma quarentena de 10 dias na chegada.

Suíça: Atualmente há 1.103 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 1.966 mortes até 8 jul 2020

Bandeira do RS

Sérvia

A Sérvia reabriu suas fronteiras.

A Sérvia fechou suas fronteiras a todo tráfego rodoviário, ferroviário, aéreo e aquático. O aeroporto Nikola Tesla de Belgrado suspendeu todos os voos internacionais de passageiros. Diplomatas ou outros viajantes com permissão especial dos ministérios mencionados acima que chegarem dos países acima deverão se auto-isolar por um período de 28 dias. Os mesmos viajantes que chegarem de qualquer outro país devem se auto-isolar por um período de 14 dias.

Sérvia: Atualmente há 2.942 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 330 mortes até 8 jun 2020

Bandeira do TR

Turquia

A Turquia suspendeu suas restrições de viagem relacionadas à COVID-19.

A Turquia suspendeu suas restrições de viagem relacionadas à COVID-19.

Todos os viajantes são obrigados a usar uma máscara facial durante todo o tempo no aeroporto e durante todos os voos de e para a Turquia.

Eles também devem preencher um formulário de localização de passageiros antes de chegar à Turquia.

Todas as chegadas na Turquia estarão sujeitas a uma avaliação médica para sintomas de coronavírus, incluindo verificações de temperatura. Os viajantes com sintomas serão submetidos a um teste PCR. Os viajantes que tiverem resultados positivos receberão tratamento médico em uma instalação determinada pelo Ministério da Saúde ou, se preferir, em uma instalação médica privada na Turquia, por sua conta.

Turquia: Atualmente há 17.345 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 5.260 mortes até 16 jun 2020

Bandeira do UA

Ucrânia

A Ucrânia suspendeu a proibição de entrada de estrangeiros.

O governo ucraniano suspendeu a proibição de entrada de estrangeiros. Os estrangeiros podem agora entrar na Ucrânia se demonstrarem que possuem seguro médico cobrindo todas as despesas relacionadas ao tratamento da COVID-19 enquanto estiverem no território da Ucrânia. Uma auto-quarentena será aplicada a todos os viajantes que chegarem de países considerados pelo Ministério da Saúde da Ucrânia com alta incidência de COVID-19.

Ucrânia: Atualmente há 26.353 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 1.299 mortes até 16 jun 2020

Bandeira do AT

Áustria

A Áustria abriu suas fronteiras para os viajantes que chegam dos estados membros da UE, do Espaço Schengen ou de Andorra, Mônaco, São Marinho, Vaticano ou Reino Unido.

A Áustria abriu suas fronteiras para os viajantes que chegam dos estados membros da UE, do Espaço Schengen ou de Andorra, Mônaco, São Marinho, Vaticano ou Reino Unido. No entanto, as viagens de fora do EEE permanecem restritas para viajantes que não são cidadão de um país da UE/Schengen, e os voos permanecem suspensos em certas áreas, incluindo Bielorrússia, China, Irã, região da Lombardia na Itália, Portugal, Rússia, Espanha, Suécia , Ucrânia e Reino Unido. Cidadãos austríacos, residentes permanentes, portadores de visto D e cidadãos do EEE e seus familiares imediatos ainda podem entrar na Áustria. Diplomatas, profissionais de ajuda humanitária, profissionais de saúde e membros de equipes de emergência/resgate/ambulância também podem entrar no país, e viajantes com um voo de conexão imediato podem transitar pelo país.

Para os viajantes que podem entrar no país, o governo austríaco criou uma lista de áreas que considera estar em risco elevado para COVID-19. Qualquer pessoa que viaja para a Áustria de uma dessas áreas deve poder apresentar na fronteira um atestado médico com um resultado negativo do teste para a COVID-19 em inglês, francês, alemão ou italiano com mais de quatro dias. Sem este documento, a entrada será recusada para qualquer pessoa sem uma autorização de residência austríaca válida.

Residentes austríacos sem um certificado médico válido podem entrar no país, mas serão obrigados a se auto-isolar por 14 dias. Os testes de coronavírus, que fornecem o atestado médico, estão disponíveis por € 190 na chegada ao aeroporto de Viena para viajantes com uma autorização de residência austríaca válida.

É possível entrar na Áustria sem a necessidade de atestado médico ou quarentena para residentes de Andorra, Bélgica, Bulgária, Dinamarca, Alemanha (exceto Condado de Gütersloh), Estônia, Finlândia, França, Grécia, Irlanda, Islândia, Itália, Croácia, Letônia, Liechtenstein, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Mônaco, Holanda, Noruega, Polônia, Romênia, São Marinho, Suíça, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, República Tcheca, Hungria, Cidade do Vaticano ou Chipre, que passaram os 14 dias anteriores apenas em nesses países e não viajou para outro lugar.

Áustria: Atualmente há 1.029 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 706 mortes até 7 jul 2020

Pacífico Sul

Bandeira do AU

Austrália

A Austrália restringiu a entrada de todos os cidadãos estrangeiros, exceto os nacionais da Nova Zelândia que residem na Austrália, e de outros países da Oceania que estão em trânsito para seus países de origem.

A Austrália restringiu a entrada de todos os viajantes, com exceção de cidadãos e residentes permanentes da Austrália e seus familiares imediatos, cidadãos da Nova Zelândia residentes na Austrália, diplomatas credenciados na Austrália e residentes na Austrália e seus familiares imediatos e tripulação de companhias aéreas. Os viajantes que não são cidadãos australianos e residentes permanentes que estão retornando, bem como seus familiares imediatos, precisam solicitar uma isenção para entrar na Austrália.

A Austrália decretou restrições de viagem temporárias para voos para Melbourne e Sydney devido a um aumento recente nos casos COVID-19: Até 14 de julho, os voos internacionais para Melbourne estão sendo desviados para outros aeroportos australianos. Até 17 de julho, o número de passageiros internacionais que chegam a Sydney foi limitado a 450 por dia, e cada voo é limitado a 50 pessoas.

Todos os viajantes são obrigados a entrar em quarentena por 14 dias no primeiro ponto de entrada. As quarentenas ocorrem em instalações designadas pelo estado e são gratuitas, exceto no Território do Norte e em Queensland. A tripulação da companhia aérea está sujeita ao auto-isolamento até o próximo voo programado.

Os estrangeiros podem transitar pela Austrália se o voo de conexão estiver dentro de 72 horas do voo de chegada. Eles devem ter um visto de trânsito ou ser cidadãos de um país isento de visto.

Os passageiros em trânsito não precisam solicitar uma isenção para restrições de viagem se tiverem uma reserva para partir em um voo de conexão do mesmo aeroporto dentro de oito horas e não deixarão o aeroporto. Os viajantes que planejam deixar o aeroporto antes de embarcar no voo de conexão ou que permanecerão no aeroporto por mais de oito horas precisam solicitar uma isenção de viagem aqui e estarão sujeitos a quarentena até o voo de partida. Os viajantes da Nova Zelândia e das ilhas do Pacífico podem não precisar de uma isenção de viagem. Mais informações sobre o trânsito da Austrália estão disponíveis aqui.

Os viajantes que planejam viajar através das fronteiras estaduais australianas devem observar que alguns estados australianos também possuem restrições domésticas de viagem, restrições de fronteira e requisitos de quarentena. No caso de viagens posteriores na Austrália, os viajantes são aconselhados a verificar com antecedência o fornecedor de viagens/acomodação.

Austrália: Atualmente há 1.293 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 106 mortes até 9 jul 2020

Bandeira do FJ

Fiji

Fiji restringiu a entrada de todos os cidadãos estrangeiros.

Fiji restringiu a entrada de todos os viajantes que não sejam cidadãos de Fiji e devem entrar em quarentena por 14 dias após a chegada.

Fiji: Atualmente há 3 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 0 morte até 10 jun 2020

Bandeira do GU

Guam

Guam restringiu a entrada de todos os estrangeiros e não residentes que estão em um país com casos confirmados de COVID-19 há mais de uma semana e não foram oficialmente declarados saudáveis.

Guam restringiu a entrada de todos os estrangeiros e não residentes que estiveram em um país com casos confirmados de COVID-19 por mais de uma semana e não possuem um documento certificado pelo DPHSS (Departamento de Saúde e Serviços Sociais de Guam) que confirma que não estão infectados com COVID-19.

A data do teste não deve ser superior a 72 horas antes da data de chegada. Os viajantes que entrarem em Guam sem a documentação adequada serão colocados em quarentena.

Guam: Atualmente há 298 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 5 mortes até 24 jun 2020

Bandeira do CK

Ilhas Cook

As Ilhas Cook restringiram a entrada a todos os viajantes, exceto cidadãos das Ilhas Cook e titulares de permissão de residência.

As Ilhas Cook restringiram a entrada de todos os viajantes, exceto os titulares de autorização de residência das Ilhas Cook e cidadãos que estiveram na Nova Zelândia por pelo menos 30 dias e cujo principal objetivo da viagem é retornar para casa ou retomar sua atividade laboral.

Bandeira do MH

Ilhas Marshall

As Ilhas Marshall restringiram a entrada de todos os viajantes.

As Ilhas Marshall restringiram todos os viajantes de entrar no país até pelo menos 5 de maio de 2020.

Bandeira do SB

Ilhas Salomão

As Ilhas Salomão reabriram suas fronteiras a voos limitados; no entanto, eles têm políticas rigorosas de quarentena e teste em vigor.

As Ilhas Salomão reabriram suas fronteiras a voos limitados; no entanto, eles têm políticas rigorosas de quarentena e teste em vigor.

Passageiros entrantes se enquadram em uma das várias categorias de visitantes:

Categoria 1 - Viajantes que chegam de países livres da COVID-19 (por exemplo, Vanuatu, Samoa, Tonga) - 14 dias de quarentena mais um teste de COVID-19 no país no dia 14 e, se negativo (99,999%), liberado da quarentena.

Categoria 2 - Viajantes de países afetados pela COVID-19 que estão livres da COVID por mais de 28 dias (por exemplo, Papua Nova Guiné e Fiji) - 14 dias de quarentena mais dois testes no país; primeiro teste entre o dia 5 -10 e o segundo teste no dia 14. Se ambos negativos, liberados da quarentena.

Categoria 3A - Viajantes de países afetados pela COVID-19, mas com uma taxa regressiva de novas infecções e o número de casos ativos diminuindo (por exemplo, Austrália, Nova Zelândia, China, Tailândia, Japão, Hong Kong) - 14 dias de quarentena, na condição de o viajante apresenta dois resultados de testes negativos realizados dentro de 14 dias antes de viajar para as Ilhas Salomão, além de dois testes ao chegar no país; primeiro teste entre os dias 5 a 10 e o segundo teste no dia 14. Se ambos negativos, liberados da quarentena.

Categoria 3B - Viajantes de países afetados pela COVID-19, mas com uma taxa regressiva de novas infecções e o número de casos ativos diminuindo (por exemplo, Austrália, Nova Zelândia, China, Tailândia, Japão, Hong Kong), mas sem dois resultados negativos - 14 dias de quarentena mais três testes PCR para coronavírus em tempo real do QuantVirus (qPCR) no país, nos dias 5, 10 e 14. Se tudo negativo, liberado da quarentena.

Categoria 4A - Viajantes de países afetados pela COVID-19 com aumento da taxa de infecção, relatórios de transmissão da comunidade consistentemente graves ou amplos (por exemplo, EUA, Cingapura, Reino Unido, Indonésia, Filipinas, Malásia, Índia) - 14 dias em quarentena, com a condição de que o viajante faça três testes negativos com resultados 21 dias antes da viagem (21, 10 e 2 dias antes da viagem) mais três testes de qPCR no país nos dias 5, 10 e 14. Se tudo negativo, liberado da quarentena.

Categoria 4B - Os viajantes desses países (categoria 4A) com alta transmissão comunitária e casos crescentes diários que não vêm com três resultados negativos consecutivos nos testes serão obrigados a cumprir 21 dias de quarentena com 3 testes qPCR COVID-19 no país nos dias 5,14 e 21. Se tudo negativo, liberado da quarentena.

Todos os novos viajantes qualificados para entrar no país devem preencher um cartão da Declaração de Saúde Pública do viajante. Eles devem fornecer detalhes completos de seu local de estadia, itinerário de viagem e dados pessoais atuais de contato nas Ilhas Salomão por até 14 dias após a chegada/quarentena nas Ilhas Salomão.

Bandeira do MP

Marianas do Norte

As Ilhas Marianas do Norte não têm restrições de entrada, mas os viajantes estão sujeitos a quarentena na chegada.

As Ilhas Marianas do Norte não restringiram a entrada de viajantes, mas quem viaja deve preencher um Formulário de Declaração online disponível em www.governor.gov.mp/covid-19/travel pelo menos 3 dias antes da chegada.

Os residentes das Ilhas Marianas do Norte estão sujeitos à auto-quarentena por 14 dias, enquanto os visitantes estrangeiros estão sujeitos à quarentena do governo, a menos que apresentem um teste PCR negativo para COVID-19 emitido dentro de 3 dias após sua chegada.

Marianas do Norte: Atualmente há 29 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 2 mortes até 23 jun 2020

Bandeira do FM

Micronésia

Os Estados Federados da Micronésia não restringiram a entrada no país, mas há restrições em vigor para os Estados de Pohnpei e Chuuuk.

Os Estados Federados da Micronésia não restringiram a entrada no país, mas existem restrições para os estados de Pohnpei e Chuuk. Viajantes não podem entrar no estado de Pohnpei. Os residentes de Pohnpei e os trabalhadores médicos e técnicos ainda podem entrar no estado, mas serão obrigados a apresentar um atestado médico e se colocar em quarentena por 14 dias.

Bandeira do NZ

Nova Zelândia

A Nova Zelândia restringiu a entrada de todos os estrangeiros, exceto dos australianos que residem na Nova Zelândia e cidadãos Samoa ou Tonga que fazem viagens essenciais.

A Nova Zelândia restringiu a entrada a todos os viajantes que não são cidadãos da Nova Zelândia (Ilhas Cook, Niue, Tokelau) ou residentes permanentes, com algumas exceções limitadas.

As pessoas a seguir devem buscar a aprovação da Immigration New Zealand (INZ) para entrar no país usando o processo de exceções limitadas: Parceiros, filhos dependentes (com idade igual ou inferior a 24 anos) e responsáveis ​​legais por cidadãos e residentes da Nova Zelândia; Cidadãos australianos e residentes permanentes que normalmente vivem na Nova Zelândia; Trabalhadores essenciais da saúde; Outros trabalhadores essenciais que são especificamente acordados pelo governo da Nova Zelândia (consulte aqui detalhes específicos); Cidadãos samoanos e tonganeses que fazem viagens essenciais; Parceiros e filhos dependentes (com 19 anos ou menos) de um titular de visto de trabalho ou de estudante que esteja na Nova Zelândia; Viagens humanitárias; Tripulação marítima.

Todos os viajantes acima estarão sujeitos a isolamento obrigatório em uma instalação governamental por 14 dias após a chegada, a menos que sejam membros de uma tripulação ou pessoas em trânsito.

Os viajantes só podem fazer trânsito na Nova Zelândia se forem cidadãos ou residentes australianos a caminho da Austrália ou tiverem aprovação do governo.

A partir de 19 de junho, o trânsito estará aberto a todos os cidadãos e residentes das Ilhas Cook que estiverem presentes na Nova Zelândia há pelo menos 30 dias e cujo principal objetivo da viagem seja voltar para casa ou retomar o emprego.

Nova Zelândia: Atualmente há 23 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 22 mortes até 30 jun 2020

Bandeira do PW

Palau

Palau tem entrada restrita de viajantes que transitaram por ou estiveram na China, Hong Kong ou Macau nos últimos 14 dias.

Palau restringiu a entrada de viajantes que transitaram ou estiveram na China, Hong Kong ou Macau nos últimos 14 dias.

Bandeira do PG

Papua Nova Guiné

A Papua-Nova Guiné restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto trabalhadores da saúde, tripulação de voo, militares ou aqueles com uma isenção especial por escrito do Controlador de Emergência.

A Papua-Nova Guiné restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto profissionais de saúde, tripulação de voo, militares ou pessoas com uma isenção por escrito especial do Controlador de Emergência. Visitantes internacionais devem solicitar a isenção, incluindo os motivos da visita, entrando em contato com: covid19-admin.logistics@police.gov.pg. Quem chega deve ter sido testado para a COVID-19 dentro de um período de 14 dias a partir da data de chegada para poder embarcar em um voo. Na chegada, os viajantes devem se isolar em um hotel aprovado pelo governo por 14 dias.

Os viajantes deverão comprovar sua reserva de hotel e isenção aprovada para comprar uma passagem aérea. O único aeroporto que aceita chegadas internacionais é Port Moresby (POM). Os viajantes que residem em Papua-Nova Guiné devem partir de Brisbane (BNS), Cairns (CNS) ou Cingapura (SIN).

Papua Nova Guiné: Atualmente há 3 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 0 morte até 24 jun 2020

Bandeira do PF

Polinésia Francesa

A Polinésia Francesa restringiu a entrada de todos os não residentes até 15 de julho.

A Polinésia Francesa restringiu a entrada de todos os viajantes que não são residentes. Todos os viajantes que chegam devem ter um Certificado de Viagem Internacional para entrar e transitar na Polinésia Francesa, que deve ser obtido antes da partida pelos escritórios consulares franceses no exterior ou on-line em https://www.interieur.gouv.fr.

Os voos regulares entre a França metropolitana e seus territórios no exterior foram retomados, mas podem ser executados com horários reduzidos. Os viajantes que partem da França continental precisam de um certificado de viagem internacional, disponível no site do Ministério do Interior.

Os viajantes que entram na Polinésia Francesa estão sujeitos à quarentena na chegada. A partir de 15 de julho, as medidas de quarentena serão retiradas, e as fronteiras da Polinésia Francesa serão reabertas ao turismo internacional de todos os países.

Todos os viajantes da Polinésia Francesa devem ter um teste PCR negativo para a COVID-19 emitido dentro de 72 antes do voo. Eles também terão que preencher um formulário de inscrição sanitária digital. Os visitantes devem ter um seguro de viagem que cubra todas as possíveis despesas médicas relacionadas à COVID-19 ou assumir pessoalmente todas as despesas relacionadas aos custos dos cuidados, incluindo hospitalização, confinamento ou repatriamento, caso estejam infectados durante a estadia. O uso de máscaras é obrigatório em todos os voos para a Polinésia Francesa.

Polinésia Francesa: Atualmente há 2 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 0 morte até 7 jul 2020

Bandeira do KI

Quiribati

Kiribati fechou seus aeroportos.

Tarawa (TRW) está fechado até pelo menos 30 de abril de 2020.

Bandeira do WS

Samoa

Samoa restringiu a entrada de viajantes que estiveram na Alemanha, Austrália, Áustria, Bahrein, Bélgica, Canadá, Catar, China, Cingapura, Coreia do Sul, Dinamarca, Espanha, Emirados Árabes Unidos, Estados Unidos, França, Grécia, Holanda, Hong Kong, Islândia, Itália, Irã, Japão, Kuwait, Luxemburgo, Macau, Malásia, Noruega, República Tcheca, Suécia, Suíça, Tailândia ou Taiwan.

Samoa restringiu a entrada de viajantes que transitaram ou estiveram na Austrália, Áustria, Bahrein, Bélgica, Canadá, China, Taiwan, República Tcheca, Dinamarca, França, Alemanha, Grécia, Hong Kong, Islândia, Itália, Irã, Japão, Coreia do Sul, Kuwait, Luxemburgo, Macau, Malásia, Holanda, Noruega, Catar, Singapura, Espanha, Suécia, Suíça, Tailândia, Emirados Árabes Unidos ou Estados Unidos. Os viajantes que chegarem de outros países ainda poderão entrar na Samoa, desde que tenham passado pelo menos 14 dias em quarentena no país do último embarque e tenham recebido uma Autorização Médica dentro de 3 dias antes da rota final para a Samoa. O mesmo se aplica aos portadores de passaporte samoano e residentes permanentes da Samoa e da Samoa Americana. Uma triagem obrigatória de todos os passageiros e tripulantes que chegam à Samoa está em vigor em todos os portos de entrada. Todos os viajantes devem cumprir com os requisitos e apresentar documentos adicionais quando solicitados. Todos os passageiros deverão preencher um Cartão Especial de Declaração de Saúde a bordo ou ao chegar à Samoa.

Bandeira do AS

Samoa Americana

A Samoa Americana restringiu a entrada de todos os viajantes que não são residentes ou cidadãos dos EUA.

As permissões de entrada, normalmente emitidas pela Samoa Americana em vez de vistos, estão atualmente suspensas. Residentes da Samoa Americana com autorização de residência ou aprovação do Conselho de Imigração ainda podem entrar no território, assim como cidadãos dos EUA, mas os viajantes que transitaram ou estiveram no Arizona, Califórnia, Flórida, Geórgia, Havaí, Illinois, Massachusetts, New Hampshire, Nova York, Carolina do Norte, Oregon, Rhode Island, Texas, Washington ou Wisconsin estão sujeitos a uma triagem de Saúde Pública e podem ser colocados em quarentena médica ou doméstica após a chegada. Os passageiros que chegarem da Samoa devem obter uma autorização de saúde do Ministério da Saúde (MOH) três dias antes da chegada e apresentar um “Formulário de Declaração de Viagem DOT” no momento da chegada. Os passageiros que chegarem do Havaí e transitaram ou estiveram em países afetados pelo coronavírus (COVID-19) devem passar 14 dias no Havaí e obter uma autorização de saúde três dias antes da chegada à Samoa Americana. Eles também deverão apresentar um “Formulário de Declaração de Viagem DOT” e fornecer seu itinerário na chegada.

Bandeira do TO

Tonga

Tonga restringiu a entrada de todos os estrangeiros que chegam ou transitaram pela China, Taiwan, Hong Kong ou Macau.

Tonga restringiu a entrada de viajantes e tripulantes de companhias aéreas que chegarem de ou transitaram pela China, Taiwan, Hong Kong ou Macau. Cidadãos e residentes permanentes de Tonga e seus familiares imediatos ainda podem entrar em Tonga, assim como tripulantes de companhias aéreas em voos diretos da China usando equipamento de proteção individual (EPI) apropriado. Os viajantes que chegarem de outros lugares ainda poderão entrar em Tonga, desde que tenham ficado em um país sem casos confirmados de coronavírus (COVID-19) por pelo menos 14 dias consecutivos antes de entrar em Tonga. Eles deverão ter uma autorização médica oficial realizada dentro de 3 dias antes da chegada a Tonga. Todos os viajantes que chegarem devem preencher um ‘Cartão de Declaração de Saúde de Chegada do Viajante’ e enviá-lo ao Controle de Fontreiras do Ministério da Saúde quando chegarem a Tonga.

Bandeira do TV

Tuvalu

Tuvalu fechou suas fronteiras.

Tuvalu fechou suas fronteiras.

Bandeira do VU

Vanuatu

Vanuatu fechou todas as portas de entrada.

Vanuatu fechou todos os portos de entrada.

América Central

Bandeira do BZ

Belize

Todos os aeroportos em Belize estão fechados.

Belize fechou seus aeroportos até pelo menos 14 de agosto e restringiu a entrada de todos os viajantes que não são cidadãos ou residentes de Belize.

Belize: Atualmente há 9 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 2 mortes até 30 jun 2020

Bandeira do CR

Costa Rica

A Costa Rica restringiu a entrada de todos os estrangeiros.

A Costa Rica restringiu a entrada de todos os viajantes que não são cidadãos e residentes da Costa Rica até pelo menos 1° de agosto. O governo da Costa Rica anunciou que qualquer residente legal que deixasse a Costa Rica em 24 de março ou depois seria automaticamente proibido de entrar novamente por um período especificado na data de sua partida e notificado a eles por escrito.

Os viajantes que deixaram a Costa Rica antes de 25 de março de 2020 e têm residência permanente ou temporária, categoria especial (Categoria Especial) ou estadia de subcategoria não residente (No Residente Subcategoria Estancia) ainda podem entrar no país .

Eles devem preencher o "Formulário Epidemiológico" em https://ccss.now.sh/ antes da partida.

Todos os viajantes devem se auto-isolar por um período de 14 dias após a chegada.

Costa Rica: Atualmente há 3.653 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 23 mortes até 6 jul 2020

Bandeira do SV

El Salvador

El Salvador restringiu a entrada de todos os estrangeiros.

Os aeroportos de El Salvador estão fechados para todos, exceto voos de ajuda humanitária, até pelo menos 6 de agosto.

Todos os viajantes que chegam estão sujeitos a uma quarentena de 14 dias.

El Salvador: Atualmente há 3.149 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 229 mortes até 26 jun 2020

Bandeira do GT

Guatemala

A Guatemala suspendeu todos os voos para o país e restringiu a entrada de todos os estrangeiros.

A Guatemala restringiu a entrada de todos os viajantes, exceto cidadãos, residentes e diplomatas, que serão colocados em quarentena na chegada. A Guatemala também suspendeu todos os voos para o país até pelo menos 30 de abril de 2020.

Guatemala: Atualmente há 20.208 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 1.004 mortes até 8 jun 2020

Bandeira do HN

Honduras

Honduras fechou seus aeroportos até pelo menos 15 de agosto de 2020.

Honduras fechou seus aeroportos para todos os voos, até pelo menos 15 de agosto, com exceção de voos humanitários com uma autorização emitida 24 horas antes da partida pela Secretaria de Turismo de Honduras ou pelo Departamento de Relações Exteriores e Cooperação Internacional.

Honduras: Atualmente há 22.114 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 677 mortes até 23 jun 2020

Bandeira do NI

Nicarágua

A Nicarágua não tem nenhuma restrição de entrada, mas todos os viajantes que chegarem serão submetidos à triagem e colocados em quarentena, se necessário.

A Nicarágua não implementou nenhuma restrição de entrada, mas os viajantes que chegarem serão rastreados e os que apresentarem sintomas serão colocados em quarentena.

Nicarágua: Atualmente há 762 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 91 mortes até 8 jun 2020

Bandeira do PA

Panamá

O Panamá suspendeu todos os voos para o país, exceto voos humanitários

O Panamá suspendeu todos os voos para o país, exceto voos humanitários, até pelo menos 22 de julho de 2020.

Panamá: Atualmente há 20.766 casos ativos de COVID-19 diagnosticados e 799 mortes até 19 jun 2020

Perguntas frequentes

    Até 9 jul 2020, 103 países haviam restringido completamente a entrada a não cidadãos, enquanto 69 outros países tinham, pelo menos, restrições parciais. Mais
    Verificamos diariamente as informações sobre restrições de viagens das autoridades governamentais e atualizamos a página sempre que obtemos novas informações. Mais
    Esta página mostra quais países têm restrições formais de entrada por via aérea e não inclui outras medidas obrigatórias de viagem, como quarentenas. Países sem restrições de entrada que tenham requisitos de quarentena, como o Reino Unido, Irlanda e México, foram marcados como "Sem restrições". Mais

Recursos adicionais

Para questões de imprensa, correções e outros esclarecimentos, envie um e-mail para travel-restrictions@kayak.com.