7 Dicas para Viagens com Idosos

A melhor idade é também uma fase da vida perfeita para viajar. Viagens em família, entre pais e filhos, ou até mesmo avós e netos são uma ótima maneira de explorar um novo destino e o mercado está investindo cada vez mais em serviços que agradem todas gerações. Ainda que todo viajante precise tomar alguns cuidados ao planejar a viagem, algumas precauções a mais podem ser tomados quando um turista idoso nos acompanha na jornada. Confira as dicas do KAYAK:

1. Atenção ao escolher o hotel

Talvez o item que mais exija cuidado. Na juventude, a hospedagem é onde somos menos exigentes, afinal é apenas o lugar onde recuperamos a energia por algumas horas antes das maratonas turísticas. Porém, ao viajar com idosos é importante pesquisar uma acomodação bem localizada, com acesso fácil a farmácias, supermercados e outros serviços convenientes para qualquer emergência. Um local relativamente tranquilo e longe do barulho das zonas boêmias garante um boa noite de sono. É importante ler os comentários de hóspedes antigos para verificar o conforto do quarto e fique atento a acessibilidade. Por exemplo, cheque se o elevador funciona corretamente ou se o chuveiro não fica em cima de uma banheira, como acontece em muitos países da Europa.

2. Medicamentos e seguro viagem

É importante providenciar com antecedência não só os medicamentos controlados, mas também os remédios que não exigem receita, mas que seus acompanhantes com idade mais avançada já estão acostumados a tomar. Aliás, uma consulta ao médico antes da viagem é sempre uma boa ideia. O seguro viagem não é obrigatório em todos os países, mas é importante contratá-lo, não importa o destino, por precaução.

3. Slow Travel

Grande tendência de estilo de vida atual, o “slow” também chega na maneira de viajar sem pressa, em que o turista não está preocupado apenas em bater ponto nos pontos turísticos, mas também observar os costumes da população local e ter experiências autênticas, que nem sempre estão nos guias de viagem. E esse estilo de viagem se encaixa perfeitamente para idosos. Evite incluir muitas cidades no itinerário, pois além do cansaço com descolamentos e trocas de hotéis, tempo valioso que poderia ser utilizado para conhecer bem um destino é desperdiçado. O melhor é pensar em cidades que podem servir como base para bate-voltas. Evite deixar a programação do dia cheia de atrações, e não dispense uma parada em um café entre uma e outra para descansar e recuperar as energias. Considere taxis ou Uber para caminhos curtos, mas com muitas subidas ou chão irregular.

4. Programe a viagem com antecedência

Ter flexibilidade no roteiro é importante para todos os perfis de viajantes, mas é interessante programar alguns passos nesse caso. É uma boa ideia comprar as entradas de algumas atrações com antecedência, principalmente na alta temporada. Mesmo que na maioria dos lugares a fila é preferencial para idosos, nem sempre o mesmo se aplica para acompanhantes ainda mais se o grupo for grande. Reservar restaurantes, principalmente os mais famosos é importante para evitar perder muito tempo com espera. Por outro lado, evite pacotes de viagem com todos os passeios já marcados e arranjados, já que geralmente a programação começa muito cedo e termina tarde.

5. Invista em assentos com espaço

A denominação muda dependendo da companhia aérea, mas hoje em dia a maioria, internacionais ou domésticas, oferece opções de assentos com mais espaço para as pernas mediante pagamento de uma taxa extra. Com as restrições para a escolha do seu lugar antes do embarque que as aéreas estão impondo, se torna um serviço ainda mais atraente. O espaço a mais é importante para evitar trombose nas pernas e outros problemas de circulação durante a viagem, principalmente em voos de longa distância. Se não for possível, tente escolher um assento no corredor, porque fica mais fácil de esticar pelo menos uma perna, e é mais prático levantar durante o voo para fazer o sangue circular.

6. Cuidados no aeroporto

Avise a companhia aérea com antecedência que um idoso vai viajar. Mesmo que ele não tenha problemas de mobilidade reduzida, lembrem-se que muitos aeroportos são enormes e a distância até o portão de embarque pode ser considerável. Em alta temporada, as filas assustam, mesmo as preferenciais, e é bom tomar providências para evitar que fiquem muito tempo em pé. Cheque os benefícios do cartão de crédito ou do programa de milhagem favorito e aproveite as salas VIPs nos momentos de espera.

7. Invista em voos diretos

Viagens longas podem ser muito desgastantes para todos os turistas, mas principalmente para quem tem a idade mais avançada, e mais ainda para quem viaja em classe econômica. O investimento em voos diretos é válido e economiza horas preciosas em conexão. Se o destino não oferece rotas diretas, considere fazer um stopover, um novo serviço que começou a ser oferecido recentemente em que as companhias oferecem aos passageiros a opção de passar alguns dias na cidade onde a conexão é feita, geralmente os hubs das companhias, antes de seguir para o destino sem custo adicional.

E você, também tem uma dica legal para compartilhar? Comente abaixo: